País 'repetido' na F1 é comum e já causou até 'mudanças geográficas'

Mesma nação receber a F1 duas vezes no mesmo ano é algo que ocorre de tempos em tempos, mas que precisa de 'jeitinho' para acontecer

País 'repetido' na F1 é comum e já causou até 'mudanças geográficas'
Carregar reprodutor de áudio

Neste fim de semana, acontece o GP dos Estados Unidos de Fórmula 1. O país é o que mais teve sedes diferentes na F1, com dez ao todo. No último mês, foi anunciado que este número poderá crescer, por conta da possível adição de uma prova em Miami a partir de 2021.

Leia também:

Em sete décadas desde sua temporada inaugural, a F1 já passou por 72 circuitos em todos os continentes. No entanto, em algumas temporadas, um mesmo país recebeu mais de uma corrida da categoria, algo que 'viola' as próprias 'regras' da F1. 

Para contornar o problema, os organizadores criaram 'jeitinhos' geográficos e de nomenclatura, fazendo com que alguns países fossem sedes de GPs que aconteciam em outras nações. Nomes de cidades, continentes e até oceanos já foram usados para 'driblar' o regulamento.

Confira galeria especial que reúne cada uma dessas artimanhas e os vencedores das provas:

1957 - Itália (Pescara e Monza)
1957 - Itália (Pescara e Monza)
1/56
A primeira vez que um país teve duas corridas no mesmo ano aconteceu por 'necessidade'. Com o cancelamento do GP da Bélgica de 1957, os organizadores da F1 precisaram buscar um substituto. O escolhido foi o circuito de Pescara, onde Stirling Moss venceu com sua Vanwall.

Foto de: LAT Images

1957 - Itália (Pescara e Monza)
1957 - Itália (Pescara e Monza)
2/56
Stirling Moss repetiu a dose semanas depois e venceu em Monza.

Foto de: LAT Images

1959 - Estados Unidos (Indy500 e Sebring)
1959 - Estados Unidos (Indy500 e Sebring)
3/56
As 500 Milhas de Indianápolis fizeram parte do calendário da F1 de 1950 a 1960, mas as equipes e pilotos não participavam de fato da corrida. Com isso, quando a categoria finalmente decidiu ir ao país, tivemos uma "repetição" no calendário. Na imagem, o vencedor da Indy de 1959, Rodger Ward.

Foto de: IndyCar Series

1959 - Estados Unidos (Indy500 e Sebring)
1959 - Estados Unidos (Indy500 e Sebring)
4/56
Bruce McLaren conquistou a primeira de suas quatro vitórias na F1 nos Estados Unidos, guiando pela Cooper Climax em Sebring.

Foto de: LAT Images

1960 - Estados Unidos (Indy500 e Riverside)
1960 - Estados Unidos (Indy500 e Riverside)
5/56
Em 1960 voltamos a ter a 'repetição' no calendário. Imagem do vencedor das 500 Milhas daquele ano, Jim Rathmann.

Foto de: IndyCar Series

1960 - Estados Unidos (Indy500 e Riverside)
1960 - Estados Unidos (Indy500 e Riverside)
6/56
Stirling Moss venceu a última etapa daquele ano, guiando pela Lotus-Climax.

Foto de: LAT Images

1976 até 1980 - EUA (Long Beach e Watkins Glen)
1976 até 1980 - EUA (Long Beach e Watkins Glen)
7/56
Para contornar a regra que proibia a organização de duas provas no mesmo país, a F1 decidiu criar uma 'barreira' geográfica nos EUA, dividindo o país em Leste e Oeste e organizando uma corrida em cada região. O vencedor da primeira corrida em Long Beach, na Califórnia, foi Clay Regazzoni, da Ferrari.

Foto de: LAT Images

1976 até 1980 - EUA (Long Beach e Watkins Glen)
1976 até 1980 - EUA (Long Beach e Watkins Glen)
8/56
Quem saiu vencedor da corrida no leste foi James Hunt, de McLaren.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1981 e 1982 - EUA (Long Beach e Las Vegas)
1981 e 1982 - EUA (Long Beach e Las Vegas)
9/56
Depois da saída de Watkins Glen do calendário, Las Vegas assumiu seu lugar no campeonato. Como a cidade também fica no Oeste americano, batizaram a corrida de GP de Ceasars Palace, ligando a prova a um casino. Alan Jones venceu as duas provas em 1981.

Foto de: LAT Images

1981 até 2006 - Itália (San Marino e Monza)
1981 até 2006 - Itália (San Marino e Monza)
10/56
Em 1980, Nelson Piquet venceu a primeira corrida realizada em Ímola, cidade italiana que fica próxima a Bologna. Na primeira edição, o circuito substituiu a etapa de Monza. No ano seguinte, a F1 decidiu colocar as duas provas no calendário. Para evitar problemas, passou a chamar a corrida em Ímola de GP de San Marino, nação vizinha à Itália.

