Schumacher, Raikkonen, Button: estratégias vitoriosas surpreendentes na F1

O diretor de estratégia da Mercedes surpreendeu o mundo com as duas paradas que deram a vitória a Lewis Hamilton no GP da Hungria. Relembre outros casos

Schumacher, Raikkonen, Button: estratégias vitoriosas surpreendentes na F1
Carregar reprodutor de áudio

Depois de conquistar sua primeira pole position na Fórmula 1, Max Verstappen sofreu para se manter na ponta do GP da Hungria no último fim de semana. O holandês da Red Bull ficou na liderança até que, a quatro voltas para o fim, foi superado pela Mercedes de Lewis Hamilton.

O triunfo do britânico só foi possível graças a uma ideia do diretor de estratégia das 'Flechas de Prata'. James Vowles surpreendeu o mundo e fez com que Hamilton parasse pela segunda vez em Budapeste, em momento no qual ainda estava perto de Verstappen, após ataque frustrado.

Leia também:

Com o segundo pit stop, a Mercedes 'trucou' a Red Bull. Caso o time de energéticos chamasse o holandês para nova troca de pneus, ele perderia a liderança, tendo em vista a pouca distância para o rival. A equipe alemã, então, apostou na velocidade de Hamilton. Deu certo.

A estratégia mercedista deixou a escuderia austríaca impotente em Hungaroring, o que foi vital para o triunfo do pentacampeão, que tinha pneus mais novos que Verstappen e ultrapassou o oponente no final da prova húngara. Abaixo, o Motorsport.com relembra outras estratégias surpreendentemente vitoriosas na F1:

GP da França, 2004 - Michael Schumacher
GP da França, 2004 - Michael Schumacher
1/27
No mesmo cenário em que conquistou seu quinto título mundial, Michael Schumacher brilhou para vencer a etapa francesa de 2004. Ele largou em segundo, logo atrás do pole Fernando Alonso, da Renault.

Foto de: LAT Images

GP da França, 2004 - Michael Schumacher
GP da França, 2004 - Michael Schumacher
2/27
Depois de vencer nove das 10 corridas anteriores, o alemão tinha um grande desafio, que se mostrou cada vez mais difícil com a persistência do espanhol na liderança em Magny-Cours.

Foto de: Bridgestone Corporation

GP da França, 2004 - Michael Schumacher
GP da França, 2004 - Michael Schumacher
3/27
Na segunda parada de Alonso, porém, Schumacher faz valer sua fama de autor de grande voltas voadoras e passa mais um rival que estava nos boxes, como de praxe na carreira do heptacampeão.

Foto de: Ferrari Media Center

GP da França, 2004 - Michael Schumacher
GP da França, 2004 - Michael Schumacher
4/27
O alemão fez quatro pits, com seis stints curtos, e se aproveitou dos pneus Bridgestone para vencer. Já Alonso, atrapalhado pela Sauber retardatária de Felipe Massa, teve que se contentar com o segundo posto, mesmo sem ser ultrapassado na pista.

Foto de: Bridgestone Corporation

GP da França, 2004 - Michael Schumacher
GP da França, 2004 - Michael Schumacher
5/27
Depois de largar no meio do grid, Rubens Barrichello passou a Renault de Jarno Trulli para ir ao pódio com a Ferrari.

Foto de: LAT Images

GP da Hungria, 1998 - Michael Schumacher
GP da Hungria, 1998 - Michael Schumacher
6/27
Schumacher chegava à Hungria em sua terceira temporada com a Ferrari procurando manter suas esperanças de título vivas contra Mika Hakkinen, da McLaren.

Foto de: Sutton Motorsport Images

GP da Hungria, 1998 - Michael Schumacher
GP da Hungria, 1998 - Michael Schumacher
7/27
Entretanto, os carros da escuderia britânica se classificaram na primeira fila e pareciam imbatíveis em condições normais de estratégia.

Foto de: Sutton Motorsport Images

GP da Hungria, 1998 - Michael Schumacher
GP da Hungria, 1998 - Michael Schumacher
8/27
Mas, após o primeiro pit stop, Ross Brawn chamou Schumacher para outra parada mais cedo do que o esperado. Acertou.

Foto de: Steve Etherington / Motorsport Images

GP da Hungria, 1998 - Michael Schumacher
GP da Hungria, 1998 - Michael Schumacher
9/27
O então chefão da Ferrari pediu ao alemão que voasse para reduzir a diferença virtual para a McLaren. Schumi precisava tirar 25s em 19 voltas para voltar à frente na terceira parada. Dito e feito.

Foto de: Ercole Colombo

GP da Hungria, 1998 - Michael Schumacher
GP da Hungria, 1998 - Michael Schumacher
10/27
Além de Schumacher, David Coulthard, da Mercedes, e o então campeão Jacques Villeneuve, da Williams, foram ao pódio.

Foto de: Rainer W. Schlegelmilch

GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
11/27
Nunca uma corrida de F1 durou tanto quanto o GP do Canadá de 2011, nem um vencedor passou pelos boxes tantas vezes rumo à vitória quanto Jenson Button, da McLaren.

