Chefe da Renault alfineta Red Bull: Parece que não fazem muito melhor com a Honda

compartilhar
comentários
Chefe da Renault alfineta Red Bull: Parece que não fazem muito melhor com a Honda
Por:

Cyril Abiteboul afirmou que a equipe austríaca “perdeu um truque” da F1 moderna sobre ser independente de seu fornecedor de motores

O chefe da Renault, Cyril Abiteboul, diz que a Red Bull está pagando o preço por "perder um truque" de sempre ser independente de seu fornecedor de motores. A Red Bull busca alcançar a Mercedes novamente nesta temporada, com o time sediado em Milton Keynes tendo uma tradição de começar as campanhas com atrás antes de se recuperar conforme o ano avança.

Embora a Red Bull diga que não há uma explicação óbvia para o motivo de nem sempre ter começado as temporadas recentes com força, Abiteboul acredita que a equipe pode estar sendo prejudicada.

Leia também:

Abiteboul sugeriu que, com as equipes de F1 precisando que tudo esteja perfeitamente alinhado para ter sucesso, a Red Bull está sofrendo porque não é dona de sua própria divisão de motores.

Falando a jornalistas, Abiteboul disse: "Eu acho que a Red Bull é uma equipe fantástica, mas na minha opinião, perdeu um truque da Fórmula 1 moderna, onde você não pode ter uma organização de chassi e motor que sejam tão distintos".

“Não dá para pensar nisso se quiser lutar por vitórias de maneira consistente”.

"Então, provavelmente, as dificuldades que pode enfrentar no início da temporada, mas eventualmente mesmo durante toda a temporada, são uma demonstração disso: você realmente precisa ser um grupo de pessoas, uma equipe, com uma mentalidade”.

Abiteboul sugeriu que esse estado de coisas provavelmente explica por que o relacionamento Red Bull/Renault talvez não tenha alcançado tudo o que queria juntos na era híbrida.

"Não conseguimos fazer isso todos juntos", disse Abiteboul. “Parece que eles [Red Bull] não conseguem fazer muito melhor com a Honda".

"Mas isso apenas mostra que há um nível de complexidade e perfeição que é necessário na Fórmula 1 para vencer e, em particular, para vencer a Mercedes”.

Toto Wolff, chefe da Mercedes, concordou com a visão de Abiteboul de que tudo precisava funcionar em perfeita harmonia para que o sucesso fosse alcançado.

"A Red Bull tem todos os recursos, humanos e financeiros para competir na frente", disse Wolff. “E eu acho que tiveram aqueles grandes anos com a Renault, começando em 2010 com quatro campeonatos consecutivos.”

"Como o Cyril disse, trata-se de colocar todas as coisas juntas. Cada parâmetro é necessário para chegar lá. E não é apenas a relação do motor e do chassi que precisa ser forte. É também sobre colocar todos os componentes, todos esses ganhos juntos, para desempenhar bem.”

Todas as notícias sobre o GP da Itália da F1 você acompanha no Motorsport.com e em nosso canal no YouTube. Fique por dentro de todas as novidades e análises e confira nossos programas e vídeos!

SEXTA-LIVRE: Passeio da Mercedes, batida de Verstappen, reestruturação da Renault e notícias da F1

PODCAST: O que será da F1 no Brasil em 2021, sem Globo, pilotos e corrida?

 

F1: Ricciardo diz que não esperava que Ferrari tivesse tantos problemas em 2020

Artigo anterior

F1: Ricciardo diz que não esperava que Ferrari tivesse tantos problemas em 2020

Próximo artigo

Análise técnica: Veja o que as equipes trouxeram para GP da Itália direto do paddock

Análise técnica: Veja o que as equipes trouxeram para GP da Itália direto do paddock
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Red Bull Racing
Autor Jonathan Noble