Indy: Veja quais pilotos de F1 que já venceram as 500 Milhas de Indianápolis

Corrida foi etapa oficial do Mundial entre 1950 e 1960

Indy: Veja quais pilotos de F1 que já venceram as 500 Milhas de Indianápolis

As 500 Milhas de Indianápolis, etapa mais importante do calendário da Indy, é chamada de 'o maior espetáculo das corridas', mas, afinal, quantos pilotos de Fórmula 1 a enfrentaram e venceram?

Leia também:

Rodger Ward - 1959, 1962

  • Temporadas F1: 12 (1951 - 1960, 1963)
  • Títulos na F1: 0
  • Indy 500: 15 (1951 - 1964, 1966)
  • Vitórias na Indy 500: 2 (1959, 1962)

A Indy 500 foi uma corrida oficial da F1 entre 1950 e 1960, o que significa que as equipes e pilotos que competiram apenas na 500 também aparecem na classificação final dessas temporadas. Isso também significa que os pilotos que terminaram bem na Indy 500 poderiam bater os pilotos que tiveram uma temporada difícil na F1 - Ward, por exemplo, venceu em 1959 e marcou oito pontos ao fazê-lo - este resultado foi suficiente para vencer Graham Hill. 

A realidade é que Ward era muito mais um piloto da Indy que correu brevemente na F1. Ele disputou dois GPs dos Estados Unidos, em 1959 e em 1963, enquanto 10 das 12 participações de Ward na F1 vieram da Indy 500. Infelizmente para o piloto, o carro que guiava em Sebring na temporada de 1959 sofreu uma falha de embreagem após 20 voltas.

Quatro anos depois, Ward colocou as mãos em um Lotus 24 com motor BRM e largou em 17º de 21 carros no GP em Watkins Glen, mas abandonou devido a uma falha na caixa de câmbio.

Fora da F1, Ward foi um piloto de sucesso no grid da USAC, ganhando o título em 1959 e 1962 e terminando entre os três primeiros entre 1959 e 1964.

Roger Ward

Roger Ward

Photo by: IndyCar Series

Jim Clark - 1965

  • Temporadas na F1: 72 (1960 - 1968)
  • Títulos de F1: 2 (1963, 1965)
  • Indy 500: 5 (1963 - 1967)
  • Vitórias na Indy 500: 1 (1965)

Jim Clark é considerado um dos melhores pilotos de todos os tempos e ainda tem seu nome vinculado a diversos recordes da F1. Ele foi capaz de aplicar esse talento a várias categorias, vencendo a F1 duas vezes, a Tasman Series da Nova Zelândia três vezes e a Indy 500 uma vez antes de morrer de forma trágica em 1968.

Depois de terminar em segundo atrás de Parnelli Jones na corrida de 1963, a Lotus de Clark conquistou a pole em 1964, mas teve que desistir próximo do fim quando um pneu se soltou, danificando sua suspensão de forma irreparável. Ele voltou no ano seguinte e se classificou em segundo, mas depois dominou a corrida, liderando 190 das 200 voltas. Isso fez com que ele se tornasse apenas o segundo britânico a vencer a Indy 500, após a vitória de Dario Resta em 1916.

Clark se classificaria em segundo ao lado de Mario Andretti no ano seguinte, mas, no dia da corrida se viu atrás do colega britânico e piloto de F1 Graham Hill. Jackie Stewart, também competindo na F1 na época, era companheiro de equipe de Hill e liderava nos estágios finais quando problemas com a pressão do óleo roubaram sua vitória e entregaram a liderança para Hill ... ou Clark, dependendo de quem acreditar.

Jim Clark, Lotus 38-Ford

Jim Clark, Lotus 38-Ford

Photo by: Dave Friedman / Motorsport Images

Graham Hill - 1966

  • Temporadas na F1: 176 (1958 - 1975)
  • Títulos na F1: 2 (1962, 1968)
  • Indy 500: 3 (1966 - 1968)
  • Vitórias na Indy 500: 1 (1966)

Graham Hill é, até agora, a única pessoa a ganhar a ilustre 'Tríplice Coroa' do automobilismo' - vitórias nas 24 Horas de Le Mans, Indy 500 e no GP de Mônaco da F1. Embora tenha vencido em Le Mans e na Indy 500, seus cinco triunfos em Mônaco lhe renderam o apelido de "Sr. Mônaco", tendo o segundo maior número de vitórias no principado (atrás de Ayrton Senna com seis, e empatado com Michael Schumacher).

