F1: Mercedes calcula que Hamilton brigaria com Sainz se ficasse na pista

Andrew Shovlin, diretor de engenharia da equipe, aponta que piloto poderia deixar de ganhar bons pontos na Turquia se seguisse mesma estratégia de Esteban Ocon

F1: Mercedes calcula que Hamilton brigaria com Sainz se ficasse na pista

A Mercedes acredita que Lewis Hamilton teria caído para "o fundo dos pontos" se ele não tivesse parado durante o GP da Turquia de Fórmula 1 no domingo, após completar seus cálculos pós-corrida.

Hamilton ficou frustrado depois que a Mercedes optou por colocá-lo nos pits a oito voltas do fim no Istanbul Park, caindo da terceira para a quinta posição após largar em 11º no grid devido a uma penalidade.

Leia também:

Hamilton esperava completar a corrida inteira com um único jogo de pneus intermediários, depois de não parar quando os carros próximos a ele o fizeram com cerca de 20 voltas para o término da corrida.

A Mercedes explicou depois da corrida que queria conter suas perdas, trazendo Hamilton e temendo que ele sofresse uma degradação significativa nos estágios finais da prova.

Esteban Ocon, da Alpine, foi o único piloto a fazer toda a corrida sem parar, mas perdeu 18 segundos para Lance Stroll nas últimas cinco voltas e teve a sorte de se agarrar a um ponto.

O diretor de engenharia da Mercedes, Andrew Shovlin, disse que os cálculos da equipe sugeriam que Hamilton poderia ter terminado em quarto lugar sem sofrer mais desgaste, o que era improvável.

“Se ele se estabilizasse no ponto em que o trouxemos e permanecesse consistente até o final, pensamos que ele teria perdido o lugar para Sergio [Pérez], mas teria ficado à frente de Charles [Leclerc], que terminou em quarto”, disse Shovlin durante o último episódio de This Week, programa de Will Buxton na Motorsport.TV.

“Mas esse é um cenário em que não há mais degradação e está bastante claro que os pneus estavam se deteriorando.”

“O cálculo que não podíamos fazer antes do final da corrida era pegar a degradação que podíamos ver em Esteban. Ele foi o único que correu um conjunto de intermediários até o final.”

“Se impormos essa degradação a Lewis, então você poderá ver que ele na verdade estaria perdendo vários lugares, quase caindo para o fim da zona de pontos.”

“Com base nessa degradação, ele poderia até ter lutado com [Carlos] Sainz no final.”

Hamilton foi trazido para os boxes para garantir que ele retornasse em quinto lugar, com a Mercedes temendo que ele pudesse perder uma posição para Pierre Gasly e caído para sexto, se ele tivesse ficado mais tempo na pista.

Shovlin explicou que, com o melhor cenário sugerindo que ele perderia o pódio de qualquer maneira, a equipe achou melhor “conter nossas perdas”.

A Mercedes inicialmente deu a Hamilton a decisão de ir para os boxes logo depois de ver Pérez entrar, mas o heptacampeão mundial pediu para ficar fora.

Shovlin disse que o pitwall da Mercedes estava com a decisão de ficar fora por mais tempo e "correr alguns riscos", confiando na decisão de Hamilton.

“O piloto é um dos melhores colocados para saber como estão os pneus, para saber como está a aderência”, disse Shovlin.

“Eles têm essa sensação através de todos os seus muitos, muitos anos de experiência, de quão longe podem levá-los, e é por isso que estamos ouvindo o que Lewis está dizendo em muitos desses períodos.”

“Mas nessas corridas, é sempre muito difícil fazer tudo certo. É apenas parte de nossa decisão se podemos nos colocar de volta em uma posição para lutar pela vitória, de volta a uma posição para lutar pelo pódio.”

“Aquilo foi um pouco do risco calculado.”

F1: POLÊMICA do MOTOR MERCEDES, POR QUE a equipe DOMINOU GP e razões para MAX/RED BULL ficarem AQUÉM

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #136 – Ju Cerasoli faz raio-X da rivalidade Hamilton X Verstappen de quem acompanha direto do paddock

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Red Bull oscilante, Hamilton 'falante' e Ferrari ascendente: veja as sete coisas que aprendemos com o GP da Turquia de F1

Artigo anterior

Red Bull oscilante, Hamilton 'falante' e Ferrari ascendente: veja as sete coisas que aprendemos com o GP da Turquia de F1

Próximo artigo

Brawn rebate sugestões de que mudanças nas regras da F1 para 2022 não são necessárias

Brawn rebate sugestões de que mudanças nas regras da F1 para 2022 não são necessárias
Carregar comentários