Fórmula 1
R
GP de 70º aniversário
07 ago
Próximo evento em
1 dia
04 set
Próximo evento em
29 dias
R
GP da Toscana
11 set
Próximo evento em
36 dias
R
GP de Singapura
17 set
Canceled
R
GP da Rússia
25 set
Próximo evento em
50 dias
R
GP do Japão
08 out
Canceled
R
GP dos Estados Unidos
23 out
Canceled
R
GP do México
30 out
Canceled
R
GP do Brasil
13 nov
Canceled
R
GP de Abu Dhabi
27 nov
Próximo evento em
113 dias

Relembre pilotos da F1 que chegaram em primeiro, mas não venceram

compartilhar
comentários
Relembre pilotos da F1 que chegaram em primeiro, mas não venceram
Por:
10 de abr de 2020 12:54

A lista de pilotos que não venceram corridas em que cruzaram a linha de chegada na frente inclui Hunt, Prost, Senna, Schumi, Hamilton e Vettel

O caótico GP do Brasil de 2003 de Fórmula 1 é lembrado, entre outras coisas, pelo forte acidente de Fernando Alonso. O piloto encontrou uma roda do Jaguar de Mark Webber e não pôde evitar o golpe, com a bandeira vermelha acionada e a corrida encerrada antes da distância prevista.

Mas talvez a coisa mais incrível que aconteceu naquele dia foi que o resultado da corrida mudou depois da cerimônia de pódio, que tinha apenas dois pilotos, já que Alonso, terceiro, não pôde estar lá.

Leia também:

Naquele dia, Kimi Raikkonen se tornou o sétimo piloto da história a alcançar sua segunda vitória na Fórmula 1 logo depois da primeira. No entanto, seria algo temporário, já que a revisão dos comissários acabou dando o triunfo ao italiano Giancarlo Fisichella.

É uma das 13 vezes em que, na história moderna da categoria, o piloto que cruzou a linha de chegada em primeiro não foi o verdadeiro vencedor. O Motorsport.com relembra todos esses casos na galeria abaixo. Confira:

Galeria
Lista

GP do Canadá de 1973

GP do Canadá de 1973
1/13

Foto de: David Phipps

Howden Ganley não é um nome que muitos se lembram na história da Fórmula 1, embora seu momento de maior destaque tenha coincidido com a estreia do Safety Car na categoria. Em Mosport, Ganley de repente se viu atrás do Porsche 914 que havia sido ordenado por rádio para ficar à frente do carro #25 de Ganley, por engano, pois o neozelandês da equipe de Frank Williams não era o líder. A entrada do carro de segurança ocorreu após um acidente de François Cevert e Jody Scheckter, que havia deixado restos no asfalto e exigia a presença de comissários na pista. Uma vez que a corrida foi reiniciada, Ganley guiou como nunca em sua vida e se tornou o vencedor. No entanto, uma vez que o erro de tempo foi corrigido, Peter Revson foi declarado vencedor. Ganley ficou em sexto.

GP da Grã-Bretanha de 1976

GP da Grã-Bretanha de 1976
2/13

Foto de: LAT Images

James Hunt e Niki Lauda eram o foco principal da temporada de 1976 e Brands Hatch teve um pódio que não seria oficial. Porque Hunt quebrou uma suspensão em sua McLaren em um acidente causado na primeira curva após o contato entre Lauda e seu companheiro de equipe na Ferrari, Clay Regazzoni. O britânico retornou aos boxes usando uma área de escape sem completar toda a volta do circuito e venceria a corrida mais tarde. No entanto, houve protestos de várias equipes, que foram inicialmente rejeitados, embora a Ferrari insistisse e levasse o caso ao tribunal da FIA, o que desqualificaria Hunt quase dois meses depois. Isso deixou a luta pelo título em Fuji mais dramática.