Foto de: LAT Images

1981 até 2006 - Itália (San Marino e Monza)
1981 até 2006 - Itália (San Marino e Monza)
11/56
Em 1981, primeiro ano com duas provas italianas no calendário, Alain Prost triunfou com sua Renault em Monza.

Foto de: LAT Images

1982 - EUA (Long Beach, Detroit e Las Vegas)
1982 - EUA (Long Beach, Detroit e Las Vegas)
12/56
Em 1982, a F1 fez algo jamais repetido na história: organizou três corridas nos Estados Unidos. A solução geográfica: GP do Oeste, GP de Las Vegas e GP de Detroit. Na estreia da corrida de rua, Prost fez a pole mas teve problemas na corrida. John Watson venceu a prova com a McLaren.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1982 - França (Paul Ricard e Dijon Prenois)
1982 - França (Paul Ricard e Dijon Prenois)
13/56
Para acomodar duas corridas na França, a F1 se aproveitou de uma lei aprovada na Suiça, que proibia a realização de corridas de automóveis no país, e organizou o GP da Suiça de F1, que foi disputado no circuito de Dijon, cidade francesa que fica a 200 km da Suiça. René Arnoux venceu a prova na França.

Foto de: LAT Images

1982 - França (Paul Ricard e Dijon Prenois)
1982 - França (Paul Ricard e Dijon Prenois)
14/56
Enquanto Keke Rosberg, de Williams, venceu a corrida da "Suiça".

Foto de: Sutton Motorsport Images

1983 - Grã Bretanha (Silverstone e Brands Hatch)
1983 - Grã Bretanha (Silverstone e Brands Hatch)
15/56
A moda francesa pegou e no ano seguinte foi a vez da Grã-Bretanha reivindicar duas provas para si. Alain Prost venceu em Silverstone.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1983 - Grã Bretanha (Silverstone e Brands Hatch)
1983 - Grã Bretanha (Silverstone e Brands Hatch)
16/56
E Nelson Piquet venceu o recém inventado GP da Europa.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1983 - Estados Unidos (Long Beach e Detroit)
1983 - Estados Unidos (Long Beach e Detroit)
17/56
Em 1983, Las Vegas saiu de vez do calendário. Long Beach continuou sendo sede do GP do Oeste dos EUA e Detroit continuou sendo uma cidade sede. Imagem de John Watson em Long Beach.

Foto de: LAT Images

1983 - Estados Unidos (Long Beach e Detroit)
1983 - Estados Unidos (Long Beach e Detroit)
18/56
Isso fez de 1983 a única temporada a ter cidades, países e continentes sediando GPs. Deu um nó na cabeça? Pois é! - Foto da Tyrrell de Michele Alboreto triunfando em Detroit.

Foto de: LAT Images

1984 - Estados Unidos (Dallas e Detroit)
1984 - Estados Unidos (Dallas e Detroit)
19/56
O litoral da Califórnia deixou de receber a F1 e a prova do Oeste deixou de existir. Em seu lugar, incluíram a cidade texana de Dallas, onde Keke Rosberg saiu vitorioso.

Foto de: Williams F1

1984 - Estados Unidos (Dallas e Detroit)
1984 - Estados Unidos (Dallas e Detroit)
20/56
Quem venceu em Detroit naquele ano foi Nelson Piquet, de Brabham.

Foto de: LAT Images

1984 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
1984 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
21/56
Assim como Itália, França e Grã-Bretanha fizeram nos anos anteriores, em 1984 foi a vez da Alemanha sediar duas provas. O conceito de GP da Europa foi mantido dali em diante. Alain Prost venceu em Hockenheim.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1984 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
1984 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
22/56
E repetiu a dose em Nurburgring - na Europa.

Foto de: LAT Images

1985 - Grã Bretanha (Silverstone e Brands Hatch)
1985 - Grã Bretanha (Silverstone e Brands Hatch)
23/56
Prost também venceu o GP da Grã-Bretanha de 1985, segundo ano em que os ingleses tiveram duas provas.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1985 - Grã Bretanha (Silverstone e Brands Hatch)
1985 - Grã Bretanha (Silverstone e Brands Hatch)
24/56
Mansell triunfou em Brands Hatch, lar do GP da Europa daquele ano.

