Carey quer motores “barulhentos, baratos e melhores” na F1

Diretor comercial da categoria quer estimular competitividade com regulamento mais simples e avisa, porém, que não quer frear a tecnologia

Carey quer motores “barulhentos, baratos e melhores” na F1
Sebastian Vettel, Ferrari SF70H, Kimi Raikkonen, Ferrari SF70H, Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08, Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08, Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB13, Fernando Alonso, McLaren MCL32, at the start
The lights come on and a marshal gives the green flag for the start
Kimi Raikkonen, Ferrari SF70-H at the start of the race
The start of the race
Sebastian Vettel, Ferrari SF70-H leads at the start of the race
Start action
Carregar reprodutor de áudio

Chase Carey, diretor comercial da F1, afirmou que a categoria deverá buscar motores “mais barulhento, mais baratos e melhores” na próxima mudança do regulamento técnico, em 2021.

Atualmente, a categoria ainda discute a situação de seus propulsores para o futuro próximo. O que já se definiu foi que as atuais unidades V6 turbo híbridas deverão ser substituídas por uma fórmula mais simples a fim de facilitar a entrada de novas fabricantes e reduzir custos.

Segundo Carey, a filosofia é simples: “Tiro o chapéu para a Mercedes, que conseguiu tirar o máximo do que temos agora. Mas a diferença de performance não é muito boa. Então, queremos simplificar as coisas com o lema: mais barulhento, mais barato e melhor”, explicou, em entrevista à revista alemã Auto Bild.

De acordo com o dirigente, a adoção de um regulamento mais simples facilitará na contenção de custos. “Há equipes que gastam US$ 500 milhões por ano, enquanto outras gastam US$ 100 milhões. Isso atrapalha e distorce a competição. A meta deve ser que as equipes possam ganhar dinheiro com o esporte. Hoje em dia, nenhuma equipe consegue lucro”, argumentou.

No entanto, Carey negou que a categoria poderá ter um retrocesso tecnológico. “Não me entenda mal: não queremos frear a tecnologia. A F1 permanecerá um laboratório para fabricantes, mas, ao mesmo tempo, também será um esporte.”

compartilhar
comentários
Paul Ricard prevê curva a 340 km/h em GP de 2018
Artigo anterior

Paul Ricard prevê curva a 340 km/h em GP de 2018

Próximo artigo

VÍDEO: série mostra intimidade e carros históricos de Piquet

VÍDEO: série mostra intimidade e carros históricos de Piquet
Carregar comentários