GP da Itália de 1978

GP da Itália de 1978
3/13

Foto de: Ercole Colombo

A morte de Ronnie Peterson trouxe luto à corrida em Monza e se Mario Andretti, seu parceiro na Lotus, quisesse alguma coisa, teria sido uma vitória para a equipe em um dos seus dias mais sombrios. E foi o que ele fez, derrotando Gilles Villeneuve ou pelo menos essa foi a ordem na chegada. No entanto, ambos foram penalizados com um minuto por terem queimado a largada, dando o triunfo a Niki Lauda, então piloto de Brabham.

GP do Canadá de 1980

GP do Canadá de 1980
4/13

Foto de: LAT Images

Didier Pironi cruzou a linha de chegada em primeiro no seu Ligier, no dia 27 de setembro de 1980 em Montreal, mas poucos se lembram disso. Nas fotos, Alan Jones aparece como o vencedor, apesar de ter cruzado a linha de chegada quase 40 segundos depois do homem mais rápido do dia, que foi punido em um minuto por ter queimado a largada.

GP do Brasil de 1982

GP do Brasil de 1982
5/13

Foto de: LAT Images

Nelson Piquet perdeu muito líquido durante o GP do Brasil de 1982, como você pode ver na foto. Mas não apenas ele, mas também seu Brabham. O brasileiro caiu no pódio em Jacarepaguá, assim como aconteceu nos resultados finais. Keke Rosberg, que também desceu do pódio para ajudá-lo, teria o mesmo destino, porque apesar de terem passado a linha de chegada em primeiro e segundo, ambos foram desclassificados porque seus carros não atingiram o peso mínimo regulamentar. Alain Prost (Renault), um espectador da cena do seu terceiro degrau no pódio, foi o vencedor.

GP de San Marino de 1985

GP de San Marino de 1985
6/13

Foto de: Sutton Motorsport Images

As histórias de desclassificações para carros com peso mínimo não eram incomuns na década de 1980. Depois que Alain Prost venceu no Rio de Janeiro, quando Nelson Piquet e Keke Rosberg foram punidos, em 1985 foi o francês quem perdeu o peso, perdendo a vitória que alcançara com a McLaren em Ímola, em um dia em que vários ficaram sem combustível, incluindo Ayrton Senna. O outro piloto da Lotus, Elio de Angelis, que cruzou a linha de chegada em segundo, seria declarado vencedor após a exclusão de Prost pelos dois quilos que faltavam na balança oficial.

GP do México de 1987

GP do México de 1987
7/13

Foto de: Sutton Motorsport Images

A história desta corrida no Autódromo Hermanos Rodríguez é na verdade dividida por uma bandeira vermelha na volta 30, causada pelo acidente de Derek Warwick no início da Peraltada. Nigel Mansell liderou até então e Nelson Piquet passou a linha de chegada primeiro após as 63 voltas. Os tempos agregados da primeira e da segunda metades deram a Mansell uma vitória confortável, reduzindo assim a diferença para Piquet no campeonato mundial, com duas etapas restantes. No entanto, seria sua última corrida naquele ano antes de sofrer o acidente na classificação do GP do Japão.

GP do Japão de 1989

GP do Japão de 1989
8/13

Foto de: LAT Images

Um dos episódios mais controversos da história da Fórmula 1 está incluído nesta lista, o último 1-2 de Ayrton Senna e Alain Prost como companheiros de equipe da McLaren. Após o acidente de ambos na aproximação à chicane, Senna voltou à pista empurrado pelos comissários, depois parou nos boxes, mudou a asa dianteira quebrada e acabou vencendo a corrida. O brasileiro foi punido e o herdeiro da vitória seria o italiano Alessandro Nannini, da Benetton, que alcançara um segundo lugar já digno de crédito, mas que, graças à exclusão de Senna, alcançaria sua única vitória na Fórmula 1 naquele dia.

GP do Canadá de 1990

GP do Canadá de 1990
9/13

Foto de: Sutton Motorsport Images

Em Montreal, 10 anos depois, o fato de um piloto ter cruzado a linha de chegada primeiro e não levar a vitória foi repetido. A queima de largada aconteceu com Didier Pironi em 1980 e em 1990 com Gerhard Berger. No entanto, o beneficiário foi seu companheiro de equipe, Ayrton Senna, que, sabendo da punição, não resistiu muito quando o austríaco fez a manobra para a ponta. Berger chegou a 45 segundos à frente de Senna, mas nem assim conseguiu terminar no pódio.