Hill venceu a Indy 500 em sua primeira tentativa, embora esta vitória não fosse sem disputa. Apesar de Hill ter garantido o primeiro lugar, a Lotus, do segundo colocado Jim Clark, também achou que havia vencido a corrida. Clark havia rodado duas vezes e foi capaz de continuar, e as teorias colocam que Clark não teria completado uma volta no meio do caminho. Até Hill ficou “surpreso” por ter vencido a corrida. No entanto, sem nenhum protesto oficial lançado por Clark ou seu time, sua vitória se manteve.

Graham Hill, Lola T90 Ford

Graham Hill, Lola T90 Ford

Photo by: Motorsport Images

Mario Andretti - 1969

  • Temporadas na F1: 128 (1968 - 1972, 1974 - 1982)
  • Títulos de F1: 1 (1978)
  • Indy 500: 29 (1965 - 1978, 1980 - 1994)
  • Vitórias na Indy 500: 1 (1969)

Mario Andretti competiu na Indy 500 quatro anos antes de sua carreira na F1 e detém o recorde de mais corridas disputadas entre a primeira e a última pole position, largando na frente em 1966, 1967 e 1987.

A vitória de Andretti na Indy 500 em 1969 foi dominante. Largando em segundo, liderou 116 das 200 voltas, terminando dois minutos à frente de outro futuro piloto da F1, Dan Gurney.

Andretti competiu em carros de F1 e Indy simultaneamente no final de sua carreira. Seis anos depois de vencer na F1 com a Lotus, Andretti ganhou o título da CART de 1984. No entanto, apesar de várias corridas fortes nas 500 Milhas, a vitória de 1969 segue sendo a única para ele e, de fato, para toda a dinastia Andretti.

Mario Andretti

Mario Andretti

Photo by: IndyCar Series

Mark Donohue - 1972

  • Temporadas na F1: 14 (1971, 1974 - 1975)
  • Títulos na F1: 0
  • Indy 500: 5 (1969 - 1973)
  • Vitórias na Indy 500: 1 (1972)

Mark Donohue teve apenas 14 largadas na F1 antes de morrer em um incidente durante os treinos para o GP da Áustria de 1975. Ele também teve três vitórias na USAC e uma vitória na NASCAR, bem como sucesso na Trans-Am e Can-Am, provando sua versatilidade.

Mark teve um total de cinco largadas nas 500 Milhas, se classificando entre os cinco primeiros em todas as corridas. Em sua quarta tentativa, competindo com uma McLaren para a Penske, marcou a primeira de 18 vitórias da equipe na prova mais importante do automobilismo norte-americano. Foi também a primeira vitória da equipe de Woking nas 500 Milhas, obtida com o M16.

Roger Penske; Mark Donohue

Roger Penske; Mark Donohue

Photo by: IndyCar Series

Danny Sullivan - 1985

  • Temporadas na F1: 15 (1983)
  • Títulos na F1: 0
  • Indy 500: 12 (1982, 1984 - 1995)
  • Vitórias Indy 500: 1 (1985)

Sullivan correu na F1 por apenas um ano, conquistando um único ponto em Mônaco em 1983, antes de retornar ao seu país e competir na Indy. Seu tempo na categoria americana ofereceu muito mais sucesso, já que obteve um total de 17 vitórias em 170 largadas - uma dessas vitórias foi nas 500 Milhas.

Sullivan fez 12 largadas nas 500 Milhas e venceu uma delas - a edição de 1985 - enquanto abandonou em outras oito. Mas essa vitória foi obtida de maneira espetacular: com um movimento sobre o então líder Mario Andretti, Sullivan perdeu o controle e rodou em 360 ​​graus, mas de alguma forma evitou bater e foi capaz de continuar. A partir daí, retomou a perseguição de Andretti e, na volta 140, assumiu a liderança, se mantendo até o fim da prova.

Danny Sullivan

Danny Sullivan

Photo by: IndyCar Series

Emerson Fittipaldi - 1989, 1993

  • Temporadas F1: 144 (1970 - 1980)
  • Títulos na F1: 2 (1972, 1974)
  • Indy 500: 11 (1984 - 1995)
  • Vitórias na Indy 500: 2 (1989, 1993)

Emerson Fittipaldi é um dos nomes mais conhecidos da F1, e, durante seu tempo na categoria, acumulou 14 vitórias, dois títulos e 35 pódios.

