Fórmula 1
10 out
-
13 out
Evento encerrado
24 out
-
27 out
Evento encerrado
01 nov
-
03 nov
Evento encerrado
14 nov
-
17 nov
Evento encerrado
28 nov
-
01 dez
Evento encerrado

Red Bull: Nova regra de asa dianteira não foi a coisa certa

compartilhar
comentários
Red Bull: Nova regra de asa dianteira não foi a coisa certa
2 de jan de 2019 15:40

Chefe da equipe austríaca acha que isso pode fazer crescer as distâncias entre os times na próxima temporada

O chefe da Red Bull, Christian Horner, acredita que a maioria das equipes agora se opõe às novas regras para a temporada de 2019, apesar de alguns terem apoiado a votação do ano passado.

As asas dianteiras mais largas e simples foram trazidas para ajudar as ultrapassagens, permitindo que os carros corram mais próximos. Mas Horner acredita que a Fórmula 1 agiu com muita pressa ao trazer o design, que surgiu de pesquisas do diretor de automobilismo da F1, Ross Brawn.

“Infelizmente havia alguns elementos de um projeto de pesquisa que Ross vem trabalhando que foram escolhidos pela FIA para aplicação no próximo ano”, disse Horner. “E infelizmente Mercedes e Ferrari apoiaram isso através do Grupo de Estratégia, e isso foi votado lá”.

“Provavelmente, pensando agora, acho que todas as equipes reconheceriam que talvez não fosse a coisa certa a fazer. Mas vamos reservar o julgamento até vermos as primeiras quatro ou cinco corridas.”

Horner acredita que as novas asas terão efeito limitado na qualidade das corridas, e só irão aumentar os custos das equipes.

"É uma mudança significativa", disse ele. “Como tudo, uma coisa afeta outra e obviamente tem sido uma mudança muito cara. Isso afetará a capacidade dos carros seguirem de perto? Talvez um pouco, mas não de forma tangível.”

“E, inevitavelmente, alguém vai acertar, algumas equipes vão errar. Então, se houver alguma coisa, isso colocará mais espaço entre as equipes. A melhor maneira de alcançar um grid mais junto é a estabilidade e, em seguida, as equipes convergem.”

Falando na festa de gala da FIA, o chefe da equipe Mercedes, Toto Wolff, disse que espera que a mudança afete a ordem competitiva da F1, o que explica por que ele a apoiou.

"Antes de mais nada, votamos a favor porque não queríamos ser disfuncionais", disse ele. “A FIA e a Liberty fizeram um grande esforço para criar essas regras e, no caso da Mercedes, não queremos ser inúteis. E é por isso que votamos a favor”.

“Sentimos que isso abalaria um pouco o grid, o que por si só oferece uma oportunidade e um risco, mas nós gostamos da oportunidade. E então, obviamente, estamos tentando compensar a perda de downforce tanto quanto possível, e estou curioso para ver quando chegarmos às pistas o quanto estaremos perdendo.”

Próximo artigo
Grosjean é mais rápido do que Button, diz Magnussen

Artigo anterior

Grosjean é mais rápido do que Button, diz Magnussen

Próximo artigo

Sauber: “Espiral positiva” foi crucial para motivar Kimi a retornar

Sauber: “Espiral positiva” foi crucial para motivar Kimi a retornar
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1