Chefe da Williams afirma que decisão de liberar Russell para Mercedes foi correta

Para Simon Roberts, isso deve ajudar Russell e a Williams para o próximo ano

Chefe da Williams afirma que decisão de liberar Russell para Mercedes foi correta

O chefe interino da Williams na Fórmula 1, Simon Roberts, afirmou que a grande estreia de George Russell pela Mercedes na sexta prova que a liberação para que ele corresse no lugar de Lewis Hamilton foi a decisão "mais correta"

Russell terminou o dia liderando as duas sessões de treinos e com o melhor tempo do final de semana até então, apesar de Valtteri Bottas ter entregue uma volta melhor no TL2, que foi deletada por exceder limites de pista.

Leia também:

O britânico foi liberado pela Williams para correr pela Mercedes após negociações que duraram toda a terça-feira, enquanto a papelada foi finalizada durante a noite.

"É incrível", disse Roberts. "Tenho certeza que ele não teria como sonhar com um dia melhor que esse. Isso mostra que foi a decisão mais correta. Acertamos em dá-lo a chance. Do ponto de vista esportivo, é uma grande oportunidade para ele".

"Desejamos o melhor. Ele vai voltar mais forte e é isso que queremos, mas também estará um pouco frustrado quando voltar ao nosso carro! Mas isso nos ajudará a evoluir também. Então desejamos o melhor. Ele tem todo o nosso apoio e, como ele disse, segue sendo um piloto da Williams".

Roberts admitiu que não sabia do resultado positivo de Hamilton até que Wolff entrasse em contato indicando que queria Russell no carro. A Williams liberou o britânico e trouxe seu piloto reserva, Jack Aitken, para o lugar.

"No começo da terça, eu estava trabalhando e não havia olhado o noticiário. Então não sabia. Descobri com uma mensagem e ligação de Toto. Só aí vi as notícias".

"Temos um relacionamento próximo com a Mercedes há algum tempo, usando os motores deles. Então sempre houve uma porta aberta para essa conversa e, eventualmente, chegamos a um acordo. Não foi tão difícil".

Perguntado se a Williams havia considerado outros pilotos, Roberts disse: "Pensamos, mas assim que soubemos que Jack estava apto, sem problemas em ter uma liberação de sua equipe na F2, estávamos felizes".

"Não foi tão fácil, eu tinha Jack em um telefone, Toto em outro, e disse a Jack: 'Olha, acho que vai acontecer, mas não fechamos nada. Se acontecer, você está pronto?'. E ele ficou muito animado mas não podia dizer nada. O coitado teve que segurar isso por um dia".

Roberts ainda disse que preparar Aitken para o fim de semana foi tranquilo, já que ele conhece bem a equipe.

"Ele já andou com o carro antes. Não acho que ele teve os problemas que George teve na Mercedes para caber no carro. Já tínhamos um assento para ele aqui. Então só testamos tudo na quinta e atualizamos ele sobre as novidades do carro".

"Sabemos que ele pode comandar o carro e temos confiança disso. Vamos cuidar de todo o resto, dar todo o apoio. Então é isso que estamos fazendo".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

SEXTA-LIVRE: O brilho de Russell e os destaques do dia de atividades pré-GP de Sakhir de Fórmula 1

PODCAST: O 'milagre' Grosjean e o que Pietro Fittipaldi pode fazer em estreia na F1

 

compartilhar
comentários
Mercedes: Sakhir não é batalha entre Russell e Bottas por vaga em 2022

Artigo anterior

Mercedes: Sakhir não é batalha entre Russell e Bottas por vaga em 2022

Próximo artigo

Acompanhe o terceiro treino livre para o GP de Sakhir da Fórmula 1 em Tempo Real

Acompanhe o terceiro treino livre para o GP de Sakhir da Fórmula 1 em Tempo Real
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper