F1: FIA adverte equipes sobre lobby com comissários após polêmica em Silverstone

Visita de Wolff e Horner aos comissários durante a bandeira vermelha não caiu bem com o diretor de provas Michael Masi

F1: FIA adverte equipes sobre lobby com comissários após polêmica em Silverstone

As equipes da Fórmula 1 foram advertidas quanto ao risco de punições no futuro caso seus membros falem com os comissários durante períodos de investigação sem aprovação prévia.

Um dos aspectos controversos do GP da Grã-Bretanha foi o modo como os chefes da Mercedes, Toto Wolff, e da Red Bull, Christian Horner, fizeram um lobby com os comissários enquanto eles investigavam o acidente entre Lewis Hamilton e Max Verstappen.

Leia também:

Wolff entrou na sala após liberação do diretor de provas Michael Masi, buscando garantir que eles estavam cientes das orientações da FIA sobre quem tem o direito por uma curva durante uma luta por posições.

Falando com o Motorsport.com sobre a visita, Wolff disse: "Acho que fui dito após o acidente que Christian, em particular, teve uma discussão muito errática com o diretor de prova. Então eu entrei em contato com ele e Masi me recomendou ir falar com os comissários, o que eu fiz".

Tendo ouvido pelo rádio que Wolff estava com os comissários, Horner marchou até a sala para garantir que eles também ouvissem o lado da Red Bull. O britânico disse que a atitude de Wolff era algo incompreensível, tendo a liberdade de falar com os comissários assim.

"Não acho que os comissários devam ter interferência. Eles precisam manter a cabeça limpa para estas decisões. Fui ver os comissários porque ouvi que Toto estava lá, apresentando seu caso. Você quer algo justo e não acho que ninguém deveria ter a permissão de vê-los".

Inicialmente, Masi disse que não via problemas com as equipes falando com os comissários, já que era uma prática comum.

"Se temos um incidente após a corrida, convidamos equipes e pilotos a comparecerem perante os comissários. Tivemos um caso em Monza no ano passado quando Lewis falou com eles para entender o que havia acontecido. Durante a suspensão, há essa possibilidade".

Porém, Masi parece ter mudado sua visão e agora advertiu as equipes de que visitas não programadas aos comissários não serão toleradas. Em nota, Masi disse que o acesso para qualquer outro além dos oficiais da FIA só será permitida com "aprovação prévia" ou como resultado de uma convocação.

As equipes foram informadas de que, caso quebrem essa orientação, elas podem sofrer sanções dentro do Artigo 12.2.1.i do Código Desportivo Internacional da FIA. Ele diz que uma ofensa será computada se o competidor falar "em seguir a instrução de oficiais relevantes para a condução ordenada e segura do evento".

Sanções do tipo vão desde uma reprimenda até mesmo a desqualificação.

CLIMA DE GUERRA: Max Wilson teme CONSEQUÊNCIA do acidente de Hamilton e Verstappen para F1; entenda

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Como fica o campeonato após guerra declarada entre Verstappen e Hamilton?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Mercedes estava "desesperada" por bom resultado em Silverstone

Artigo anterior

F1: Mercedes estava "desesperada" por bom resultado em Silverstone

Próximo artigo

F1 - Wolff: Corridas sprint deveriam ser restritas a eventos "Grand Slams"

F1 - Wolff: Corridas sprint deveriam ser restritas a eventos "Grand Slams"
Carregar comentários