F1 - McLaren: "Temos que encarar a realidade" de perder P3 nos construtores para Ferrari

Andreas Seidl, chefe da equipe, disse que batalha com rival vai ser difícil, mas acredita na imprevisibilidade dos finais de semana de 2021

F1 - McLaren: "Temos que encarar a realidade" de perder P3 nos construtores para Ferrari
Carregar reprodutor de áudio

O chefe da McLaren Andreas Seidl disse que sua equipe precisa "enfrentar a realidade" e aceitar de perder o terceiro lugar no mundial de construtores da Fórmula 1 para a Ferrari. Após o GP da Rússia, a equipe britânica tinha uma vantagem de 17,5 pontos sobre a rival. No entanto, nas quatro corridas realizadas desde Sochi, houve uma oscilação de 49 tentos a favor da Ferrari, com a escuderia de Maranello agora ganhando de 287,5 a 256.

O mandatário de Woking reconheceu que não conseguir atingir todo o potencial do MCL35M nas últimas corridas foi "decepcionante", com os melhores resultados no México e Brasil sendo apenas dois décimos lugares.

Leia também:

"É claro que em certas pistas nosso carro é muito mais forte", disse Seidl. "O que não conseguimos nas últimas semanas foi simplesmente marcar os pontos que estavam na mesa para nós. E isso é obviamente decepcionante, mas ao mesmo tempo, há razões para isso. Então, devemos voltar às últimas três corridas e tentar fazer melhor."

"São Paulo foi o segundo revés consecutivo depois do México em nossa batalha nos construtores, então acho que precisamos ser realistas sobre o que é possível alcançar este ano. Ao mesmo tempo, é importante recuperar o bom momento e garantir os pontos possíveis."

Andreas Seidl, Team Principal, McLaren, on the grid

Andreas Seidl, Team Principal, McLaren, on the grid

Photo by: Steven Tee / Motorsport Images

A três corridas do fim, Seidl reconheceu que bater a Ferrari pelo terceiro lugar parece mais difícil, mas ainda não desistiu da luta.

"Claramente, temos que enfrentar a realidade", comentou. "Se tudo correr bem para a Ferrari agora, no final da temporada, vai ser difícil, mas ao mesmo tempo, desde que seja teoricamente possível, e já vi várias vezes este ano e no ano passado o que pode acontecer num fim de semana de corrida, vamos tentar nos manter."

"Penso que também nos últimos dois, onde não tínhamos, digamos, o carro mais forte nesta batalha, ainda seria possível obter bons resultados. Isso é o que não conseguimos e que precisamos fazer melhor."

Seidl também destacou que a posição no campeonato não deve ser a única medida da temporada, e que houve uma clara melhora em outras áreas.

"Obviamente, estamos todos focados nesta luta pela P3 no momento", reiterou. "No entanto, como eu sempre disse, temos uma visão realista de onde estamos agora. O mais importante é, novamente, que demos claramente um grande passo em frente este ano em termos de carro."

"Nós olhamos para a pontuação média da temporada e subiu um pouco. O déficit de tempo por volta em comparação a Red BullMercedes foi um pouco menor em comparação com o ano passado."

RECORDE, 'RECONCILIAÇÃO' e BASTIDORES: Saiba TUDO da cobertura do GP de SÃO PAULO de F1 na TV Band

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #146: Hamilton teve a maior exibição da carreira no Brasil?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
Por que a Arábia Saudita está investindo pesado no automobilismo?
Artigo anterior

Por que a Arábia Saudita está investindo pesado no automobilismo?

Próximo artigo

F1: As diversas homenagens a Ayrton Senna no GP de São Paulo

F1: As diversas homenagens a Ayrton Senna no GP de São Paulo
Carregar comentários