F1: Alfa Romeo critica critério de comissários por não punirem Norris na Rússia

Britânico cruzou a linha branca de entrada dos boxes em Sochi, mas não recebeu penalidades da direção por não ter ganho vantagem

F1: Alfa Romeo critica critério de comissários por não punirem Norris na Rússia

O chefe da Alfa Romeo, Fred Vasseur, acredita que Lando Norris deveria ter recebido uma penalidade depois de cruzar a linha branca da entrada do box durante o GP da Rússia de Fórmula 1. O incidente foi um grande ponto de discussão após a corrida de domingo, e muitos observadores ficaram surpresos quando o piloto da McLaren recebeu uma advertência, em vez da penalidade de cinco segundos e um ponto na licença.

Aqueles cinco segundos teriam tornado seu dia ainda pior, fazendo-o cair do sétimo para o nono lugar, atrás de Kimi Raikkonen e Sergio Pérez.

Leia também:

Quando se dirigiu para o pit lane para tomar intermediários com duas voltas para o fim, Norris perdeu o controle na entrada dos boxes, deslizou pela linha e voltou para a pista. Nas entrevistas pós-corrida, ele admitiu que uma penalidade era provável.

Após Raikkonen passar pela bandeira quadriculada, a Alfa estava tão certa de que ele seria penalizado que o finlandês foi informado de que seu oitavo lugar na pista seria na verdade o sétimo.

Para piorar a situação para a equipe, Raikkonen foi um dos que recebeu uma penalidade de cinco segundos por uma infração de entrada nos boxes, no ano passado, em Mugello, que o fez cair do oitavo para o nono lugar e lhe custou alguns pontos.

Não é nenhuma surpresa, portanto, que a notícia de que Norris havia recebido apenas uma advertência nesta ocasião foi recebida com incredulidade pela escuderia, e não menos pelo chefe da equipe, Vasseur. O veredito de Norris veio na esteira de uma série de decisões recentes da FIA que impactaram a Alfa e a deixaram lamentando o que veem como uma aparente falta de consistência.

Essa lista é liderada pela atribuição de pontos após duas voltas atrás do safety car em Spa - um resultado que deu dez pontos para a Williams e fôlego na disputa pelo oitavo lugar no campeonato de construtores, potencialmente custando milhões de dólares à equipe suíça.

"Estou muito triste por Lando, porque ele fez um fim de semana fantástico em Sochi", disse Vasseur ao Motorsport.com. "No entanto, não é porque você gosta do cara e ele mereceu vencer que temos que mudar a regra. É muito clara: se cruzar a linha, será penalizado."

"Foi o caso em várias ocasiões, por dez vezes menos do que isso, com [Yuki] Tsunoda em Spielberg, Raikkonen no ano passado em Mugello. E exatamente a mesma condição com [Lewis Hamilton] em Hockenheim em 2019. ”

Na verdade, tecnicamente, a punição do GP da Alemanha de 2019 do heptacampeão foi por ir pelo lado errado de entrada, não a linha de cruzamento, mas recebeu a mesma pena.

Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C41

Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C41

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Se voltar mais longe na história, houve castigos mais severos para as infrações de entrada no pit. Felipe Massa recebeu uma penalidade de drive-thru em sua última corrida pela Ferrari no Brasil em 2013 por cruzar a linha quando fez a troca na corrida, enquanto em um cenário diferente, Pérez também recebeu a mesma punição no GP de Mônaco 2012, embora nessa ocasião os comissários tenham citado uma "entrada tardia no box e impedido outro piloto."

Curiosamente, também há um precedente para dar um aviso e não uma penalidade de tempo pelo mesmo incidente - e novamente envolveu Hamilton em Hockenheim, desta vez em 2018. Naquela ocasião, ele estava indo para os boxes e foi para do lado correto da entrada, mas depois optou por cruzar a linha e retornar à pista.

Os comissários posteriormente justificaram a decisão de dar uma advertência dizendo que "o piloto e a equipe admitiram abertamente o erro e o fato de que havia confusão dentro da escuderia quanto a ficar de fora ou entrar e isso levou ao violação."

Eles acrescentaram que "o caso ocorreu durante um período de safety car” e que “em nenhum momento houve qualquer perigo para outro competidor e a mudança de direção foi executada de forma segura”.

O veredito do último fim de semana explicou porque os comissários concederam uma reprimenda e deram a Norris o benefício da dúvida, observando que ele estava viajando lentamente e que "não consideraram que a travessia da área pintada foi intencional ou previsível nas circunstâncias."

No entanto, Vasseur insiste que o deslize do britânico de volta para a linha de corrida em Sochi merecia a punição de tempo de costume: "Direi que é ainda pior nestas condições, porque quando Tsunoda colocou uma roda na linha branca em Spielberg, não foi uma questão de segurança, não foi um ganho de tempo, mas ele foi penalizado."

