Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
67 dias
06 mai
Próximo evento em
109 dias
20 mai
Próximo evento em
123 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
137 dias
10 jun
Próximo evento em
144 dias
24 jun
Próximo evento em
158 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
165 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
179 dias
29 jul
Próximo evento em
193 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
221 dias
02 set
Próximo evento em
228 dias
09 set
Próximo evento em
235 dias
23 set
Próximo evento em
249 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
256 dias
07 out
Próximo evento em
263 dias
21 out
Próximo evento em
277 dias
28 out
Próximo evento em
284 dias
05 nov
Próximo evento em
292 dias
R
GP da Austrália
18 nov
Próximo evento em
305 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
320 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
329 dias

Diretor de prova da F1 defende punição no grid a Vettel

compartilhar
comentários
Diretor de prova da F1 defende punição no grid a Vettel

Depois de tomar três posições de penalidade por não diminuir em uma bandeira vermelha no TL1, piloto critica FIA, mas Charlie Whiting rebate

Diretor de prova da F1, Charlie Whiting crê que as regras de bandeira vermelha, que fizeram Sebastian Vettel perder três posições no grid de largada em Austin, são bem claras.

O piloto da Ferrari se opôs à penalidade que recebeu por ter demorado demais para reduzir sua velocidade para bandeiras vermelhas na primeira sessão de treinos livres de sexta-feira. No entanto, Whiting disse que é necessário ter regras claras para aplicá-las de forma consistente.

"É melhor ter uma regra dura e rápida, porque nos perguntam continuamente o quanto eles têm que desacelerar", disse ele.

"É como com mais ou menos tudo o que as equipes fazem nos carros, eles querem saber o quanto eles podem fazer. Eles têm um limite claro e é uma coisa fácil de seguir. Eu acho que foi um erro do piloto.”

No início da temporada, a FIA ampliou a meta de tempo delta que é usada para controlar as velocidades dos pilotos sob Safety Car e Virtual Safety Car.

“Eu acho que é uma abordagem perfeitamente lógica, porque o principal era que não havia exigência de dizer exatamente o quanto você tinha que diminuir a velocidade em uma bandeira vermelha, e isso era diferente quando um Safety Car ou um VSC entravam.”

“Você era informado sobre o quanto precisava diminuir a velocidade para um VSC e um SC, mas não para uma bandeira vermelha. Então, isso foi uma coisa lógica a se fazer. As equipes sentiram que precisávamos usar exatamente o mesmo sistema para uma bandeira vermelha.”

A nova regra foi aplicada de forma consistente, acredita Whiting.

"Já tivemos três casos em que os pilotos não cumpriram isso. Um deles foi um erro do piloto, que admitiu o que fez: Daniel [Ricciardo] na Austrália."

“Tivemos Esteban [Ocon] em Suzuka e Seb dessa vez, e não sei exatamente o que eles fizeram, porque eles não aderiram ao tempo do delta, como chamamos. Mas eles parecem administrar isso perfeitamente quando estão sob Safety Car ou VSC.”

"Eu não sei se é uma questão de pilotos não se lembrarem, talvez. É muito claro, cada painel de luz estava mostrando vermelho brilhante, não é como se você pudesse realmente não ver isso.”

A penalidade de Ricciardo no primeiro fim de semana de corrida estabeleceu um precedente para a penalidade de Vettel, explicou Whiting.

"Se alguém não diminuir para uma bandeira vermelha, acho algo sério. Em nossas diretrizes, temos uma penalidade de grid de cinco posições. Diretrizes são exatamente como o nome indica, diretrizes.”

“Os comissários sentiram que o que Daniel fez em Melbourne não era muito sério, e impuseram uma penalidade menor. É claro que ele sentiu que era uma penalidade enorme, mas abriu um precedente. Eu acho que quando você olha para isso friamente, é uma coisa ruim não desacelerar o suficiente para uma bandeira vermelha, mas é a regra.”

Hartley: Mereço seguir na Toro Rosso em 2019

Artigo anterior

Hartley: Mereço seguir na Toro Rosso em 2019

Próximo artigo

FIA quer discutir controvérsia do aro com equipes da F1

FIA quer discutir controvérsia do aro com equipes da F1
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1