F1: AlphaTauri se diz mais confiante após mudança para túnel de vento da Red Bull

Equipe será a última do grid da F1 em deixar modelo equipamento de 50% e terá á disposição o de 60% de time parceiro

F1: AlphaTauri se diz mais confiante após mudança para túnel de vento da Red Bull

Após a mudança da marca Toro Rosso para AlphaTauri, a Red Bull identificou que o time baseado em Faenza não era tão próximo.

Como parte de uma sinergia crescente entre as duas equipes de propriedade da Red Bull, AlphaTauri não usará mais seu próprio túnel de vento a partir deste ano, mudando para as instalações da Red Bull em Bedford para concluir todo o trabalho de desenvolvimento em seu carro 2022.

Leia também:

Isso foi proporcionado pelo novo sistema de handicap em tempo de túnel de vento introduzido na F1 este ano, o que significa que ambas as equipes podem usar esse mesmo equipamento.

A AlphaTauri era anteriormente a última equipe no gird da F1 operando com um modelo de 50% em seu túnel de vento, que era baseado em Bicester.

O chefe da equipe, Franz Tost, estava confiante de que a mudança funcionaria como um impulso adicional para o futuro de AlphaTauri, em conjunto com o novo limite de gastos e mudança de regulamento para 2022.

“É uma grande vantagem mudar para o túnel de vento de 60%, porque até agora sempre tivemos que trabalhar com os de 50%”, disse Tost ao Motorsport.com.

“Os 60% são obviamente mais precisos e nos fornecem dados esperançosamente mais válidos.”

“Então, temos o segundo ano do limite de custo, o que significa que as equipes de ponta não devem estar em posição de investir muito mais dinheiro como nós.”

“Estou ansioso por este novo regulamento de 2022. Onde estamos, então, do lado da performance, eu não sei ainda, porque existem muitas, muitas peças diferentes devem ser reunidas da melhor maneira possível.”

“Espero que nossa equipe de engenharia seja capaz de fazer isso, e vamos competir com sucesso em 2022.”

O diretor técnico da AlphaTauri, Jody Egginton, disse que, por mais confiante que a equipe estivesse em suas descobertas com o túnel de vento de 50%, a maior precisão e paridade oferecida pelo modelo de 60% eliminaria quaisquer dúvidas remanescentes.

“Nosso túnel é muito bom e o entendemos muito bem. Não é algo em que possamos dizer que isso está nos prejudicando”, disse Egginton ao Motorsport.com.

“Eu queria chegar a 60% e essa era a escolha óbvia, então é por isso que realmente fizemos. É um desafio. Acho que qualquer mudança em túnel de vento envolve riscos.”

“Mas, a médio prazo, é o que realmente devemos fazer. Somos os únicos com 50%, e isso era um ponto de interrogação crescente em minha mente. Então, dada a oportunidade de ter um túnel de 60%, nós aproveitamos. Quando você é a última pessoa, o último de qualquer um fazendo algo, e todo mundo segue outro caminho, você meio que pensa, ‘há algo nisso!’.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

DEBATE: O que PÉREZ vai CAUSAR na Red Bull? Mais pontos e VITÓRIAS que VERSTAPPEN ou TRETAS?

PODCAST: Top-3: as corridas mais marcantes da história da F1 em nossas memórias

 

compartilhar
comentários
F1: Alpine oficializa Brivio como diretor de corridas da equipe

Artigo anterior

F1: Alpine oficializa Brivio como diretor de corridas da equipe

Próximo artigo

F1 nega rumores de cancelamento de GPs de rua por causa da pandemia

F1 nega rumores de cancelamento de GPs de rua por causa da pandemia
Carregar comentários