F1: FIA vai investigar suposta falha de cinto de segurança de Sainz em acidente na Itália

Movimento da cabeça de espanhol após impacto alarmou pessoas da FIA, Ferrari e fãs

F1: FIA vai investigar suposta falha de cinto de segurança de Sainz em acidente na Itália

A FIA vai analisar os cintos de segurança do cockpit de Carlos Sainz. O espanhol se projetou à frente em sua Ferrari quando bateu na Chicane Ascari, durante o treino livre de sábado, durante o fim de semana do GP da Itália de Fórmula 1.

As Imagens on board do incidente destacaram o quão grande foi o impacto, com Sainz sendo jogado para a frente em direção ao volante.

Leia também:

A Ferrari está atualmente conduzindo sua própria investigação sobre o acidente usando as câmeras obrigatórias do cockpit, bem como outros dados de telemetria, para obter uma imagem completa do incidente e suas consequências.

E embora não esteja claro no momento, se o capacete de Sainz fez contato com o volante ou não, isso deve ficar claro a partir de qualquer análise que a Ferrari e a FIA conduzam.

A maneira como Sainz foi lançado para a frente no acidente causou algum alarme nos observadores, porque parecia muito incomum.

No entanto, a FIA diz que é normal que os cintos de segurança cedam um pouco nos impactos, pois isso é mais seguro para o corpo humano do que ser totalmente rígido.

O diretor de corridas da F1, Michael Masi, explicou: "Acho que os cintos são feitos para esticar.”

“Você tem um corpo humano aí, então tem que haver alguma entrega. Você não pode simplesmente manter todos completamente amarrados.”

"Portanto, vamos examinar o alongamento do cinto, como fazemos com qualquer grande incidente, ou incidente significativo como esse, e ver o que podemos aprender com isso. Você sabe, pode ser melhorado? Vamos dar uma olhada?"

Questionado se havia um elemento dos cintos que talvez se esticasse demais no caso de Sainz, Masi disse: "Possivelmente. E vamos tentar aprender com isso."

Embora alguns tenham sugerido que o HANS de Sainz se soltou na batida, o próprio espanhol deixou claro que não. Fotos após o incidente também mostraram as correias de HANS no lugar.

"Não, não funcionou", disse Sainz, dando a entender que as correias de HANS tinham rompido. "Acontece que o impacto foi tão forte que minha cabeça avançou muito e levei um pouco dos cintos comigo, mas não o HANS."

A FIA diz que investigar acidentes após cada fim de semana de F1 foi um processo essencial para ajudar a impulsionar mais melhorias de segurança.

Masi acrescentou: "Estou sempre encorajado por todos os recursos de segurança e pela melhoria constante com segurança que temos.

“Você olha para o incidente de Carlos no TL2. Embora não pareça muito, foi um impacto bastante severo.”

"Seja halo, seja equipamento, seja design de carro, tudo, há sempre aquela evolução constante de melhorar a segurança como um todo."

F1: HALO SALVOU vida de HAMILTON em acidente com VERSTAPPEN em MONZA? Entenda FUNCIONAMENTO da peça

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST - Bottas: piloto que deixou a desejar ou talento 'sacrificado'?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Aston Martin confirma permanência de Vettel e Stroll em 2022

Artigo anterior

F1: Aston Martin confirma permanência de Vettel e Stroll em 2022

Próximo artigo

F1: Marko critica "show" da Mercedes em acidente entre Verstappen e Hamilton

F1: Marko critica "show" da Mercedes em acidente entre Verstappen e Hamilton
Carregar comentários