Caterham admite ano frustrante, mas ainda mira meio do grid

O chefe da equipe Cyril Abiteboul diz que time já esperava um ano difícil devido a carro híbrido, mas não tão tanto

Caterham admite ano frustrante, mas ainda mira meio do grid
Carregar reprodutor de áudio

Desde que entrou na F1 ao lado de HRT e Marussia, a Caterham sempre foi, entre as nanicas, aquela que mais aparentava que poderia subir de status e competir no meio do pelotão. Passadas mais de três temporadas, no entanto, o time continua sofrendo no final do grid e este ano está em último lugar, após ser batida pela Marussia em cinco das sete provas da temporada.

Ao site da F1, o diretor da equipe Cyril Abiteboul admitiu que a Caterham não está onde gostaria, embora diga que o ano de 2013 está indo de acordo com que o time esperava. “Olhando para a temporada em geral, ela está sendo como provavelmente imaginávamos, mas isto não significa que estamos onde queríamos estar”, disse Abiteboul, sobre a 11º colocação do time no mundial de construtores.

“Começamos a temporada com um carro híbrido de 2012 e 2013 e nos GPs em que colocamos várias peças novas, no Bahrein e Espanha, tivemos progressos. A verdade é que 2013 será uma temporada difícil, mas acredito que conseguiremos o objetivo do início do ano, que é diminuir a diferença para o meio do pelotão”, observou o dirigente.

Abiteboul não credita toda essa dificuldade à dupla de jovens pilotos e lembrou do ponto alto do time no ano, quando Giedo van der Garde conseguiu avançar ao Q2. “Foi o grande momento do time, principalmente por ver um piloto novato ganhando confiança e levando com ele toda a equipe. Acredito que os dois pilotos estão fazendo progressos paralelamente, de forma diferente. Charles (Pic) é mais reservado mas também mostra que está crescendo a cada corrida, principalmente em relação à administração dos pneus, após um começo de muito aprendizado”, comentou o francês, que não vê a hora de a equipe marcar seu primeiro ponto e espera que a história do ano passado se repita, quando a Caterham passou a Marussia na última prova.

“Não sei quando virá o primeiro ponto, provavelmente será quando menos esperamos e mais merecemos. Em relação à Marussia, sabemos que eles têm feito um grande trabalho e que será uma disputa emocionante. Mas se terminar como em 2012, será ótimo”, brincou.

compartilhar
comentários
Pérez diz que não se importa com má fama entre pilotos
Artigo anterior

Pérez diz que não se importa com má fama entre pilotos

Próximo artigo

Primeiro a vencer pela Ferrari na F-1, José Froilán González morre

Primeiro a vencer pela Ferrari na F-1, José Froilán González morre
Carregar comentários