F1: Mercedes quebra em Portugal recorde que pertencia à Ford desde 1983

compartilhar
comentários
F1: Mercedes quebra em Portugal recorde que pertencia à Ford desde 1983
Por:

A montadora alemã segue reescrevendo a história do esporte a cada prova disputada

Desde o começo da era híbrida, a Mercedes vem dominando a Fórmula 1, vencendo todos os mundiais desde 2014 e reescrevendo a história. E com mais uma boa performance, agora no GP de Portugal, a equipe alemã quebrou mais um recorde no esporte, um que tinha o mesmo dono há 37 anos.

A história de sucesso da montadora alemã na F1 vai muito além de seu papel como equipe oficial, como vem demonstrando ano após ano no esporte.

Leia também:

Até então, a Ford ostentava o recorde de montadora que terminou o maior número de corridas consecutivas na zona de pontuação, com 228 GPs, uma sequência iniciada no GP do Canadá em 27 de agosto de 1967, com um quarto lugar de Graham Hill a bordo da Lotus que usava motores Ford.

Graham Hill, Lotus 49 Ford, en el GP de Canadá de 1967.

Graham Hill, Lotus 49 Ford, en el GP de Canadá de 1967.

Photo by: Motorsport Images

A partir desta prova, a fabricante norte-americana teve um carro com motor seu pontuando em todas as corridas até o GP da Holanda de 28 de agosto de 1983, quando John Watson foi o terceiro com a McLaren e Michele Alboreto o sexto com a Tyrell.

Na corrida seguinte, em Monza, nenhum dos carros com motor Ford (Williams, Tyrell e Theodore) conseguiu terminar no Top 6, pondo fim a uma sequência de 16 anos e um dia. Vale lembrar que, sob as regras atuais, a história seria outra, já que Jean-Pier Jarier e Marc Surer foram 9º e 10º com a Ligier e a Arrows, ambos usando unidades Ford Cosworth DFV.

Por sua vez, a Mercedes iniciou sua sequência pontuando constantemente com a vitória de Lewis Hamilton no GP da China, realizado em 19 de outubro de 2008, a bordo de um McLaren - Mercedes e, desde então, pelo menos um carro com motores da montadora alemã terminaram na zona de pontos, chegando a 229 provas em Portugal.

Atrás da Mercedes e da Ford, a Renault vem em terceiro, com 138 GPs pontuando consecutivamente, entre os GPs da Bélgica de 2008 e Abu Dhabi 2015. E nas posições seguintes está a Ferrari, com uma sequência de 98, 86, 55 e 54 provas, sendo que o melhor período da equipe italiana foi entre o GP do Japão de 2009 e Singapura 2014.

No momento, resta saber até onde a Mercedes conseguirá alavancar esta marca. Levando em conta seu tremendo domínio e a grande confiabilidade de seus carros, além de ter a Racing Point / Aston Martin e a McLaren como clientes a partir de 2021, pode ir longe.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Norris ironiza e diminui recorde de Hamilton, mas volta atrás e pede desculpas

PODCAST: É bom negócio ser companheiro de Max Verstappen na Red Bull?

 

F1: Anistia alerta que Arábia Saudita mira GP como cortina de fumaça para esconder crimes contra direitos humanos

Artigo anterior

F1: Anistia alerta que Arábia Saudita mira GP como cortina de fumaça para esconder crimes contra direitos humanos

Próximo artigo

Wolff: Stroll enfrenta "estigma" injusto por conta da riqueza do pai

Wolff: Stroll enfrenta "estigma" injusto por conta da riqueza do pai
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Federico Faturos