"E ninguém reclamou disso naquele dia, porque a regra era clara, você põe a roda na linha, você é punido. Na semana passada, a vantagem para o Lando foi 'mega'. Nesta situação, ou você leva cinco segundos ou dá outra volta no molhado com slicks, e perde talvez 25.

"Provavelmente, a pena de cinco segundos não é suficiente, porque eu me lembro perfeitamente que quando Lewis sofreu a punição em Hockenheim, 99% do paddock reclamou que foi muito branda."

"Agora estamos começando a encontrar, digamos, não razões, mas a explicação em torno do incidente, e estamos parecendo estúpidos. A regra é muito clara. Nela, você nunca teve uma consideração sobre qual é a vantagem, é a circunstância certa?"

Vasseur vê a decisão de Norris como um exemplo de interpretação excessiva por parte dos comissários: "A questão para mim é que se abrirmos a porta para esse tipo de discussão toda vez que alguém colocar uma roda na linha branca, tentaremos encontrar um bom motivo. E nós iremos à direção para explicar e mostrar os dados, e é um debate sem fim."

"Estou receoso porque nos últimos fins de semana tivemos muitos problemas. Lembro que em de Monza, um piloto [Nikita Mazepin] bloqueou [Antonio] Giovinazzi, e ele não foi penalizado porque a equipe não o informou. É uma piada."

"Ninguém considerou este ponto antes. Fizemos exatamente a mesma coisa em Mônaco há três anos, o Giovinazzi foi penalizado e eu não reclamei porque a gente prejudicou alguém. É difícil pensar e tentar entender as razões do erro. É uma nova discussão."

Alfa e Vasseur também ficaram furiosos quando, no GP da Emília-Romanha, no início deste ano, Raikkonen recebeu uma punição de 30 segundos por não entrar no pit lane depois de rodar antes da bandeira verde.

Até mesmo os comissários reconheceram na época que havia regulamentos aparentemente contraditórios, mas a penalidade ainda foi aplicada. Ele caiu do nono para o 13º lugar.

Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C41, in the gravel

Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C41, in the gravel

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

"Eu acho que quando eles tomaram uma decisão muito difícil com Kimi em Ímola, não consideraram que o início da história veio do diretor da prova também", disse Vasseur. "A regra é clara que ele deve sinalizar o início após várias voltas, não quando você está nos pits."

"Tivemos muitas polêmicas nos últimos seis ou sete eventos. Acho que temos que seguir as regras e é isso. Se você der uma olhada, Spa foi um desastre."

"Em Sochi, tínhamos um piloto [Fernando Alonso] sobre o zebra na Curva 2 e ele não voltou pelo caminho de fuga normal. Quando perguntamos ao diretor da prova, ele disse que estava tudo bem, pois não levaram vantagem, mas não é a regra - se está no meio-fio, tem que ir até lá."

"O regulamento é complicado, mas mesmo quando é claro, complicamos a situação.”

Vasseur admite que a saga de Norris foi a gota d'água após as várias situações que impactaram sua equipe nesta temporada e diz: "em um momento está começando a acontecer muito."

"Se você der uma olhada nos últimos cinco ou seis eventos, tivemos polêmica. E não é bom para o esporte, não é bom para meu time, não é bom para meus acionistas, mas acima de tudo, porque parecemos estúpidos."

Para o chefe da Alfa Romeo, o regulamento deveria ser 'preto no branco', com menos margem de manobra para interpretação.

"Contanto que tenhamos uma regra em vigor, vamos segui-la. Nosso esporte é complicado. Quando tivemos o caso em Ímola, dei uma olhada nos regulamentos esportivos de dez anos atrás. Foram duas vezes menos páginas!"

"Tive uma longa discussão com alguns dos meus colegas e no final estou muito frustrado com isso, porque esse tipo de decisão é um absurdo. ”

É raro um chefe de escuderia agir como um técnico de futebol e ir a público reclamar da decisão do árbitro, mas Vasseur não se incomoda de fazer isso.

"Eu sei que provavelmente serei chamado pelos comissários, multado por minhas palavras e suspenso por uma corrida. Espero que seja uma boa forma de ficar em casa com a minha família!"

F1: Muito além do “CALA A BOCA!” Saiba como NORRIS não fez MOLECAGEM ao ficar na pista e PERDER GP

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #133: O que poderia ser melhorado no documentário sobre Schumacher?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1 confirma estreia do GP do Catar na temporada 2021; etapa será realizada em novembro

Artigo anterior

F1 confirma estreia do GP do Catar na temporada 2021; etapa será realizada em novembro

Próximo artigo

Hamilton compara Verstappen a Alonso na F1: "Nunca desiste"; veja

Hamilton compara Verstappen a Alonso na F1: "Nunca desiste"; veja
Carregar comentários