Em pior grid no Brasil, Massa torce por “corrida maluca”

Em 13º no grid de largada, brasileiro lamenta não poder retribuir carinho da torcida no autódromo

Em pior grid no Brasil, Massa torce por “corrida maluca”
Felipe Massa, Williams, waves to the crowd after Q2
Felipe Massa, Williams FW38
Felipe Massa, Williams FW38
Valtteri Bottas, Williams, and Felipe Massa, Williams, are interviewed
Felipe Massa, Williams FW38
Felipe Massa, Williams FW38
Felipe Massa, Williams FW38
Felipe Massa, Williams
Felipe Massa, Williams FW38
Felipe Massa, Williams FW38
Carregar reprodutor de áudio

Se a sexta-feira deu grandes esperanças a Felipe Massa de poder fazer um bom trabalho em seu último GP do Brasil, o sábado acabou tirando um pouco o otimismo do brasileiro. O piloto vinha com ritmo que o levaria ao Q3 durante a primeira fase do treino classificatório, mas acabou tendo problemas de equilíbrio no carro durante a segunda fase na classificação e não conseguiu fazer melhor que um 13º no grid.

O grid é o pior de Massa no GP do Brasil. Sua pior classificação em Interlagos antes de 2016 havia sido em seu ano de estreia, 2002, quando largou em 12º de Sauber.

Massa explicou que nem a própria equipe Williams assimilou o que houve, já que seu companheiro Valtteri Bottas, que larga em 11º, também sofreu com o mesmo problema de equilíbrio.

“O time não entendeu isso. Tivemos o mesmo com os dois carros”, disse após sua última classificação em Interlagos.

“Esperava ter entrado com facilidade no Q3 hoje. Estava me sentindo bem com o carro ontem e hoje de manhã também. Acabei tendo um errinho na minha volta com o pneu novo. Poderia ter virado ainda mais rápido do que eu virei. O balanço do carro estava bom.”

“No Q1, fiz um bom tempo logo de cara. Mas, de repente, meus pneus dianteiros tiveram uma mudança muito grande. Começamos a sair de frente na curva 1, na 2 e na 4. Isso mudou completamente o balanço do carro. Acho que fui o único que não melhorou o tempo depois da primeira saída. Foi muito estranho.”

“Tem alguma coisa relacionada à temperatura, à pista. De uma hora para outra mudou completamente e os dois carros não puderam passar para o Q3. Para mim foi uma pena, porque estava me sentindo bem, principalmente depois da primeira saída. Estava totalmente confiante para fazer uma boa classificação e tudo mudou para o lado negativo. Fico triste porque a chance de largar entre os oito primeiros era grande.”

Perguntado pelo Motorsport.com se torcia por uma corrida maluca neste domingo, com influência do clima, Felipe respondeu afirmativamente.

“É a minha torcida. Acho que (o clima) vai ser parecido com hoje. Talvez com uma chance maior de chuva, mas é difícil ter uma certeza aqui em São Paulo. Pode ser que tudo mude, então temos que esperar para ver.”

“Para a corrida, com o tanque cheio tudo muda no carro. Espero que o que aconteceu hoje não aconteça amanhã. Não vai ser uma corrida fácil. O melhor seria que viesse tudo, como a chuva. O certo para nós seria que isso acontecesse para conseguirmos fazer uma boa prova.”

Massa também destacou que se chateou com a má classificação por não conseguir retribuir na pista o carinho da torcida em Interlagos.

"É um fim de semana especial para mim. Foi muito bom contar com o carinho da torcida quando saí do carro. Tenho de agradecer o carinho que eles têm por mim. Gostaria de estar largando em uma posição melhor para eles. Infelizmente não aconteceu, mas vou tentar até a última volta amanhã."

compartilhar
comentários
Punido, Ocon larga na última posição após bloquear Palmer
Artigo anterior

Punido, Ocon larga na última posição após bloquear Palmer

Próximo artigo

Após quali "frustrante", Nasr quer prova com chuva

Após quali "frustrante", Nasr quer prova com chuva