Fórmula 1
29 ago
-
01 set
Evento encerrado
05 set
-
08 set
Evento encerrado
19 set
-
22 set
Evento encerrado
26 set
-
29 set
Evento encerrado
10 out
-
13 out
Evento encerrado
31 out
-
03 nov
Próximo evento em
15 dias
14 nov
-
17 nov
R
GP de Abu Dhabi
28 nov
-
01 dez
Próximo evento em
43 dias

Albon: transferência para a Red Bull é “surreal”

compartilhar
comentários
Albon: transferência para a Red Bull é “surreal”
Por:
12 de ago de 2019 21:47

Tailandês acredita que se ajustar ao carro e melhorar desempenho a cada corrida será chave para permanecer no time

A F1 acordou hoje com uma bomba: a troca de Pierre Gasly por Alexander Albon. O francês foi 'rebaixado' para a Toro Rosso, enquanto o tailandês foi 'promovido' para a Red Bull. A notícia surpreendeu a todos, até mesmo Albon, que definiu a oportunidade como surreal.

Leia também:

O novo companheiro de Max Verstappen disse em suas redes sociais: “É surreal receber essa enorme oportunidade na Red Bull. Não tenho palavras para agradecer ao time por acreditar em mim e tornar isso possível. É como um grande mergulho no oceano, mas estou com minha melhor sunga”

“Obrigado a toda a equipe da Toro Rosso, especialmente o chefe do time, Franz Tost, pela grande oportunidade na F1 e pelo suporte incondicional ao longo do meu primeiro ano. Agora vou estar focado em minha corrida de estréia com a Red Bull em Spa”.

Albon foi trazido de volta para o programa da empresa austríaca após uma temporada impressionante na Fórmula 2 em 2018, quando ele disputou o título com os protegidos da Mercedes e da McLaren, George Russell e Lando Norris, respectivamente.

O tailandês nascido em Londres foi membro do programa da Red Bull sete anos atrás, mas perdeu sua vaga no time após uma primeira temporada decepcionante nos monopostos.

Ele restabeleceu sua posição com a fabricante de energéticos com seu desempenho na F2, ganhando uma oportunidade na Toro Rosso, depois de chegar a implorar por uma vaga da DAMS quando sofreu com problemas financeiros.

Albon somou pontos em cinco provas desta temporada na F1 e só ficou para trás de seu companheiro, Daniil Kvyat, por causa do pódio conquistado pelo russo no caótico GP da Alemanha.

Antes de saber que receberia uma oportunidade na escuderia principal, Albon disse ao Motorsport.com que: “Adoraria pilotar pela Red Bull. Uma chance com eles seria definitivamente um sonho, vamos esperar para ver. Agora estou focado em fazer um trabalho bom o suficiente para ficar na Toro Rosso”.

“Eu acho que este ano está indo muito bem até agora, mas com certeza ainda quero fazer melhor e espero continuar na F1 na próxima temporada”, disse o tailandês na Alemanha.

A mudança para a Red Bull significa ter que se ajustar a um novo carro em um ambiente de maior pressão e Albon admitiu que levou algum tempo para tirar o máximo de sua Toro Rosso.

“Tive uma lição para aprender em cada fim de semana, sempre entendia algo novo que podia ser melhorado para a próxima corrida”, disse o jovem de 23 anos. “Sinto que entender o carro foi o principal  ponto nos últimos fins de semana. Acho que fui melhorando cada vez mais, conhecendo o que o carro precisava para ser mais rápido, encontrando a melhor janela de operação do equipamento”.

ACONTECEU DE NOVO

Relembre as dez demissões e substituições mais imprevisíveis, bizarras e esquisitas de todos os tempos da F1. A lista tem desde multi-campeões até pilotos que chegaram a ser apontados como novas promessas. Confira abaixo:

Galeria
Lista

10 - Jan Magnussen, Stewart - 1998

10 - Jan Magnussen, Stewart - 1998
1/23

Foto de: Sutton Motorsport Images

O dinamarquês, pai de Kevin Magnussen, fez uma prova pela McLaren em 1995, substituindo Mika Hakkinen e chamou a atenção da Stewart, que contratou o piloto para as temporadas 1997 e 1998.

10 - Jan Magnussen, Stewart - 1998

10 - Jan Magnussen, Stewart - 1998
2/23

Foto de: Sutton Motorsport Images

Mas Magnussen não acompanhava o ritmo de seu companheiro, Rubens Barrichello. O tricampeão Jackie Stewart, dono da equipe, chegou a dar algumas voltas em um carro com o dinamarquês para tentar ensiná-lo, mas desistiu e demitiu o piloto após o GP do Canadá de 1998.

