Felipe Fraga elege 24 Horas de Spa como a mais difícil do mundo

Tocantinense correrá a bordo do Mercedes AMG GT3 da equipe AKKA Asp Team e valoriza a oportunidade de representar o Brasil na prova neste ano na Bélgica

Felipe Fraga elege 24 Horas de Spa como a mais difícil do mundo

O Intercontinental GT Challenge começa neste final de semana com as 24 Horas de Spa-Francorchamps, na Bélgica. Em seu primeiro desafio oficial como piloto de fábrica da Mercedes, Felipe Fraga correrá a bordo do Mercedes AMG GT3 da equipe AKKA Asp Team, sendo o único brasileiro na prova neste ano na pista belga.

Leia também:

Nesta quarta-feira (28), Fraga conversou com jornalistas brasileiros e falou sobre o desafio da prova de longa duração e elegeu o traçado belga como o mais difícil entre aqueles que já teve que enfrentar em uma corrida de 24 horas.

“Spa é a mais difícil de guiar”, disse Fraga. “São poucas retas, a parte noturna da corrida é a mais escura, sem sombra de dúvida, então é uma pista que cansa fisicamente e também mentalmente. Como existem muitas curvas, não há tempo para você respirar. É até mais difícil do que Le Mans, que tem tanta reta, que você fica muito tempo de pé embaixo, só pensando, concentrando, respirando, aqui é mais loucura.”

Nos últimos anos Fraga tem se dedicado às corridas internacionais de longa duração, deixando de lado a Stock Car ao final de 2019. A categoria brasileira foi a grande vitrine do piloto, principalmente ao conquistar o título de 2016. Mesmo com a glória nacional, ele admite que talvez focasse nas provas fora do Brasil um pouco antes se soubesse que eram tão boas.

“É difícil falar isso. Tenho certeza de que se eu não tivesse corrido na Stock Car, nada disso teria acontecido. Foi a Stock que abriu as portas para a minha carreira, que mostrou quem eu era ao automobilismo. Aqui na Europa, os pilotos respeitam muito a categoria. Todo mundo sabia quem era o Daniel Serra antes de ele vencer Le Mans. Se eu soubesse que seria assim, talvez eu teria tentado começar um ano mais cedo, mas acho que foi tudo no tempo certo, nem tarde e nem cedo demais.”

E pontuou as diferenças entre os tipos de corridas: “Na Stock, você é sempre o protagonista, corre em um carro sozinho, quando você vai bem, é tudo sobre você, tem aquele prestígio a sua volta. Aqui não tem muito isso. Se você ganha, a vitória é da fábrica, da equipe, dos três pilotos, não interessa quem andou melhor. Isso divide mais a atenção. Tem gente que não gosta disso. O que estou aprendendo aqui, como piloto, como profissional, prestígio nenhum vai pagar.”

As 24 Horas de Spa começam nesta quinta-feira (29) com um primeiro treino livre às 05h50 (horários de Brasília) e um pré-classificatório às 10h45, seguidos por quatro sessões de treinos classificatórios. Além disso, haverá um treino noturno no mesmo dia às 17h30.

A Super Pole, que definirá os primeiros colocados do grid, acontece na sexta-feira (30) às 14h50, logo após um rápido warm-up às 14h10. A corrida terá largada no sábado (31) às 11h30 da manhã e acabará somente no mesmo horário do dia seguinte.

MARIANA BECKER: F1 na Globo estava LIMITADA e gerava FRUSTRAÇÃO; categoria está FELIZ com a BAND

Veja como foi a etapa de Cascavel da Stock Car

PODCAST: Como Verstappen se encaixa entre rivais históricos de Hamilton?

 

 

.

compartilhar
comentários
Carregar comentários