Organização do GP da Rússia prevê venda de ingressos para cerca de 30 mil fãs em Sochi

compartilhar
comentários
Organização do GP da Rússia prevê venda de ingressos para cerca de 30 mil fãs em Sochi
Por:
, Editor
Co-autor: Oleg Karpov

A ideia da organização do GP é abrir o Parque Olímpico em 50% de sua capacidade

Até o momento, todas as corridas da temporada 2020 da Fórmula 1 foram realizadas com portões fechados, mas o GP da Rússia pretende ser o primeiro a ter novamente a presença do público e a organização já deu indicativos de como quer fazer isso.

A decisão por fazer provas com portões fechados se deu como forma de tentar controlar uma possível disseminação de Covid-19 dentro da bolha da F1. Mas o mundial busca soluções para começar a permitir um número limitado de fãs nas provas. Com isso, o GP da Toscana pode receber público antes mesmo da Rússia.

Leia também:

O GP de Sochi é o primeiro a iniciar ativamente a venda de ingressos. A prova está marcada para 27 de setembro. A intenção é abrir o espaço para 50% da capacidade, com cerca de 30 mil fãs presentes.

"Por três meses, não realizamos nada relacionado às vendas", disse Alexey Titov, diretor-executivo da Rosgonki, promotora do GP da Rússia, ao Motorsport.com. "Agora vamos reiniciar com calma".

"É provavelmente prematuro falar sobre o número de ingressos vendidos. A imagem será mais clara futuramente devido à situação do coronavírus. No momento, estamos discutindo 50% da capacidade do Parque Olímpico".

"Com isso, o número máximo de fãs não passará de 30, 32 mil".

A F1 introduziu uma série de protocolos rígidos até aqui para evitar a disseminação da Covid-19, incluindo uma testagem rigorosa do paddock, que resultou em apenas três casos positivos, incluindo Sergio Pérez.

As equipes são obrigadas a permanecer em suas bolhas, sem interagir com outras equipes, enquanto os jornalistas não tem acesso ao paddock

Apesar dos planos de ter fãs em Sochi, Titov disse que as normas seguirão em vigor no paddock e os outros eventos final de semana como o passeio do pit lane e a sessão de autógrafos não acontecerão.

"Nesse ano, o GP não será como os demais. Sim, teremos público, mas sem eventos como o passeio pelo pit. Não teremos também as sessões de autógrafos. No futuro, vamos anunciar como substituiremos essa parte da programação".

"Temos boas ideias e estamos finalizando os detalhes com a F1, mas, certamente, teremos substituições".

Nas últimas semanas, a Rússia parece ter conseguido segurar o avanço da Covid-19 do país, pelo menos segundo os números oficiais. O país ocupa agora a quarta colocação em número de casos, atrás de Estados Unidos, Brasil e Índia, com 900.745 casos e 15.231 mortes. O governo russo anunciou que aprovará nesta semana a vacina produzida pelo país contra a Covid, mas a OMS cobra resultados clínicos.

GP dos 70 Anos escancara 'fogo amigo' de Mercedes e Ferrari contra Bottas e Vettel

PODCAST – O que aconteceria em um duelo Ham x Ver em igualdade de condições?

 

McLaren e Mercedes explicam planos para GP da Espanha em meio ao aumento de casos de Covid-19 no país

Artigo anterior

McLaren e Mercedes explicam planos para GP da Espanha em meio ao aumento de casos de Covid-19 no país

Próximo artigo

TELEMETRIA: Os bastidores quentes do GP da Espanha com participação de Rico Penteado

TELEMETRIA: Os bastidores quentes do GP da Espanha com participação de Rico Penteado
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Luke Smith