Foto de: XPB Images

GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
12/27
O campeão de 2009 fez seis pit stops naquela tarde em Montreal. E o primeiro foi forçado pelo contato com seu companheiro Lewis Hamilton, que abandonou após tentar passar na reta.

Foto de: XPB Images

GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
13/27
Button seguiu, aproveitou o safety car para trocar os pneus e voltou ao páreo. Entretanto, o britânico teve que cumprir drive-through por exceder o limite de velocidade no período do carro de segurança.

Foto de: XPB Images

GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
14/27
Ele voltou em 15º. Na sequência, uma tempestade caiu sobre o circuito e interrompeu a prova por duas horas. Após a relargada, Button voltou a se meter em confusão, desta vez tocando na Ferrari de Fernando Alonso. O espanhol abandonou, mas o britânico conseguiu resistir, trocando o pneu furado e voltando em último.

Foto de: XPB Images

GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
15/27
Com a pista secando, o campeão de 2009 acertou o timing na troca para compostos slicks e galgou várias posições. Em apenas uma volta, Button superou Mark Webber e Schumacher, chegando ao segundo posto, atrás de Sebastian Vettel.

Foto de: LAT Images

GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
16/27
No fim, o então piloto da Red Bull errou e permitiu a ultrapassagem do britânico, que brilhou naquele que classifica como seu melhor triunfo da carreira.

Foto de: XPB Images

GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
GP do Canadá, 2011 - Jenson Button
17/27
Apesar do erro no fim, Vettel ainda terminou a prova em segundo, à frente do companheiro Webber, que superou Schumacher.

Foto de: Sutton Motorsport Images

GP da Austrália, 2013 - Kimi Raikkonen
GP da Austrália, 2013 - Kimi Raikkonen
18/27
Depois de voltar à F1 em 2012, Kimi Raikkonen deu o pontapé ideal para a temporada 2013. O finlandês venceu a corrida de abertura a bordo da Lotus e ainda disse que o triunfo foi um dos mais fáceis de sua carreira.

Foto de: Glenn Dunbar / Motorsport Images

GP da Austrália, 2013 - Kimi Raikkonen
GP da Austrália, 2013 - Kimi Raikkonen
19/27
O campeão mundial de 2007, porém, largou apenas em sétimo. A classificação começou no sábado, mas terminou só no domingo, por causa da chuva.

Foto de: XPB Images

GP da Austrália, 2013 - Kimi Raikkonen
GP da Austrália, 2013 - Kimi Raikkonen
20/27
Na largada, Raikkonen ganhou posições. Em seguida, trocou dos pneus para pista molhado para os slicks médios. Com maestria, o finlandês prolongou a vida útil de seus compostos, fazendo de seu segundo stint praticamente duas vezes mais longo que o dos rivais.

Foto de: XPB Images

GP da Austrália, 2013 - Kimi Raikkonen
GP da Austrália, 2013 - Kimi Raikkonen
21/27
Por isso, Raikkonen só teve que fazer mais uma parada, enquanto o resto do pelotão da frente parou duas vezes. O finlandês venceu e ainda fez a volta mais rápida a dois giros do fim.

Foto de: XPB Images

GP da Austrália, 2013 - Kimi Raikkonen
GP da Austrália, 2013 - Kimi Raikkonen
22/27
Fernando Alonso, da Ferrari, chegou em segundo, à frente do rival Sebastian Vettel, então tricampeão pela Red Bull.

Foto de: XPB Images

GP do México, 1986 - Gerhard Berger
GP do México, 1986 - Gerhard Berger
23/27
Em seu primeiro retorno ao Hermanos Rodríguez, logo após a Copa do Mundo, a F1 rumara para o desfecho daquele campeonato.

Foto de: LAT Images

GP do México, 1986 - Gerhard Berger
GP do México, 1986 - Gerhard Berger
24/27
As equipes achavam que não seriam capazes de completar as 68 voltas com um único conjunto de pneus Goodyear, enquanto a Benetton manteve suas opções abertas com os pneus Pirelli.

Foto de: LAT Images

GP do México, 1986 - Gerhard Berger
GP do México, 1986 - Gerhard Berger
25/27
No final, Gerhard Berger surpreenderia ao completar a corrida sem parar nos boxes, algo que era permitido naquela época.
GP do México, 1986 - Gerhard Berger
GP do México, 1986 - Gerhard Berger
26/27
Prost e Senna, que completaram o pódio 25 e 52 segundos atrás, teriam que parar uma e duas vezes respectivamente, com o brasileiro sofrendo com os pneus.

Foto de: LAT Images

GP do México, 1986 - Gerhard Berger
GP do México, 1986 - Gerhard Berger
27/27
Seria a primeira vitória para Benetton e Berger na F1.

Foto de: LAT Images

compartilhar
comentários
Chefe da Mercedes diz que Ferrari deve ser mais forte na Bélgica e na Itália
Artigo anterior

Chefe da Mercedes diz que Ferrari deve ser mais forte na Bélgica e na Itália

Próximo artigo

Alonso se diz contente com sucesso da Honda e rebate declaração de Vettel

Alonso se diz contente com sucesso da Honda e rebate declaração de Vettel