Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
23 dias
06 mai
Próximo evento em
65 dias
20 mai
Próximo evento em
79 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
93 dias
10 jun
Próximo evento em
100 dias
24 jun
Próximo evento em
114 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
121 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
135 dias
29 jul
Próximo evento em
149 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
177 dias
02 set
Próximo evento em
184 dias
09 set
Próximo evento em
191 dias
23 set
Próximo evento em
205 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
212 dias
07 out
Próximo evento em
219 dias
21 out
Próximo evento em
233 dias
28 out
Próximo evento em
240 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
276 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
285 dias

Claire Williams apoia banimento das grid girls na F1

Única mulher chefe de equipe na categoria diz que novidade “foi uma decisão que o esporte precisava tomar”

compartilhar
comentários
Claire Williams apoia banimento das grid girls na F1
Claire Williams, Deputy Team Principal, Williams
Claire Williams, Williams Deputy Team Principal in the Press Conference
Claire Williams, Deputy Team Principal, Williams, Marta Garcia, Renault Sport F1 Team Sport Academy, at a Women in Motorsport Press Conference
Susie Wolff
Susie Wolff, Claire Williams, Deputy Team Principal, Williams, Marta Garcia, Renault Sport F1 Team Sport Academy, Michelle Mouton, at a Women in Motorsport Press Conference
Former racer Susie Wolff talks, Jenson Button, McLaren

Chefe da equipe Williams na F1, Claire Williams expressou seu apoio à decisão da categoria em eliminar a função de grid girls a partir da temporada de 2018.

Na última semana, a chefia da F1 anunciou o fim imediato das grid girls em suas provas, o que prontamente gerou grande debate e controvérsia.

Porém, a dirigente, única mulher chefe de equipe na F1, disse à emissora inglesa BBC Sport que se tratou de “uma decisão que o esporte precisava tomar”, já que, mesmo que as grid girls fossem “longa tradição”, era preciso “não ficar parado no tempo”.

Além disso, ela mostrou a esperança de que a F1 pudesse “atrair mais mulheres aos vários cargos disponíveis na indústria” e que a categoria, agora, deveria “se focar em melhorar ainda mais para manter seu crescimento e avanço”.

A BBC Sport também ouviu Susie Wolff, ex-piloto de testes da Williams e pioneira do programa Dare To Be Different, destinado a aproximar mulheres de todas as atividades do automobilismo.

A escocesa reconheceu que a novidade não removerá todos os empecilhos das mulheres no ramo, mas entende que trata-se de um passo correto.

“Você pode dizer, em um lado positivo, que os chefes da F1 deixaram uma mensagem muito clara com a decisão. Isso não mudará de uma hora para outra a falta de representatividade feminina no automobilismo, mas pode ser um passo na direção correta? Acho que sim”, comentou.

“Vamos pegar as mulheres de sucesso no esporte e transformá-las em exemplos para inspirar outras. Vamos trazer garotas da escolha e colocá-las perto de um carro da F1 para fazê-las sonhar. Vamos aumentar a gama de talentos para garotas e mulheres que estão entrando no esporte”, completou. 

McLaren se diz focada em dar carro dócil a pilotos

Artigo anterior

McLaren se diz focada em dar carro dócil a pilotos

Próximo artigo

McLaren estima ganho de 1s com adoção do motor Renault

McLaren estima ganho de 1s com adoção do motor Renault
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1