Indy: Ericsson sobrevive a 'voo' no começo e vence GP caótico em Nashville

Prova de estreia de Nashville teve quase 3 horas de duração, duas bandeiras vermelhas e nove amarelas

Indy: Ericsson sobrevive a 'voo' no começo e vence GP caótico em Nashville

Marcus Ericsson venceu pela segunda vez na temporada 2021 após segurar Colton Herta em uma prova caótica que marcou a estreia de Nashville na Indy, com duas bandeiras vermelhas e diversas amarelas.

Por incrível que pareça, foi uma largada sem problemas, com o pole Herta se mantendo à frente com o companheiro de Andretti Alexander Rossi em segundo. Josef Newgarden, piloto da casa, foi atingido por Graham Rahal e caiu para a 17ª posição, com danos na direção.

Leia também:

Enquanto isso, a primeira amarela surgiu na primeira volta, quando Dalton Kellet rodou e ficou parado na pista. Na relargada, Ericsson foi com tudo na traseira de Sebastien Bourdais, sendo alçado para cima e quebrando a asa dianteira.

Bourdais precisou abandonar, mas Ericsson trocou a asa e voltou à pista. A prova foi reiniciada na volta nove e Herta voltou a abrir vantagem para Rossi, Dixon e Grosjean. Na volta 15, ele estava 3s a frente de Rossi.

A amarela apareceu novamente na 16ª volta, quando Ed Jones tocou em Scott McLaughlin, que acabou rodando. Quando os boxes abriram, vários pilotos entraram para fazer suas paradas.

Relargando na volta 20, Power passou Pagenaud na curva 11, mas não havia espaço suficiente para os dois completarem o trajeto lado a lado, então Pagenaud acabou na barreira de pneus, com 11 carros parados atrás dele. O bloqueio levou ao acionamento da bandeira vermelha.

No momento da relargada, o top 5 era composto por Herta, Rossi, Dixon, Grosjean e Rosenqvist. Já Jimmie Johnson foi desclassificado por trabalho não aprovado em seu carro. 

Quando a bandeira verde foi acionada, na volta 23, Herta voltou a abrir novamente para os rivais, buscando construir uma vantagem boa para a parada. Mas foi tudo em vão. VeeKay, que não havia conseguido relargar com os outros devido a danos, foi parar na barreira de pneus na curva um, acionando a amarela pela quinta vez.

Para a sorte de Herta, seus danos foram controlados pela entrada do pace car. Ele voltou dos boxes atrás de Ericsson, Hunter-Reay e Hinchcliffe, mas a frente de Rossi, Newgarden, Daly, Harvey e Rosenqvist.

Na relargada, Ericsson se manteve na ponta, mas Herta e Rossi subiram, assumindo a terceira e quarta posições. Na sequência, Herta subiu para segundo após uma bela ultrapassagem sobre Hunter-Reay.

A sexta amarela veio na metade da prova, com Power acertando o companheiro McLaughlin, que rodou na curva quatro. Com McLaughlin parado dentro do carro, todos os demais conseguiram passar por ele sem problemas, exceto Kellet, que acertou sua asa dianteira.

Durante a amarela, a curva três ficou repleta de água, e com a noite chegando, muitos questionaram se a prova seria completada.

Entra amarela, sai amarela. A prova foi reiniciada na volta 50, mas logo foi interrompida, com O'Ward tentando passar Rossi pelo lado de dentro da curva nove, indo parar nas barreiras e levando Rossi com ele.

Na verde seguinte, na volta 58, Herta passou rapidamente por Rosenqvist e Hunter-Reay, que sofria com problemas elétricos. Com 12 voltas para o fim, sua tentativa de recuperar terreno contra Ericsson quase deu errado, com ele ficando a centímetros do muro.

Herta, que havia perdido 1s6 em sua disputa com Ericsson, foi alertado que deveria atacar novamente mas, com seis voltas para o fim, ele travou o dianteiro esquerdo na curva nove e bateu com força no muro, machucando seu pulso.

Isso forçou à segunda vermelha para a reconstrução da barreira. A prova foi reiniciada com duas voltas para o fim. Ericsson controlou bem e abriu para Dixon, que não foi ameaçado por Hinchcliffe.

Então o sueco foi o primeiro a vez a quadriculada, 02h40min após voar com seu carro e quebrar a asa na quinta volta. Dixon foi o segundo a 1s55, com Hinchcliffe completando o pódio em seu melhor fim de semana no ano.

Hunter-Reay, Rahal, Ed Jones, Alex Palou, Felix Rosenqvist, Helinho Castroneves e Josef Newgarden completaram o top 10.

F1 2021: Verstappen SUPERIOR a Hamilton? Holandês se gaba de ser MAIS RÁPIDO; veja debate

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast – A primeira metade do campeonato da F1 foi a mais incrível dos últimos anos?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Indy: Herta é pole em Nashville; Castroneves é 15º

Artigo anterior

Indy: Herta é pole em Nashville; Castroneves é 15º

Próximo artigo

Pietro Fittipaldi fala sobre F1, Indy, Stock Car e Porsche Cup

Pietro Fittipaldi fala sobre F1, Indy, Stock Car e Porsche Cup
Carregar comentários