Fórmula 1
27 jun
-
30 jun
Evento encerrado
11 jul
-
14 jul
Evento encerrado
25 jul
-
28 jul
Evento encerrado
01 ago
-
04 ago
Evento encerrado
R
GP da Bélgica
29 ago
-
01 set
Próximo evento em
2 dias
05 set
-
08 set
Próximo evento em
9 dias
R
GP de Singapura
19 set
-
22 set
26 set
-
29 set
Próximo evento em
30 dias
10 out
-
13 out
Próximo evento em
44 dias
24 out
-
27 out
Próximo evento em
58 dias
31 out
-
03 nov
Próximo evento em
65 dias
14 nov
-
17 nov
R
GP de Abu Dhabi
28 nov
-
01 dez
Próximo evento em
93 dias

Ferrari precisa perder medo de vencer, diz Arrivabene

compartilhar
comentários
Ferrari precisa perder medo de vencer, diz Arrivabene
Por:
Co-autor: Roberto Chinchero
5 de nov de 2018 17:29

Chefe da Ferrari acha que seu time precisa superar medo de vencer se quiser derrotar a Mercedes na Fórmula 1

Depois de outra campanha em que as esperanças de título da Ferrari foram prejudicadas por problemas no final da temporada, Maurizio Arrivabene acha que a equipe sofreu por não ser capaz de lidar com a pressão de ir para o título.

Ele comparou a situação ao que muitas vezes acontece no tênis, quando um jogador pode entrar em colapso quando está à beira da vitória.

Em uma entrevista, Arrivabene disse sobre a rivalidade com a Mercedes: "Há áreas em que somos superiores, outros onde eles são. Mas acho que ainda falta o hábito de ganhar.”

"Para eles ter um 1-2 é quase comum. Para nós ainda é um evento excepcional. Devemos estar mais conscientes dos nossos meios, e não ter medo de ganhar.”

"No tênis eles chamam de 'il braccino': o medo de vencer vem quando você está perto da vitória. Devemos confiar em nós mesmos e fazer da vitória um bom hábito."

Arrivabene disse que uma das lições que ele tirará de 2018 é o quanto é importante para sua equipe não começar a encontrar culpados quando as coisas dão erradas.

Ele disse que sua própria explosão - depois do erro na classificação para o GP do Japão - foi a única vez que ele perdeu a paciência em mais de três anos no cargo.

"Houve um momento [em 2018] quando éramos um fenômeno, depois tivemos uma fase em que o dedo apontava para o piloto e, finalmente, seguido por um período em que o carro era o alvo.”

"No final, entendemos ainda mais que ganhamos e perdemos todos juntos. Houve erros de Vettel e, em menor grau, da equipe, mas a lição que entendemos é que você não precisa apontar o dedo para alguém.”

"Há um chefe de equipe de corrida e sou eu. Eu fiquei com raiva uma vez (em Suzuka), mas acho que uma vez em três anos e meio podemos aceitar.”

"Quando as coisas dão errado, eu estou aqui e sempre disse isso. Mas quando tudo está bem, minha satisfação é ir ao pódio, cantar o hino e aplaudir. Uma vez, talvez eu também suba no pódio", mas há uma longa lista de pessoas que merecem ir antes de mim."

Arrivabene disse que também notou o quanto era importante para Vettel mostrar que o time o apoia totalmente, especialmente depois de alguns de seus erros.

"Raikkonen e Vettel são semelhantes em muitos aspectos", acrescentou. "Mas com Kimi em alguns momentos você precisa conversar um pouco mais, com Seb você precisa fazer com que ele sinta o apoio da equipe.”

"Ele foi muito criticado pelo que aconteceu em Monza, mas estava apenas tentando dar uma grande satisfação aos fãs, e ele lutou muito para digerir o resultado daquele final de semana.”

Próximo artigo
Raikkonen: Penas mais duras reduziriam "estupidez" na F1

Artigo anterior

Raikkonen: Penas mais duras reduziriam "estupidez" na F1

Próximo artigo

Hamilton quer abordar com a FIA a educação de jovens pilotos

Hamilton quer abordar com a FIA a educação de jovens pilotos
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Ferrari Compre Agora
Autor Jonathan Noble