F1: Conheça o 'botão mágico' da Mercedes que contribuiu para erro de Hamilton

Pneus dianteiros do W12 do britânico travaram e ele não conseguiu tangenciar para a curva1, indo direto para a área de escape

F1: Conheça o 'botão mágico' da Mercedes que contribuiu para erro de Hamilton

Lewis Hamilton desperdiçou uma potencial vitória no GP do Azerbaijão da Fórmula 1 ao pressionar acidentalmente um botão "mágico" em seu volante. Investigamos o que aquela configuração de freio realmente faz.

Leia também:

Na relargada da corrida em Baku, momentos depois da batida de Max Verstappen, os pneus dianteiros de Hamilton travaram e ele não conseguiu tangenciar para a curva 1, indo direto para a área de escape.

O britânico imediatamente disse à Mercedes que suspeitava o que havia causado o drama: a famosa 'mágica do freio' da equipe alemã.

“Eu deixei a magia ligada? Eu poderia jurar que desliguei isso", disse o piloto pelo rádio. 

Então, o que é essa configuração mágica e o que exatamente ela faz?

O botão mágico (saiba mais no vídeo abaixo e no texto a seguir)

Ouvimos ser referido no rádio em muitas ocasiões, e George Russell, no ano passado, falou sobre a necessidade de apertar o 'botão mágico' durante sua única aparição em Sakhir.

A 'mágica do freio' é na verdade um botão na parte traseira do volante, que consiste em uma ferramenta muito inteligente para ajudar os pilotos a gerar calor rapidamente para os pneus dianteiros.

Quando a F1 mudou para os motores híbridos em 2014, ela o fez sabendo que o sistema de frenagem também precisaria ser revisado. Era preciso haver mais assistência eletrônica para o equilíbrio do freio, dado o ônus extra na recuperação de energia via MGU-K.

Brake-by-wire system

Brake-by-wire system

Photo by: Giorgio Piola

Como consequência, as equipes tiveram que se acostumar a usar um sistema de brake-by-wire, com mapas separados criados dentro do software para gerenciar o equilíbrio dos freios dianteiro e traseiro, considerando ao mesmo tempo o nível predominante de carregamento conduzido pelo MGU-K.

Enquanto o balanço do freio costumava ser controlado por uma alavanca manual dentro da cabine, foi transferido para o volante por meio de configurações de controle.

Isso requer que o piloto selecione incrementos nos mostradores ao longo da borda inferior, que você poderá ver piscando no visor do volante quando o FOM estiver usando as fotos a bordo.

Mercedes W12 steering wheel detail

Mercedes W12 steering wheel detail

Photo by: Mercedes AMG

O piloto tem algumas ferramentas à sua disposição neste sentido, com um rotativo e dois botões usados ​​na roda da Mercedes para equilíbrio do freio, e outro rotativo para selecionar a quantidade de frenagem do motor.

Mercedes W12 steering wheel

Mercedes W12 steering wheel

Photo by: Mercedes AMG

Pressionando o 'botão mágico', é enviado comando do freio muito mais adiante do que você usaria em condições normais de corrida.

Ele muda o equilíbrio do freio para cerca de 90% do eixo dianteiro, enquanto normalmente um piloto selecionaria entre 55-60% durante o uso normal. Uma vez em jogo, essa configuração também evita que MGU-K recupere energia.

Ele é ativado como uma forma de transferir mais calor gerado pelos freios para os pneus, para que eles cheguem à sua faixa de trabalho mais rápido do que se uma configuração normal fosse utilizada.

No caso do Hamilton, ele optou por usar a função mágica de freio na volta de formação antes da relargada para aquecer os pneus dianteiros.

Seu sucesso em ter aquecido os freios (e pneus) ficou óbvio pela maneira como vimos soltando fumaça enquanto ele esperava o grid se formar.

Uma vez alinhado para o reinício da prova, Hamilton teria desativado a função mágica de freio por meio dos controles no volante.

No entanto, durante a largada, enquanto ele se afastava de Sergio Pérez na corrida para a curva 1, ele acidentalmente apertou o botão 'mágico' - ativando o comando.

Isso moveu o equilíbrio do freio para frente e fez com que ele travasse, antes de ir para a área de escape e efetivamente encerrar suas chances de marcar pontos.

A investigação da Mercedes pós-corrida vai analisar como o heptacampeão foi capaz de reativar a configuração mágica, e isso irá potencialmente solicitar ajustes em seus controles de volante ou de software para garantir que isso não aconteça novamente.

Lewis Hamilton, Mercedes W12, locks up at the restart

Lewis Hamilton, Mercedes W12, locks up at the restart

Photo by: Charles Coates / Motorsport Images

MASSA comenta sobre a rivalidade entre Verstappen e Hamilton na Fórmula 1; veja

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: TELEMETRIA: O quebra-cabeças na desafiadora Baku com Rico Penteado

 

.

compartilhar
comentários
F1: Vettel espera que Aston Martin possa manter momento positivo após "início muito difícil"

Artigo anterior

F1: Vettel espera que Aston Martin possa manter momento positivo após "início muito difícil"

Próximo artigo

F1 - Brawn: Fim "emocionante" em Baku é boa prévia para corridas classificatórias

F1 - Brawn: Fim "emocionante" em Baku é boa prévia para corridas classificatórias
Carregar comentários