9 -Cristiano da Matta, Toyota - 2004

9 -Cristiano da Matta, Toyota - 2004
3/23

Foto de: Toyota Racing

O brasileiro, campeão da Indy (CART) em 2002, conseguiu uma vaga na Toyota para a segunda temporada da equipe na F1, em 2003. O carro nunca chegou a ser competitivo no período em que da Matta correu pelo time.

9 -Cristiano da Matta, Toyota - 2004

9 -Cristiano da Matta, Toyota - 2004
4/23

Foto de: Brousseau Photo

A relação entre piloto e equipe azedou em 2004. Nos bastidores, da Matta fez críticas ao carro da equipe que não foram bem recebidas. Além disso, Ralf Schumacher havia sido contratado para 2005 e o brasileiro ficou sem espaço para a permanência.

8 -Michele Alboreto, Tyrrell - 1989

8 -Michele Alboreto, Tyrrell - 1989
5/23

Foto de: Tom Haapanen

Naquele ano, o italiano estava retornando para a equipe que o revelou depois de bons anos na Ferrari. No entanto, a relação durou pouco tempo, oficialmente o problema foi por conta do patrocinador do piloto.

8 -Michele Alboreto, Tyrrell - 1989

8 -Michele Alboreto, Tyrrell - 1989
6/23

Foto de: LAT Images

Alboreto tinha a marca de cigarros Marlboro como sua patrocinadora pessoal, e no começo da temporada, a Tyrrell assinou com a concorrente Camel para estampar suas cores no carro. O italiano foi pressionado a romper com sua apoiadora.

8 -Michele Alboreto, Tyrrell - 1989

8 -Michele Alboreto, Tyrrell - 1989
7/23

Foto de: LAT Images

Como se negou a romper com a Marlboro, Alboreto deixou a Tyrrell e foi para a Larousse, que curiosamente também contava com o apoio da Camel. Isso levantou dúvidas sobre o verdadeiro motivo do fim do casamento de Alboreto com a Tyrrell.

7 -Nick Heidfeld, Lotus Renault F1 - 2011

7 -Nick Heidfeld, Lotus Renault F1 - 2011
8/23

Foto de: XPB Images

O alemão que estava sem vaga para aquele ano, foi contratado às pressas pela Renault para a vaga de Robert Kubica após o polonês sofrer um grave acidente. Heidfeld chegou a conquistar um pódio pela equipe naquele ano.

7 -Nick Heidfeld, Lotus Renault F1 - 2011

7 -Nick Heidfeld, Lotus Renault F1 - 2011
9/23

Foto de: XPB Images

No entanto, a Renault tinha interesse em dar lugar ao brasileiro Bruno Senna e precisava manter Vitaly Petrov, visto que o russo trazia grandes patrocínios para o time. Então, após um incêndio no carro de Heidfeld na Alemanha, a equipe decidiu romper o contrato com o alemão

6 - Jacques Villeneuve, BMW Sauber - 2006

6 - Jacques Villeneuve, BMW Sauber - 2006
10/23

Foto de: XPB Images

A BMW se dizia satisfeita com o desempenho de Villeneuve, no entanto, a personalidade do canadense e a irregularidade podem ter pesado para sua saída. Após sofrer um acidente no GP da Alemanha, a equipe comunicou a imprensa que o piloto não correria na Hungria para se recuperar.

6 - Jacques Villeneuve, BMW Sauber - 2006

6 - Jacques Villeneuve, BMW Sauber - 2006
11/23

Foto de: BMW AG

Mas a equipe estava aproveitando a oportunidade para testar Robert Kubica e logo após a prova de Budapeste, confirmou a substituição definitiva do campeão mundial pelo jovem prodígio.

5 - Michael Andretti, McLaren - 1993

5 - Michael Andretti, McLaren - 1993
12/23

Foto de: Sutton Motorsport Images

O americano, filho do campeão Mario Andretti, foi contratado pela equipe americana para substituir Gerhard Berger como companheiro de Ayrton Senna. Após colecionar sucessos na Indy, Andretti chegou badalado à F1.

5 - Michael Andretti, McLaren - 1993

5 - Michael Andretti, McLaren - 1993
13/23

Foto de: Sutton Motorsport Images

Mas o desempenho dele deixou a desejar. Enquanto Senna somou 73 pontos no campeonato, Andretti fez apenas 7. Então a equipe decidiu demitir o piloto e substituí-lo por Mika Hakkinen nas últimas provas daquele ano.

