F1 avalia formato 'híbrido' para classificação no Bahrein

Categoria deve segurar volta ao formato de classificação utilizado até 2015 para tentar uma versão híbrida - juntando a fórmula antiga com a tentada em Melbourne - no treino que definirá o grid de largada do GP do Bahrein

F1 avalia formato 'híbrido' para classificação no Bahrein
Carregar reprodutor de áudio

Com uma votação para definir os rumos do treino classificatório da Fórmula 1 prevista para acontecer nas próximas 24 horas, fontes revelaram ao Motorsport.com que há um movimento no sentido de tentar um formato 'híbrido' - que mesclaria a nova e antiga fórmula - para o treino que define o grid de largada do GP do Bahrain.

O fiasco no final do Q3 do GP da Austrália - quando não havia carros na pista e o top-8 estava definido bem antes da bandeira quadriculada - levou as equipes a chegar a um acordo unânime de que o novo formato deveria ser totalmente descartado e o GP do Bahrein marcaria o retorno ao formato utilizado na temporada passada e o modelo eliminatório só voltaria em 2017 após longa avaliação.

Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-16
Romain Grosjean anda com o carro da Haas durante a classificação para o GP da Austrália

Foto: XPB Images

Reviravolta

Entretanto, fontes revelaram que o retorno ao formato utilizado em 2015 não teve apoio irrestrito da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e um plano alternativo tem sido levado em consideração.

Com a comissão da F1 e o Conselho Mundial da FIA preparadas para tomar uma decisão até o final da quinta-feira sobre o que vai acontecer no Bahrein, entende-se que há busca de apoio para uma solução que seja um meio-termo entre o visto na Austrália e o modelo aplicado na temporada passada para a corrida em Sakhir.

Tal solução seria a aplicação do formato eliminatório no Q1 e no Q2, mas com mais tempo estendido entre cada eliminação, e o Q3 voltaria ao modelo antigo. Com isso, a categoria teria mais tempo para um completo entendimento sobre o funcionamento do formato eliminatório.

Pascal Wehrlein, Manor Racing MRT05
Manor de Pascal Wehrlein é recolhida para o box após piloto ser eliminado da classificação em Melbourne

Foto: XPB Images

Formato permanente

Se o sistema 'híbrido' funcionar no Bahrein, os chefes da F1 devem trabalhar em um formato permanente, que seria utilizado então até o final da temporada.

Devido ao formato de governança atual da categoria, qualquer mudança nas regras precisa ter apoio unânime - sem isso, o formato visto em Melbourne permanece em vigor. Com isso, mesmo que as equipes prefiram voltar para o sistema de 2015, sem o apoio da FIA tal alteração não é possível.

Da mesma forma, para que o sistema 'híbrido' entre em vigor, há a necessidade da aceitação por parte das equipes, da FIA e de Bernie Ecclestone, chefão da F1.

Tanto a Pirelli quanto a Force India afirmaram durante o GP da Austrália que não estavam convencidas da necessidade de abandonar totalmente o sistema eliminatório na classificação. 

O vice-diretor da equipe indiana, Bob Fernley, revelou ao Motorsport.com que o time apoiaria um Q3 ajustado, mas não impediria o retorno ao modelo antigo se fosse a voz solitária na oposição.

"Não queremos ficar como os únicos opositores se isso for algo negativo para a F1. Se estiverem fazendo algo bons para os fãs e para a categoria, jamais ficaremos no caminho", disse. 

“Mas todos estamos sob pressão na classificação e seria uma pena se jogássemos o novo formato totalmente fora sem termos avaliado apropriadamente", completou.

Reportagem adicional por Franco Nugnes

compartilhar
comentários
Force India se diz a favor de classificação "mata-mata"
Artigo anterior

Force India se diz a favor de classificação "mata-mata"

Próximo artigo

Senna: atuação de gala que emocionou Brasil completa 25 anos

Senna: atuação de gala que emocionou Brasil completa 25 anos