Depois de quase 11 temporadas na F1, ele se aposentou, mas seu entusiasmo para se manter no esporte o levou à Indy. Guiando um Penske, ele garantiu o título em 1989, mas é mais lembrado naquele ano por seu confronto com Al Unser Jr enquanto lutavam pela liderança das 500 Milhas. Na volta 198, eles se tocaram e Fittipaldi teve que corrigir um grande deslize. A corrida terminou em amarelo e Emerson teve sua primeira coroa.

Sua segunda vitória foi em 1993. Embora esse triunfo o tenha tornado a terceira pessoa mais velha a vencer as 500 Milhas, seu triunfo foi marcado por uma polêmica, quando decidiu tomar suco de laranja em vez do tradicional litro de leite do vencedor.

Emerson Fittipaldi, Team Penske

Emerson Fittipaldi, Team Penske

Photo by: Sutton Images

Jacques Villeneuve - 1995

  • Temporadas na F1: 163 (1996 - 2006)
  • Títulos na F1: 1 (1997)
  • Indy 500: 3 (1994 - 1995, 2014)
  • Vitórias na Indy 500: 1 (1995)

Ao contrário de muitas pessoas nesta lista, Jacques Villeneuve venceu as 500 Milhas antes de ir para a F1, entrando para o grid da Indy em 1994. Sua primeira temporada lhe rendeu três pódios, incluindo um segundo lugar nas 500 Milhas.

Muito parecido com a carreira de Villeneuve na F1, sua vitória nas 500 Milhas não foi isenta de controvérsia ou drama. Na volta 38, ele estava liderando a corrida, sem saber, quando o safety car foi acionado para que os fiscais pudessem retirar detritos do circuito. 

As regras determinavam que o líder deveria se alinhar atrás do safety car, mas, como Villeneuve não percebeu que estava na frente, passou duas vezes. Quando a corrida reiniciou, ele recebeu uma penalidade de duas voltas, caindo para o 27º lugar.

Os problemas com o safety car não foram resolvidos. Na volta 189, o pelotão estava novamente atrás do safety car, com Villeneuve em segundo, atrás de Scott Goodyear. 

Antecipando a relargada na volta 190, Goodyear diminuiu a velocidade para criar uma distância para o safety car e depois acelerou. Percebendo que eles pegariam o carro de segurança antes que ele entrasse nos boxes, Villeneuve diminuiu a velocidade. Goodyear não o fez, ultrapassando-o no meio da última curva. Isso lhe valeu um stop-and-go. Isso significa que Villeneuve foi o vencedor, tornando-se o primeiro e único canadense a vencer as 500 Milhas, e garantiu o título da CART.

Jacques Villeneuve, Team Green

Jacques Villeneuve, Team Green

Photo by: Sutton Images

Eddie Cheever - 1998

  • Temporadas na F1: 132 (1978, 1980 - 1989)
  • Títulos na F1: 0
  • Indy 500: 14 (1990 - 2002, 2006)
  • Vitórias na Indy 500: 1 (1998)

Eddie Cheever conquistou nove pódios e durante seu tempo na F1 foi companheiro de equipe de alguns dos maiores nomes do esporte: Jacques Laffite em 1982, Alain Prost em 1983 e Riccardo Patrese de 1984 a 1985.

Infelizmente para Cheever, ele não brilhou na F1, com seu melhor desempenho sendo um sétimo lugar em 1983 (quando o companheiro de equipe da Renault, Prost, foi segundo) - mas obteve maior sucesso na América do Norte. 

Eddie Cheever, Jr.

Eddie Cheever, Jr.

Photo by: IndyCar Series

Juan Pablo Montoya - 2000, 2015

  • Temporadas na F1: 94 (2001 - 2006)
  • Títulos na F1: 0
  • Indy 500: 5 (2000, 2014-2017)
  • Vitórias na Indy 500: 2 (2000, 2015)

Juan Pablo Montoya é outro piloto que passou um tempo na Indy antes da F1, entrando no paddock da categoria máxima do automobilismo já como campeão das 500 Milhas. O colombiano conquistou a primeira de suas duas vitórias na prova em 2000, um ano antes de sua estreia na F1.