Foto de: LAT Images

1993 - Itália (San Marino e Monza)
1993 - Itália (San Marino e Monza)
25/56
Por anos, apenas a Itália recebeu duas corridas no ano. Monza seguiu sendo a casa da F1 no país, e alugando Ímola para San Marino, onde Alain Prost venceu em 1993.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1993 - Itália (San Marino e Monza)
1993 - Itália (San Marino e Monza)
26/56
Companheiro do francês na Williams, Damon Hill conquistou a vitória em Monza.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1993 - Grã Bretanha (Silverstone e Donington Park)
1993 - Grã Bretanha (Silverstone e Donington Park)
27/56
Em 1993, a F1 voltou a fazer suas peripécias geográficas e reintroduziu o GP da Europa, beneficiando mais uma vez o Reino Unido. Quem venceu a prova oficial no país foi novamente Prost.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1993 - Grã Bretanha (Silverstone e Donington Park)
1993 - Grã Bretanha (Silverstone e Donington Park)
28/56
Na 'Europa', a majestade da rainha não foi páreo para o rei da chuva. Ayrton Senna fez aquela que muitos apontam como a melhor corrida de sua carreira e triunfou em Donington Park, com direito a uma placa em homenagem à primeira volta mítica no circuito.

Foto de: LAT Images

1994 e 1995 - Japão (Aida e Suzuka)
1994 e 1995 - Japão (Aida e Suzuka)
29/56
Se a Europa pode, o Pacífico também pode!... Isso mesmo, o Oceano foi o primeiro a sediar uma prova. Mas não foi debaixo da água, e sim em terra firme, no circuito de Aida, no Japão. Michael Schumacher venceu três das quatro provas nos dois anos, perdendo apenas em Suzuka em 1994.

Foto de: LAT Images

1995 - Espanha (Barcelona e Jerez de la Frontera)
1995 - Espanha (Barcelona e Jerez de la Frontera)
30/56
O GP da Europa mudou de casa e foi parar em Jerez. Por lá, Schumacher e Alesi protagonizaram a briga pela vitória, com o alemão levando a melhor sobre o piloto da Ferrari.

Foto de: LAT Images

1995 - Espanha (Barcelona e Jerez de la Frontera)
1995 - Espanha (Barcelona e Jerez de la Frontera)
31/56
Schumacher gostou da ideia de 'dominar' países e ganhou as duas provas espanholas.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1995 - Itália (San Marino e Monza)
1995 - Itália (San Marino e Monza)
32/56
Mas se em 1995 Schumacher dominou Japão e Espanha, nas provas italianas a história foi diferente. Johnny Herbert, companheiro do alemão na Benetton, venceu em Monza.

Foto de: LAT Images

1995 - Itália (San Marino e Monza)
1995 - Itália (San Marino e Monza)
33/56
E Damon Hill conquistou a vitória em San Marino.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1996 - Itália (San Marino e Monza)
1996 - Itália (San Marino e Monza)
34/56
Hill repetiu a dose no ano seguinte em Ímola com a Williams.

Foto de: LAT Images

1996 - Itália (San Marino e Monza)
1996 - Itália (San Marino e Monza)
35/56
No primeiro ano com a Ferrari, Schumacher voltou a colocar a equipe italiana no alto do pódio, primeira vez desde 1988.

Foto de: Ercole Colombo

1996 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
1996 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
36/56
No ano da conquista de seu título, Hill venceu em Hockenheim.

Foto de: LAT Images

1996 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
1996 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
37/56
No ano de sua estreia na F1, Jacques Villeneuve conquistou a primeira vitória de sua carreira no GP da Europa, em Nurburgring.

Foto de: XPB Images

1997 - Itália (San Marino e Monza)
1997 - Itália (San Marino e Monza)
38/56
Heinz-Harald Frentzen aproveitou sua oportunidade na Williams e alcançou sua primeira vitória na F1.

Foto de: LAT Images

1997 - Itália (San Marino e Monza)
1997 - Itália (San Marino e Monza)
39/56
Na Itália, David Coulthard superou as Ferraris de Schumacher e Eddie Irvine.

Foto de: LAT Images

1997 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
1997 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
40/56
No GP da Alemanha, em Hockenheim, Gerhard Berger conquistou sua última vitória na F1, que foi também a última da Benetton.

Foto de: Sutton Motorsport Images

1997 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
1997 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
41/56
O circuito de Nurburgring já havia recebido o GP da Alemanha e o GP da Europa. Mas em 1997 a pista se tornou sede do GP de Luxemburgo. Novamente, um país vizinho foi utilizado para driblar as regras.

Foto de: Rainer W. Schlegelmilch

1997 - Espanha (Barcelona e Jerez de la Frontera)
1997 - Espanha (Barcelona e Jerez de la Frontera)
42/56
No início da temporada, o circuito de Barcelona recebeu a primeira corrida na Espanha e Jacques Villeneuve saiu vencedor da prova.

