F1: Tsunoda explica 'truque' do DRS que causou polêmica na pré-temporada

Piloto japonês foi visto ativando o DRS muito antes da zona delimitada pela F1 no último dia da pré-temporada

F1: Tsunoda explica 'truque' do DRS que causou polêmica na pré-temporada

O novato da AlphaTauri, Yuki Tsunoda, chamou a atenção na pré-temporada da Fórmula 1 no Bahrein por motivos diferentes, mas relacionados. O estreante teve o segundo tempo mais rápido do final de semana, mas causou polêmica quando a transmissão mostrou que ele ativava seu DRS antes da zona delimitada pela F1. Agora, o piloto japonês explicou a origem do "truque" que deu o que falar nas últimas semanas.

Em sua melhor volta, marcada na tarde do domingo, última sessão da pré-temporada, Tsunoda ficou a apenas 0s093 do tempo de Max Verstappen, o melhor de todo o final de semana.

Leia também:

Mas muitos criticaram o fato de que sua performance teve o 'auxílio' da ativação precoce do DRS, também conhecida como 'asa móvel', que se abria muito antes do normal na reta principal, ajudando-o a ter uma velocidade mais alta que os demais.

A zona oficial de DRS no Bahrein começa 170 metros após a saída da última curva, mas Tsunoda já estava usando a asa bem antes disso. Refletindo sobre o caso, o piloto disse que o gerenciamento do sistema de DRS foi modificado no último dia, tornando-o ativo antes do espaço correto.

Com isso, nos dias anteriores, Tsunoda poderia apertar o botão de ativação do DRS mais cedo e nada acontecia, mas no domingo, isso funcionou.

"Geralmente, mesmo nos testes, assim como na corrida, você não deveria conseguir usar o DRS antes de cruzar a linha de ativação. Mas, no meu caso, eu consegui usar, talvez a sessão tenha sido arrumada deste modo".

"Eu não abri mais cedo para melhorar meu tempo. Não tinha más intenções. Mas se é possível usar, por que não? E também, eu achei que não seria o único fazendo isso".

"Usei apenas uns 50 metros mais cedo, e em termos de tempos de volta, melhorei apenas dois ou três décimos. Não foi uma grande diferença, como seis ou sete décimos. Mas não muda o fato de que consegui ativar cedo".

Mesmo sem a ajuda do DRS, a AlphaTauri teve uma pré-temporada encorajadora, com o AT02 mostrando ser rápido e confiável. Mas Tsunoda acredita que o carro pode ser até bem equilibrado demais, o que tornaria difícil para ele obter uma dianteira mais agressiva, como ele prefere.

"Em termos do carro ser fácil ou difícil de pilotar, o AT02 é estável demais e pode ser difícil de fazer curvas corretamente. A aderência traseira é muito forte, então fica difícil lidar com a frente. Se você não fizer a curva corretamente, os pneus dianteiros perderão a aderência rapidamente e você começa a escorregar. É por isso que é importante acertar a curva".

"Com Verstappen, o carro vira corretamente quando o volante está em um ângulo grande não? Acho que seria bom ter um carro assim, e é mais fácil fazer um tempo melhor quando se tem um pouco de instabilidade. Há algumas coisas nessa linha, então não sei ainda [a comparação de performance com a Red Bull".

MOTORSPORT traz programação ESPECIAL para cobertura da F1 2021; CONFIRA

Parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PODCAST: Temporada 2021 marca nova era na cobertura do esporte a motor na TV?

 

compartilhar
comentários
F1 pode atingir 1 bilhão de fãs em 2022 graças a Drive to Survive e eSports, aponta pesquisa

Artigo anterior

F1 pode atingir 1 bilhão de fãs em 2022 graças a Drive to Survive e eSports, aponta pesquisa

Próximo artigo

Reinado da Mercedes, empolgação de ex-campeões e muito mais em xeque no GP do Bahrein de F1; veja

Reinado da Mercedes, empolgação de ex-campeões e muito mais em xeque no GP do Bahrein de F1; veja
Carregar comentários