Renault diz que novo motor superou metas de desempenho

Fabricante acredita que sua nova unidade ultrapassou os objetivos planejados, embora seu programa de testes tenha sido afetado por problemas de confiabilidade

Renault diz que novo motor superou metas de desempenho
(L to R): Alan Permane, Renault Sport F1 Team RS17 Trackside Operations Director with Cyril Abiteboul, Renault Sport F1 Managing Director
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB13
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB13
Max Verstappen, Red Bull Racing RB13
Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR12
Max Verstappen, Red Bull Racing RB13 with flow-vis paint
Carlos Sainz Jr., Scuderia Toro Rosso STR12
Max Verstappen, Red Bull Racing RB13
Cyril Abiteboul, Renault Sport F1 Managing Director
Nico Hulkenberg, Renault Sport F1 Team RS17
(L to R): Alan Permane, Renault Sport F1 Team Trackside Operations Director with Cyril Abiteboul, Renault Sport F1 Managing Director
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17
Jolyon Palmer, Renault Sport F1 Team RS17
Carregar reprodutor de áudio

A Renault introduziu um conceito totalmente novo para 2017 na tentativa de diminuir a diferença para os principais rivais, Mercedes e Ferrari, e seu progresso este ano tem sido visto como chave para as esperanças da Red Bull lutar pelo campeonato.

Embora a fabricante francesa tenha sofrido algumas frustrações com a confiabilidade nos testes de Barcelona em torno de seu ERS, há algum otimismo sobre o potencial para o campeonato.

O diretor-executivo da Renault F1, Cyril Abiteboul, deixa claro que a prioridade é garantir que os carros cheguem à bandeira quadriculada em Melbourne.

Falando ao Motorsport.com sobre o equilíbrio entre os desejos competitivos da Red Bull e a necessidade de ter um carro confiável, Abiteboul disse: "Claramente eles estarão em uma posição para lutar pelo campeonato."

"Sabemos disso e faremos o nosso melhor para permitir que façam isso, começando com um motor confiável para a primeira corrida."

Progresso em 2017

Tendo estabelecido uma meta de 0s3 mais rápido por volta sobre a versão 2016 do motor, Abiteboul disse que as indicações eram de um passo maior.

"Acho que atingimos o alvo, e acredito que superamos essa meta", disse ele. "Chegamos a isso com uma nova arquitetura de motor."

"É um grande desafio, particularmente em termos de confiabilidade, e não há nenhuma surpresa. Esperávamos encontrar algumas dificuldades e elas se materializaram."

"Mas a boa notícia é que o desempenho está lá, vimos o desempenho que queríamos ter."

Decisão crítica

A Renault está analisando a escolha da especificação para o GP da Austrália, por ter que cuidadosamente equilibrar potência e confiabilidade.

Com os pilotos limitados a apenas quatro motores para a temporada, há uma grande necessidade de garantir que não aconteçam falhas, mas também está ciente de que precisa impulsionar seu desempenho.

"Qualquer coisa pode acontecer em Melbourne, estamos fazendo tudo o que podemos para garantir que apenas coisas boas aconteçam lá", explicou Abiteboul.

"Acreditamos que temos uma situação que está sob controle, mas essas unidades de potência são tão complexas que ainda temos uma série de decisões a tomar, antes de Melbourne, que terão um impacto não só na ordem de chegada, mas se conseguiremos terminar a prova."

"Estamos realmente em um caminho decisivo e é realmente importante manter o foco."

compartilhar
comentários
Com novo patrocínio, Force India anuncia pintura rosa
Artigo anterior

Com novo patrocínio, Force India anuncia pintura rosa

Próximo artigo

Motorsport Network atualiza visual da F1 Racing Magazine

Motorsport Network atualiza visual da F1 Racing Magazine