Mesmo com dores nas costas, Raikkonen não desiste da corrida

Finlandês vem sofrendo neste final de semana e amargou a 13ª colocação no grid; Grosjean sai em terceiro

Mesmo com dores nas costas, Raikkonen não desiste da corrida
Carregar reprodutor de áudio

Tendo de lidar com dores nas costas logo em um dos circuitos que mais demandam dos pilotos em todo o calendário, Kimi Raikkonen larga apenas com a 13ª colocação no GP de Cingapura. Seu companheiro de Lotus, Romain Grosjean, que foi mais de sete décimos mais rápido que o finlandês no Q2, sai em terceiro lugar.

Mesmo com os problemas, Raikkonen quer correr a prova deste domingo. A equipe chegou a colocar o reserva Davide Valsecchi de prontidão antes da classificação, uma vez que Kimi havia sofrido no treino livre que terminou duas horas antes da sessão.

“De manhã estava muito ruim”, reconheceu Kimi após o treino. “No final foi bom termos feito a classificação, mas não foi muito gostoso. No treino livre, não consegui tentar [simulações de classificação], então provavelmente não fizemos o que queríamos com o carro, mas pelo menos colocamos o carro no grid.”

Mesmo com os problemas, o finlandês não parece considerar desistir de disputar a corrida. “Vamos correr e ver o que acontece”, se limitou a dizer.

Apesar do terceiro lugar, Grosjean acredita que poderia ter tirado mais da Lotus. “Foi uma boa classificação, mas acho que poderia ter ido mais rápido caso tivesse uma outlap melhor, pois os dianteiros não estavam bem aquecidos. Mas é o mesmo para todos”, lamentou o francês, que não quis fazer previsões para o domingo. “Para a corrida, sempre esperamos o melhor. Quero dar 100% do que eu posso e tomara que, após algumas voltas, fique orgulhoso de mim.”

compartilhar
comentários
Vettel vê Rosberg encostar, mas garante a pole em Cingapura
Artigo anterior

Vettel vê Rosberg encostar, mas garante a pole em Cingapura

Próximo artigo

Massa comemora sexto no grid: "Encontramos o caminho"

Massa comemora sexto no grid: "Encontramos o caminho"