F-E: Pilotos acreditam que será "quase impossível" ultrapassar em Londres

Apesar de mudanças, pilotos acreditam que não será suficiente para melhorar o espetáculo e já pedem mais alterações no traçado para 2022

F-E: Pilotos acreditam que será "quase impossível" ultrapassar em Londres

Os pilotos da Fórmula E reconhecem que as ultrapassagens serão algo "quase impossível" na versão revisada do traçado do ExCel Centre em Londres, e já pedem para que corridas futuras tragam mais mudanças na pista.

As simulações das equipes revelaram que as duas corridas devem ser próximas de sprints com pé embaixo, o que fez com que a FIA reduzisse 4kWh do total de 52kWh para introduzir um elemento de conservação de energia, o que deve levar os pilotos a optarem por estratégias diferentes.

Leia também:

A expectativa é de que isso possa evitar a grande suspeita de que o retorno a Londres seja uma procissão, mas muitos acham que a FIA não foi longe o suficiente. Combinado com grandes modificações no último setor para reduzir a velocidade, com a introdução de um hairpin e uma chicane, os pilotos acham que as oportunidades de ultrapassagem serão mínimas.

O atual campeão, António Félix da Costa, disse ao Motorsport.com: "Suspeito que, para a corrida, não é o que precisamos. Será muito difícil de ultrapassar e, acima de tudo, não há muito gerenciamento de energia".

"Não estou aqui para dizer o que a FIA tem que fazer ou não, mas a redução poderia ter sido maior para a pista. Com a redução atual, ainda será difícil de ultrapassar. É rápido demais".

O circuito provisório foi exibido pela primeira vez quando Londres estava no calendário da temporada 2019-20, mas a etapa foi cancelada devido à primeira onda da pandemia. Apesar de mudanças extensas nos três setores, os pilotos pedem ainda mais modificações para o ePrix de 2022, uma rodada dupla marcada para 30 e 31 de julho.

O bicampeão Jean-Éric Vergne, que notavelmente criticou o circuito de Puebla, afirmando que a pista estava se "decompondo", elogiou o retorno a Londres, mas acrescentou que essa "não é a melhor pista para os fãs".

"Parece legal. É a primeira vez que temos uma pista meio indoor, meio outdoor. É apertada demais para a Fórmula E, então deve ser muito difícil de ultrapassar. Talvez teremos uma procissão".

"Sou um dos pilotos que sempre pega pesado com os circuitos. Pelos próximos anos, eles mudarão o layout e teremos mais oportunidades de ultrapassagem. Mas pelo que temos no momento, será quase impossível de ultrapassar".

Atual líder do campeonato, Sam Bird acrescentou: "É extremamente apertado. Mesmo que tenhamos que fazer uma conservação extrema de energia, não acho que o circuito tenha muitas oportunidades para ultrapassar".

"Podemos fazer algumas pequenas modificações nos próximos anos para melhorar as oportunidades de passar porque agora vemos o quão difícil é com a pista seca".

CLIMA DE GUERRA: Max Wilson teme CONSEQUÊNCIA do acidente de Hamilton e Verstappen para F1; entenda

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Como fica o campeonato após guerra declarada entre Verstappen e Hamilton?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F-E Lynn fica com a pole do ePrix I de Londres; Sette Câmara é 4º e Di Grassi 7º

Artigo anterior

F-E Lynn fica com a pole do ePrix I de Londres; Sette Câmara é 4º e Di Grassi 7º

Próximo artigo

F-E: Dennis vence com folga o ePrix I de Londres; Di Grassi é 6º

F-E: Dennis vence com folga o ePrix I de Londres; Di Grassi é 6º
Carregar comentários