5 - Michael Andretti, Mclaren - 1993

5 - Michael Andretti, Mclaren - 1993
14/23

Foto de: Sutton Motorsport Images

A pedido da família do piloto, a McLaren manteve ele para o GP da Itália, já que os Andretti têm origem naquele país. Surpreendentemente, o americano subiu ao pódio naquela que seria sua última corrida na F1.

4 - Jarno Trulli, Renault - 2004

4 - Jarno Trulli, Renault - 2004
15/23

Foto de: Brousseau Photo

Talvez o maior exemplo de como as coisas podem mudar rápido na F1, o italiano que começou aquele ano sendo festejado pela equipe francesa após sua vitoria em Mônaco, foi demitido 9 corridas depois. A equipe apontou ele como responsável pela perda da segunda colocação no mundial de construtores para a BAR.

4 - Jarno Trulli, Renault - 2004

4 - Jarno Trulli, Renault - 2004
16/23

Foto de: LAT Images

No sentido contrário, o italiano apontou que o time não estava bem. Além disso, foi dito na época que a equipe não queria ter alguém que ameaçasse a liderança de Fernando Alonso. O piloto foi demitido e seu juntou à Toyota no mesmo ano.

3 - Roberto Moreno, Benetton - 1991

3 - Roberto Moreno, Benetton - 1991
17/23

Foto de: LAT Images

O brasileiro não teve mau desempenho na Benetton, mas após a estréia de Michael Schumacher pela Jordan no GP da Bélgica, o chefe da equipe, Flávio Briatore, decidiu trazer o alemão para o time. Entre Moreno e Nelson Piquet, decidiram manter o tricampeão no time.

3 - Roberto Moreno, Benetton - 1991

3 - Roberto Moreno, Benetton - 1991
18/23

Foto de: LAT Images

Moreno foi contratado pela Jordan, ocupando a vaga que seria de Schumacher. Nos anos seguintes, o alemão conquistou títulos e vitórias com a ex-equipe do brasileiro.

2 - Daniil Kvyat, Red Bull - 2016

2 - Daniil Kvyat, Red Bull - 2016
19/23

Foto de: XPB Images

O russo substituiu Sebastian Vettel na Red Bull em 2015 e chegou fazendo frente à Daniel Ricciardo. Em 2016, o piloto continuou mostrando crescimento, mas um erro no GP da Rússia, onde bateu na traseira de Vettel e lidou com a situação com sarcasmo, custou caro.

2 - Daniil Kvyat, Red Bull - 2016

2 - Daniil Kvyat, Red Bull - 2016
20/23

Foto de: XPB Images

Após reclamações de Vettel a sua ex-equipe, aliado a pressão para promover a sensação Max Verstappen, fizeram a Red Bull rebaixar Kvyat para seu time "B", trazendo o jovem holandês para seu lugar. O russo teve uma grande queda de desempenho após essa troca e deixou a F1 no fim de 2017.

2 - Daniil Kvyat, Red Bull - 2016

2 - Daniil Kvyat, Red Bull - 2016
21/23

Foto de: Andy Hone / Motorsport Images

Após um ano como piloto de testes da Ferrari, Kvyat teve um retorno imprevisível pela Toro Rosso. Com o mau desempenho de Pierre Gasly na Red Bull e o bom momento do russo no time "B", principalmente após o pódio na Alemanha, especula-se que ele voltará para a escuderia principal em 2020.

1 - Alain Prost, Ferrari - 1991

1 - Alain Prost, Ferrari - 1991
22/23

Foto de: LAT Images

O então tricampeão havia anunciado a renovação de seu contrato poucos dias, quando revelou em uma entrevista que havia negociado uma transferência para a Ligier, mas que desistiu da ideia. Isso gerou cobranças por parte dos italianos que se sentiram traídos.

1 - Alain Prost, Ferrari - 1991

1 - Alain Prost, Ferrari - 1991
23/23

Foto de: LAT Images

Na sequência, Prost se envolveu em nova polêmica, no GP do Japão, onde criticou publicamente a Ferrari pela quebra de seu carro e pelo ambiente de pressão da equipe. Os italianos não perdoaram e demitiram o francês, que nem chegou a disputar a última prova daquele ano.

Próximo artigo
Relembre dança das cadeiras da Red Bull

Artigo anterior

Relembre dança das cadeiras da Red Bull

Próximo artigo

Raikkonen abre o jogo e fala sobre fama de alcoólatra, cigarro e como os filhos mudaram sua vida

Raikkonen abre o jogo e fala sobre fama de alcoólatra, cigarro e como os filhos mudaram sua vida
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Alexander Albon
Equipes Red Bull Racing Compre Agora
Autor Scott Mitchell