F1: Trocas de pneus ficarão mais lentas a partir do GP da Hungria

Determinação da FIA altera funcionamento de procedimentos automáticos para dar mais importância à reação humana

F1: Trocas de pneus ficarão mais lentas a partir do GP da Hungria

Os pitstops mais rápidos da Fórmula 1 devem ser desacelerados por motivos de segurança no GP da Hungria, após uma determinação da FIA. Por questões de segurança, o órgão regulador respondeu às reclamações de que as paradas de algumas equipes são mais rápidas por não seguirem as regras atuais à risca.

A sugestão é que alguns procedimentos podem envolver um grau mais alto de automação do que o esperado e isso tem permitido que os times alcancem tempos recordes. O regulamento técnico da F1 contém uma referência de como devem funcionar os sensores.

Leia também:

O Artigo 12.8.4 é claro: "Os dispositivos que são usados ​​para instalar ou remover as porcas das rodas só podem ser alimentados por ar comprimido ou nitrogênio. Quaisquer sistemas de sensores só podem agir passivamente." Entende-se que o último segmento desta regra é o que a FIA deseja garantir que está sendo seguido.

Embora não se pense que o movimento seja direcionado a um equipamento específico, o objetivo é claro que qualquer dependência de procedimentos automáticos abre a porta para um perigo potencial nas paradas.

Em nota enviada a todas as equipes de F1 antes do GP da Áustria, a FIA disse que, a partir da corrida de Budapeste em agosto, os procedimentos de pitstop das equipes devem ter uma tolerância embutida que permita tempos de reação humana na sinalização.

Os números são 0,15s desde as porcas das rodas sendo apertadas até largar o carro com o macaco, e 0,2s desde até o piloto receber o sinal de partida.

Não é a primeira vez que a F1 quer garantir que os tempos de reação sejam levados em conta - com essa tolerância sendo colocada nas respostas do motorista às luzes de partida para julgar quando ele saiu. Se um piloto der partida muito cedo para reagir depois que as luzes se apagaram, isso ainda pode ser um false start.

A FIA não divulga qual é a tolerância exata para a largada, porém, por medo de que, se fosse tornado público, as equipes e pilotos tentassem explorar o número para impulsionar suas saídas.

A nova diretriz técnica observa: "Por razões de segurança, esperamos, além disso, que o intervalo mínimo de tempo entre o início do procedimento de liberação do macaco e o sinal OK para o piloto dado pela luz verde seja de pelo menos 0,2 segundos."

As equipes receberam três corridas para se prepararem para os novos requisitos, pois podem precisar alterar seus métodos e pode ser difícil forçá-las a fazê-lo sem tempo suficiente.

Pitstops mais rápidos de 2021 até agora

Pos. Time Piloto Corrida Tempo (seg)
1 Red Bull Verstappen BAH 1.93
2 Red Bull Verstappen AZE 1.98
3 Red Bull Verstappen POR 1.98
4 Red Bull Perez BAH 2.00
5 Red Bull Verstappen MCO 2.02
6 Red Bull Perez FRA 2.04
7 Aston Martin Stroll POR 2.08
8 Williams Russell AZE 2.13
9 Alfa Romeo Raikkonen AZE 2.13
10 Aston Martin Stroll ESP 2.16

F1 AO VIVO: 'FOGO CRUZADO' de RBR e MERCEDES e a situação de HAMILTON e BOTTAS | DIRETO DO PADDOCK

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Sequência de corridas até férias da F1 será chave para campeonato?

 

compartilhar
comentários
F1: Gasly acredita que poderia ter desempenho "tão bom" quanto Pérez na Red Bull

Artigo anterior

F1: Gasly acredita que poderia ter desempenho "tão bom" quanto Pérez na Red Bull

Próximo artigo

Modernidade gráfica das transmissões gera debate entre fãs e equipes na F1; entenda

Modernidade gráfica das transmissões gera debate entre fãs e equipes na F1; entenda
Carregar comentários