Foto de: LAT Images

1997 - Espanha (Barcelona e Jerez de la Frontera)
1997 - Espanha (Barcelona e Jerez de la Frontera)
43/56
A sede do GP da Europa daquele ano foi Jerez de la Frontera, onde o vencedor foi Mika Hakkinen.

Foto de: LAT Images

1998 - Itália (San Marino e Monza)
1998 - Itália (San Marino e Monza)
44/56
Em um ano marcado pela disputa entre Ferrari e McLaren, David Coulthard conquistou a vitória em Ímola.

Foto de: LAT Images

1998 - Itália (San Marino e Monza)
1998 - Itália (San Marino e Monza)
45/56
Em Monza, Schumacher voltou a colocar a Ferrari no alto do pódio.

Foto de: Ercole Colombo

1998 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
1998 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
46/56
Mas a Ferrari não foi páreo para a McLaren de Mika Hakkinen, que venceu na Alemanha e em "Luxemburgo".

Foto de: LAT Images

2006 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
2006 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
47/56
O último ano de Schumacher na Ferrari foi também a despedida das corridas duplas na Itália e na Alemanha. E o alemão saiu em grande estilo, conquistando a vitória no GP da Europa.

Foto de: Steve Etherington / Motorsport Images

2006 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
2006 - Alemanha (Hockenheim e Nurburgring)
48/56
E também no GP da Alemanha, vencendo as duas provas disputadas em sua terra natal.

Foto de: Ercole Colombo

2006 - Itália (San Marino e Monza)
2006 - Itália (San Marino e Monza)
49/56
Nas corridas no quintal da Itália, Schumacher também brilhou, alcançando a vitória na última corrida da F1 em Ímola.

Foto de: XPB Images

2006 - Itália (San Marino e Monza)
2006 - Itália (San Marino e Monza)
50/56
E repetindo o feito em Monza, prova marcada por sua 90ª vitória na F1 e pelo anúncio de sua aposentadoria.

Foto de: XPB Images

2008 - Espanha (Barcelona e Valência)
2008 - Espanha (Barcelona e Valência)
51/56
Mas a F1 não ficou muito tempo sem repetir corridas em um mesmo país. De 2008 a 2012, Barcelona e Valência sediaram provas na Espanha. Raikkonen venceu o GP da Espanha.

Foto de: Andrew Ferraro / Motorsport Images

2008 - Espanha (Barcelona e Valência)
2008 - Espanha (Barcelona e Valência)
52/56
E Felipe Massa inaugurou o circuito de Valência com uma vitória brasileira. Era o GP da Europa, disputado nas ruas da região portuária da cidade.

Foto de: XPB Images

2012 - Espanha (Barcelona e Valência)
2012 - Espanha (Barcelona e Valência)
53/56
No ano da última dupla de corridas em um mesmo país, Pastor Maldonado venceu pela primeira e única vez na carreira, com a Williams no GP da Espanha.

Foto de: XPB Images

2012 - Espanha (Barcelona e Valência)
2012 - Espanha (Barcelona e Valência)
54/56
Já Valência se despediu da F1 com uma vitória do piloto da casa. Fernando Alonso triunfou nas ruas da cidade espanhola, trazendo Kimi Raikkonen na segunda posição e Michael Schumacher na terceira, o último pódio do alemão na F1.

Foto de: XPB Images

2021 - Estados Unidos (Austin e Miami)
2021 - Estados Unidos (Austin e Miami)
55/56
Austin é a sede do GP dos Estados Unidos desde 2012 e Lewis Hamilton venceu cinco das sete edições realizadas no circuito das Américas.
2021 - Estados Unidos (Austin e Miami)
2021 - Estados Unidos (Austin e Miami)
56/56
Em outubro, a Liberty Media anunciou que a partir de 2021 os Estados Unidos podem ser sede de duas corridas, com a inclusão de uma prova em Miami.

Foto de: Hard Rock Stadium

Quer ver Fórmula 2, Fórmula 3, Indy e Superbike de graça? Inscreva-se no DAZN e tenha acesso grátis por 30 dias a uma série de eventos esportivos. Cadastre-se agora clicando aqui. 

compartilhar
comentários
Podcast #014 - Lito Cavalcanti: "A Ferrari é maior que a Fórmula 1"
Artigo anterior

Podcast #014 - Lito Cavalcanti: "A Ferrari é maior que a Fórmula 1"

Próximo artigo

Vettel detona mudança de opinião dos críticos: é um "pesadelo"

Vettel detona mudança de opinião dos críticos: é um "pesadelo"
Carregar comentários