GP da Bélgica de 1994

GP da Bélgica de 1994
10/13

Foto de: LAT Images

Michael Schumacher dominou uma edição muito particular do GP da Bélgica em Spa-Francorchamps, porque, como aconteceu em outros circuitos naquele ano após o trágico GP de San Marino, foram feitas modificações em algumas curvas rápidas. Em 1994, a combinação Eau Rouge e Raidillon se tornou uma chicane que tornaria a pista realmente mais lenta. Mas isso tem pouco a ver com o motivo desta corrida estar nesta lista, já que Michael Schumacher depois que Rubens Barrichello liderou. O único piscar de olhos do alemão ocorreu na volta 19, quando rodou e se recuperou rapidamente. Depois de celebrar no pódio, Schumacher seria desclassificado, por irregularidades no assoalho.

GP do Brasil de 2003

GP do Brasil de 2003
11/13

Foto de: XPB Images

As expressões na foto contam a história. Giancarlo Fisichella achou que havia vencido a corrida com um final abreviado em Interlagos, depois da bandeira vermelha causada pelo forte acidente de Mark Webber e momentos depois com Fernando Alonso, em uma das áreas mais rápidas do circuito. O piloto da Jordan, ultrapassou a McLaren de Kimi Raikkonen depois de um erro do finlandês antes de completar a volta 54. Quando a prova foi encerrada, na volta 56, mais de 75% da distância foi completada, os resultados foram dados por duas voltas antes da bandeira vermelha, então Kimi comemorou sua segunda vitória na Fórmula 1, mas dias depois em Paris e sob a revisão de Charlie Whiting, concordou que o resultado foi o da volta 54, quando Fisichella havia assumido a liderança.

GP da Bélgica de 2008

GP da Bélgica de 2008
12/13

Foto de: XPB Images

O final dramático do GP da Bélgica de 2008, com o duelo entre Lewis Hamilton e Kimi Raikkonen pela vitória, foi épico. No entanto, na foto acima, você pode ver o momento em que, forçado pela trajetória de Raikkonen na chicane final, Hamilton corta a curva por dentro. Hamilton cruzaria a linha de chegada primeiro e comemoraria como vencedor, mas seria penalizado em 25 segundos por seu corte na pista. Isso o deixaria em terceiro, com a vitória de Felipe Massa. Essa punição acabaria adicionando drama ao GP do Brasil meses depois.

GP do Canadá de 2019

GP do Canadá de 2019
13/13

Foto de: Steve Etherington / Motorsport Images

O caso mais recente ocorreu no ano passado, quando Sebastian Vettel foi punido com cinco segundos por retornar à pista de maneira insegura, na opinião dos comissários, depois de perder o controle de sua Ferrari na curva 3 do circuito de Gilles Villeneuve, quando defendeu a liderança contra Lewis Hamilton. O britânico, sabendo da punição, também não levou o duelo muito mais longe, enquanto Vettel não teve velocidade suficiente para superar a sanção que o deixou em segundo no resultado final. A raiva do alemão o levou a trocar as placas no parque fechado. Vettel teria que esperar até Singapura para sua primeira e única vitória da temporada de 2019.

VÍDEO: Veja como e por que a Aston Martin voltará à Fórmula 1 em 2021

PODCAST Motorsport.com: Há vida feliz no automobilismo fora da Fórmula 1?

 

.

Memória: relembre as oito largadas mais caóticas da história da F1

Artigo anterior

Memória: relembre as oito largadas mais caóticas da história da F1

Próximo artigo

Pai de Latifi empresta R$ 318 mi para refinanciar Williams na F1

Pai de Latifi empresta R$ 318 mi para refinanciar Williams na F1
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Diego Mejia