Após sua passagem pela F1 na Williams e na McLaren, durante as quais obteve sete vitórias e duas vezes terminou em terceiro no Mundial, ele retornou à América do Norte e passou várias temporadas competindo pela Ganassi na NASCAR. Então, em 2013, recebeu uma ligação da Penske para se juntar a Will Power e Helio Castroneves na Indy.

Em 2014, Montoya terminou em quinto nas 500 Milhas, mas, no ano seguinte, venceu um duelo com o companheiro de equipe Power para obter a vitória por apenas um décimo de segundo. 

Ele integra uma seleta lista de dez pilotos que venceram em seus anos de estreia, que inclui também outros dois nomes da F1: Graham Hill e Alexander Rossi.

Juan Pablo Montoya

Juan Pablo Montoya

Photo by: IndyCar Series

Alexander Rossi - 2016

  • Temporadas na F1: 5 (2015)
  • Títulos na F1: 0
  • Indy 500: 5 (2016 - 2020)
  • Vitórias na Indy 500: 1 (2016)

Alexander Rossi fez sua estreia na F1 em 2015, competindo pela Manor Marussia em cinco das sete corridas finais do ano. O carro não estava nem perto do nível que precisava estar, com a equipe sem marcar pontos em toda a temporada, embora Rossi tenha terminado à frente do companheiro de equipe Will Stevens em quatro das cinco corridas.

A mudança para a Indy em 2016 provou ser muito mais frutífera para o americano. Ele venceu as 500 Milhas em sua primeira tentativa (tornando-se o décimo estreante a vencer em sua história), triunfando na 100ª edição do evento. 

Embora ele não tenha conseguido replicar o sucesso de sua estreia nas 500 Milhas, ficou em segundo no campeonato de 2018. 

Alexander Rossi, Andretti Autosport Honda

Alexander Rossi, Andretti Autosport Honda

Photo by: Barry Cantrell / Motorsport Images

Takuma Sato - 2017, 2020

  • Temporadas na F1: 90 (2002 - 2008)
  • Títulos na F1: 0
  • Indy 500: 11 (2010 - 2020)
  • Vitórias na Indy 500: 2 (2017, 2020)

Takuma Sato nunca teve muito sucesso na F1, marcando apenas 14 pontos (incluindo um único pódio no GP dos Estados Unidos de 2004).

Na Indy, onde estreou em 2010, Sato foi ao pódio cinco vezes em suas seis primeiras temporadas. O destaque foi o mergulho no lado de dentro de Dario Franchitti na última volta das 500 Milhas em 2012, onde acabou na parede, tornou-se uma estrela.

A mudança para a AJ Foyt Racing em 2013 o viu vencer em Long Beach, mas sua sorte nas 500 Milhas estagnou. 

Porém, sua ida para a Andretti em 2017 fez com que isso mudasse. Largando da segunda fila, Sato foi um dos 15 líderes ao longo da prova (um recorde das 500 Milhas). Ele venceu por apenas 0s201, depois de uma divertida luta pela vitória com Castroneves da Penske.

No ano passado, agora na Rahal Letterman Lanigan, Sato venceu novamente, desta vez depois de ultrapassar o líder de longa data Scott Dixon. Depois do grande acidente de seu companheiro de equipe, Takuma Sato teve sua segunda vitória nas 500 Milhas.

Takuma Sato, Rahal Letterman Lanigan Racing Honda

Takuma Sato, Rahal Letterman Lanigan Racing Honda

Photo by: Phillip Abbott / Motorsport Images

EXCLUSIVO: MASSA dá PITACO na crescente RIVALIDADE da F1 entre HAMILTON e VERSTAPPEN

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: O que a liderança inédita de Verstappen representa na F1?

 

compartilhar
comentários
Indy 500: Pietro Fittipaldi vê chances reais de vitória a novatos
Artigo anterior

Indy 500: Pietro Fittipaldi vê chances reais de vitória a novatos

Próximo artigo

Indy: 500 Milhas esgotam 135 mil ingressos e terão maior público em evento esportivo desde o início da pandemia

Indy: 500 Milhas esgotam 135 mil ingressos e terão maior público em evento esportivo desde o início da pandemia
Carregar comentários