F1: McLaren diz que “não desistirá” de luta pelo terceiro lugar no Mundial de Construtores

Andreas Seidl também afirmou que equipe “tem claramente o quarto carro mais rápido” do grid após seis etapas da temporada de 2020

F1: McLaren diz que “não desistirá” de luta pelo terceiro lugar no Mundial de Construtores

O chefe da McLaren, Andreas Seidl, prometeu que sua equipe "não desistirá da luta" com a Racing Point pelo terceiro lugar no Mundial de Construtores de 2020.  A McLaren teve um início encorajador de temporada, com o pontapé inicial de Lando Norris em seu primeiro pódio na abertura da temporada na Áustria.

Desde então, Norris e seu companheiro de equipe, Carlos Sainz, têm sido uma presença constante no pelotão intermediário superior da F1, estando agora no quarto lugar na classificação de construtores após o GP da Espanha, apenas um ponto atrás da Racing Point e um à frente da Ferrari.

Leia também:

Questionado pelo Motorsport.com se o terceiro lugar no campeonato é uma ambição realista para a McLaren, Seidl admitiu que acompanhar a Racing Point em ritmo puro será difícil, mas prometeu que sua equipe “não desistirá enquanto houver uma chance”.

“Acho que a luta em que estamos, em termos de desempenho puro do carro, é com a Ferrari e a Renault”, disse Seidl. “Temos que ser realistas nisso. Se a Racing Point realmente puder usar o potencial deste carro que eles têm, será difícil para lutar contra eles”.

“Mas com os pilotos e o nível de execução que temos, sempre há chance de ainda batalhar com eles e batalhar com uma Red Bull, e é nisso que estamos mirando”.

"Essa luta pelo terceiro lugar não vamos desistir enquanto houver uma chance”.

Seidl acredita que a McLaren agora “tem claramente o quarto carro mais rápido” e acha que a equipe de Woking pode usar sua execução superior em um final de semana de corrida para levar a luta até a Racing Point.

Até então, a equipe tem tido um retrospecto de confiabilidade impecável em 2020 e continuou trabalhando nos pontos fracos, incluindo os pit stops.

“Na corrida [do GP da Espanha] tivemos claramente o quarto carro mais rápido, nem mesmo longe da Racing Point, o que é muito encorajador e mostra que demos um bom passo em frente com o carro”, disse Seidl.

“Também vimos no ano passado que marcamos muitos pontos em comparação com outras equipes simplesmente por uma execução muito boa das corridas.”

“Isso também me dá muita confiança de que temos uma equipe de corrida forte, juntamente com o apoio de casa”.

Seidl acrescentou: “Após seis corridas, estamos em quarto, um ponto à frente da Ferrari, (o que) é algo muito encorajador, ótima motivação”.

“Mas, ao mesmo tempo, não há razão para se deixar levar, sabendo que ainda temos um longo caminho a percorrer quando você vê a Mercedes ou a Red Bull”.

Sainz terminou em sexto na Espanha, enquanto Norris fechou o top-10 em uma pista que destacou alguns dos déficits de baixa velocidade da McLaren MCL35.

Após um final de semana de folga, a Fórmula 1 seguirá para Spa-Francorchamps e Monza, que devem ser pistas que se adaptam melhor à equipe de Woking. “Na verdade, estou ansioso para ver o que podemos fazer em Spa”, disse Seidl.

"Fizemos uma corrida forte lá no ano passado, sabemos da fraqueza do nosso carro, especialmente em baixa velocidade, por isso estamos ansiosos por pistas que não sejam tão dependentes de baixa velocidade."

Com Senna na ‘pole’, lista dos mais rápidos da F1 tem Prost só em 20º e ‘zebras’ polêmicas

PODCAST: O que resta para Massa no automobilismo após sair de equipe na F-E?

 

compartilhar
comentários

Related video

“Decisão errada” pode ter custado dobradinha da Mercedes no GP da Espanha

Artigo anterior

“Decisão errada” pode ter custado dobradinha da Mercedes no GP da Espanha

Próximo artigo

Análise técnica: Como a Red Bull tentou alcançar a Mercedes na Espanha

Análise técnica: Como a Red Bull tentou alcançar a Mercedes na Espanha
Carregar comentários