Fórmula 1
02 jul
-
05 jul
Próximo evento em
27 dias
16 jul
-
19 jul
Próximo evento em
41 dias
27 ago
-
30 ago
Próximo evento em
83 dias
03 set
-
06 set
Próximo evento em
90 dias
R
GP de Singapura
17 set
-
20 set
Próximo evento em
104 dias
24 set
-
27 set
Próximo evento em
111 dias
08 out
-
11 out
Próximo evento em
125 dias
R
GP dos Estados Unidos
22 out
-
25 out
Próximo evento em
139 dias
29 out
-
01 nov
Próximo evento em
146 dias
12 nov
-
15 nov
Próximo evento em
160 dias
R
GP de Abu Dhabi
26 nov
-
29 nov
Próximo evento em
174 dias

Presidente do conselho da Nissan/Renault é preso no Japão

compartilhar
comentários
Presidente do conselho da Nissan/Renault é preso no Japão
Por:
19 de nov de 2018 17:33

Carlos Ghosn foi preso no Japão sob alegações de violações financeiras

Carlos Ghosn, que lidera a aliança da Nissan, Renault e Mitsubishi e foi um dos principais defensores do programa de Fórmula 1 da fabricante francesa, foi acusado de declarar sua renda ilegalmente.

Ghosn, de 64 anos, é considerado há muito tempo um dos mais poderosos executivos do setor, conhecido por sua capacidade de cortar custos e tirar empresas de dificuldades.

Ele está a apenas um passo da equipe de F1, como o presidente da Renault Sport, Jerome Stoll, se reportando diretamente a ele.

Em uma coletiva de imprensa hoje, o CEO da Nissan, Hiroto Saikawa, disse que Ghosn deve ser demitido no final desta semana.

"Vou convocar uma reunião do conselho para fazer uma proposta para removê-lo do cargo de presidente", disse Saikawa à AFP.

"A parceria entre as três entidades não será afetada por este evento, e trabalharemos em conjunto com todos os parceiros para conter qualquer confusão possível."

Ele acrescentou: "Olhando para trás, a concentração de poder era algo sobre o qual precisamos refletir profundamente".

A notícia até atraiu comentários do presidente francês Emmanuel Macron, que observou que o Estado francês, que possui 15% de participação na Renault, "será extremamente vigilante quanto à estabilidade da aliança e do grupo".

Embora a partida iminente de Ghosn provavelmente não tenha impacto nos planos da Renault para a Fórmula 1 a curto prazo, há muito tempo ele era um defensor fundamental do grupo e aprovara pessoalmente grandes decisões.

Próximo artigo
Mercedes: GP do Brasil mostra que Verstappen precisa amadurecer

Artigo anterior

Mercedes: GP do Brasil mostra que Verstappen precisa amadurecer

Próximo artigo

Equipes desconfiam de impacto sobre ultrapassagens de mudanças para 2019

Equipes desconfiam de impacto sobre ultrapassagens de mudanças para 2019
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Adam Cooper