Kubica diz que toque no muro de Melbourne foi 'constrangedor'

compartilhar
comentários
Kubica diz que toque no muro de Melbourne foi 'constrangedor'
Por:
16 de mar de 2019 16:53

De volta à Fórmula 1 depois de oito anos, piloto polonês encostou no muro da curva 10 e largará em último no GP da Austrália

Durante o treino classificatório para o GP da Austrália, Robert Kubica deu uma escapada com a Williams FW42, tocou o muro do circuito de Melbourne e ficou na última posição. O polonês classificou o incidente como “constrangedor”, mas disse que aprendeu algumas lições importantes sobre o problemático carro. "Foi um erro de avaliação, o que é um pouco constrangedor. Mas tenho agora uma visão melhor de quanto espaço terei”, disse.

Apesar de a equipe ter ficado na ponta de baixo do grid, Kubica disse que houve sinais de progresso antes da batida na curva 10: "A qualificação foi difícil, mas de repente a sensação melhorou bastante para a última saída à pista. Só que eu compliquei minha vida com um erro bobo. Mas há algumas coisas que conseguimos entender. Infelizmente, isso não mudará em nada o resultado, mas pelo menos aprendemos algo que considero importante”.

Leia também:


Kubica disse, porém, que as dificuldades que teve durante o fim de semana em Melbourne deixaram-no sem confiança para sua última tentativa no treino: "O problema é que eu estava começando com uma sensação tão ruim antes daquela volta que em muitos lugares eu fui cauteloso demais. Isso é normal quando você não conhece o carro direito. Pelo menos entendemos o que fazer em termos de configuração. Tarde, mas antes tarde do que nunca”.

"Provavelmente usamos a mesma forma do ano passado, mas este carro é completamente diferente para dirigir. Tem características diferentes, e não estava dando certo. Assim, pelo menos tiramos alguma coisa positiva de um dia difícil”.

O polonês, entretanto, não tem ilusões em relação à corrida de amanhã. Ele disse que foi mais ultrapassado na simulação de corrida do treino de sexta do que em toda a sua carreira na F1. "Vendo as simulações longas de ontem, acho que vai ser muito difícil. Fui ultrapassado mais do que em todos os meus cinco anos como piloto, e isso foi em 45 minutos de condução. Será uma corrida longa, mas um dia muito positivo para mim”.

Kubica voltará a disputar um GP depois de oito anos. O polonês, que teve passagens por BMW Sauber e Renault, teve de sair da F1 no começo de 2011, quando sofreu um grave acidente durante a disputa de um rally na Itália. Ele tinha um pré-contrato com a Ferrari para 2012. Agora, o piloto de 34 anos está de volta ao grid da categoria máxima do automobilismo mundial.

Próximo artigo
Wolff: Série da Netflix seria uma 'distração' para a Mercedes

Artigo anterior

Wolff: Série da Netflix seria uma 'distração' para a Mercedes

Próximo artigo

Pérez: Atualizações da Racing Point não funcionaram como esperado

Pérez: Atualizações da Racing Point não funcionaram como esperado
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da Austrália
Pilotos Robert Kubica
Equipes Williams
Autor Jonathan Noble
Seja o primeiro a receber as últimas notícias