Donos da F1 miram calendário com mais de 21 provas em 2019

Desejo de novos proprietários da categoria seria mais de 21 etapas a partir de 2019

Donos da F1 miram calendário com mais de 21 provas em 2019
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08, leads Max Verstappen, Red Bull Racing RB13, Kimi Raikkonen, Ferrari SF70H, Felipe Massa, Williams FW40, and the remainder of the field at the start
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08, leads Sebastian Vettel, Ferrari SF70H, Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08, Kimi Raikkonen, Ferrari SF70H, at the start
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08, leads Sebastian Vettel, Ferrari SF70H, and Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08, at the start of the race
Start action
Sebastian Vettel, Ferrari SF70H leads at the start of the race
Jean Todt, President, FIA, Guenther Steiner, Team Principal, Haas F1 Team
Gunther Steiner speaking to Sean Bratches
Jean Todt, President, FIA, Chase Carey, Chairman, Formula One
Carregar reprodutor de áudio

O chefe de marketing da F1, Sean Bratches, disse que está trabalhando com o chefe esportivo da categoria, Ross Brawn, para definir o calendário do próximo ano e confirmou que haverá 21 corridas, com a França e a Alemanha voltando e a Malásia saindo do campeonato.

A partir da temporada seguinte, o objetivo é adicionar mais corridas com foco no restabelecimento no mercado principal, a Europa, bem como aumentar o alcance nos Estados Unidos, Ásia e América Latina.

Quando perguntado pelo Motorsport.com sobre os planos futuros para o calendário, Bratches disse: "Queremos trabalhar em parceria com nossas equipes em termos de determinar para onde vamos."

"Mas nossa visão é que gostaríamos de ter mais de 21 provas e queremos ser um pouco mais pró-ativos."

"Tenho um estudo de impacto econômico no mercado agora para realmente entender os benefícios de trazer o circo de Fórmula 1 para uma cidade, um país, um principado."

"Temos que trabalhar em estreita colaboração com os nossos parceiros à frente das equipes para descobrir o que é a marca e o que faz sentido para todos."

Bratches disse que uma solução para aliviar a pressão sobre o pessoal da F1 seria reduzir o número de corridas consecutivas.

Tal movimento poderia levar a um inverno ainda mais curto ou ao corte das férias de verão.

"Nós não queremos ter muitos 'back-to-backs', disse ele. "Estamos tentando alinhar essas coisas por território. As corridas europeias, as corridas americanas, as corridas asiáticas, mas fica difícil em termos de clima e gerenciar os contratos."

Bratches acrescentou que a F1 está interessada em evitar conflitos com outros eventos esportivos.

O presidente da FIA, Jean Todt, se encontrou com o chefe esportivo da F1, Ross Brawn, o presidente do Mundial de Endurance, Gerard Neveu, e o CEO da Fórmula E, Alejandro Agag, em Mônaco para discutir uma maior colaboração no planejamento do calendário no futuro.

Brawn também se encontrou com o chefe da Dorna, Carmelo Ezpeleta, na Espanha, para discutir os conflitos com a MotoGP.

"Estamos muito interessados em fazer o melhor para os fãs, na medida em que há oportunidades de evitar circunstâncias em que há conflitos", disse ele.

"No próximo ano, há um fim de semana em que a final de Wimbledon e a Copa do Mundo acontecem no mesmo dia do GP da Inglaterra. Seria improdutivo ter a corrida neste dia."

Quando perguntado se há um plano para manter as férias de verão de quatro semanas, Bratches disse: "Estamos tentando ser respeitosos com todos na F1, incluindo jornalistas, para garantir que todos tenham uma pausa adequada com suas famílias e algum tempo de inatividade".

compartilhar
comentários
Williams comemora aniversário de 40 anos em Silverstone
Artigo anterior

Williams comemora aniversário de 40 anos em Silverstone

Próximo artigo

Críticas a Stroll são "extremamente injustas", diz Williams

Críticas a Stroll são "extremamente injustas", diz Williams
Carregar comentários