Diretor da Mercedes defende regulamento híbrido da F1

Paddy Lowe diz que era híbrida “restaurou a coisa como costumava ser” nos primeiros anos da categoria

Diretor da Mercedes defende regulamento híbrido da F1
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 Team W07 on the grid
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB12 and Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 Team W07
Paddy Lowe, Mercedes AMG F1 Executive Director (Technical)
Race winner Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 celebrates with Paddy Lowe, Mercedes AMG F1 Executive Director
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 Team W07
Carregar reprodutor de áudio

Dominadora deste início de era híbrida da Fórmula 1, a Mercedes não acredita que os anos de 2014 e 2015 tenham levado a categoria a um caminho ruim. Segundo o diretor-técnico do time alemão, Paddy Lowe, o desenvolvimento de motores tem de continuar sendo um terreno próprio para diferenciar o desempenho final de cada time.

Ele diz que a raiz da Fórmula 1 sempre foi premiar os que tinham os melhores motores e que não entende as críticas que a categoria recebe no momento.

"A coisa interessante que surgiu a partir destes regulamentos de motores é essa noção de que a unidade de potência não deve ser um diferencial", disse Lowe à ESPN.

"Tivemos esse breve período na história da Fórmula 1 quando os motores foram congelados, mas para mim isso é uma anomalia. Está no nome: chamamos isso de esporte a motor por uma boa razão.”

"Então, o motivo pelo qual não deveríamos pensar que o motor não é um diferencial está além de mim. Acho que apenas restauramos a coisa como ela sempre costumava ser, o que eu acho que é absolutamente correto.”

“Se a Fórmula 1 deve ser uma competição de homens e tecnologia, então tem de ser a tecnologia pura e não só o pouco que as pessoas querem."

compartilhar
comentários
Ferrari estreará nova asa dianteira para pistas rápidas
Artigo anterior

Ferrari estreará nova asa dianteira para pistas rápidas

Próximo artigo

Renault não vê desculpas para mau início de ano

Renault não vê desculpas para mau início de ano