Saiba quais os números fixos dos pilotos da F1 2022 e conheça seus significados

Competidores utilizam numeração que os acompanham ao longo das temporadas e cada um teve um motivo de escolha diferente

Saiba quais os números fixos dos pilotos da F1 2022 e conheça seus significados
Carregar reprodutor de áudio

Todos os pilotos de Fórmula 1 têm um número permanente que os acompanha até o final de sua carreira na categoria principal. Quais são os do grid de 2022 e quais suas histórias?

Leia também:

Antes anedóticos por serem 'distribuídos' de acordo com a classificação do campeonato de construtores do ano anterior, os números ganharam importância na F1 nas últimas temporadas. Para tornar mais fácil para os fãs reconhecerem os pilotos na pista, desde 2014 todos tiveram que escolher um fixo.

O campeonato só permite uma escolha entre o #2 e o #99. Pastor Maldonado foi o único a desafiar a superstição ao usar o #13 entre 2014 e 2015. O número 1 está reservado ao atual campeão, mas manteve-se impopular, não sendo o seu uso obrigatório.

Lewis Hamilton, que venceu seis dos oito campeonatos disputados desde 2014, nunca quis utilizá-lo. Nico Rosberg, coroado em 2016, não teve tempo de experimentá-lo pois se aposentou em seguida. Como resultado, Max Verstappen será o primeiro piloto a herdar o número 1 desde Sebastian Vettel em 2014.

Também é possível que um número seja usado por vários pilotos: a FIA o "congela" durante as duas temporadas seguintes à sua saída da F1 e depois o disponibiliza. Isto é o que aconteceu para #4, #6, #9, #10, #22, #28, #88 e #99. Note-se que apenas um número foi retirado da competição, é o 17, que pertencia a Jules Bianchi, após a morte do piloto francês.

Números dos pilotos de Fórmula 1 em 2022 e seus significados

Numéro Pilote  
Netherlands Max Verstappen Max Verstappen aproveitou a oportunidade de seu primeiro título mundial para ficar com o #1 reservado ao atual campeão. Se perdesse a coroa, o holandês voltaria ao #33. Ele o escolheu no início de sua carreira na F1 por 'adaptação', seu sortudo #3 já havia sido levado por Daniel Ricciardo. Verstappen, portanto, acrescentou um segundo 3 a ele.
Australia Daniel Ricciardo

Antes de Verstappen chegar à F1, Daniel Ricciardo estava de olho no #3. Ele havia herdado esse número, atribuído aleatoriamente, durante sua primeira corrida de kart, quando morava no número 3 de sua rua. Além disso, o australiano cresceu apoiando Dale Earnhardt, um dos melhores pilotos da NASCAR de sua geração, que tinha o número 3.

United Kingdom Lando Norris

Lando Norris é um grande fã de Valentino Rossi. A lenda do MotoGP usava o #46, um número que Norris queria utilizar na F1 antes de mudar de ideia. Por fim, ele optou pelo #4, que certamente é o primeiro dígito de 46, mas que não tem nenhum significado particular para ele.

Germany Sebastian Vettel

Campeão no kart em 2001 com o #5, Vettel percebeu que esse número nunca o deixou: Nigel Mansell, um piloto que ele admira, recolheu seus maiores sucessos com o emblemático "Red Five", Vettel conquistou seu primeiro título mundial ao volante de um carro numerado 5 e, em algarismos romanos, o 5 está escrito com a letra V.

Canada Nicholas Latifi

Para Nicholas Latifi e muitos canadenses, o número 6 refere-se à cidade de Toronto, onde o piloto da Williams cresceu. A capital de Ontário é composta por seis distritos cobertos pelo código de área 416.

France Pierre Gasly

Fã de futebol, Pierre Gasly escolheu o 10 em homenagem a Zinédine Zidane, o emblemático número 10 da seleção francesa. Mas esse número também foi usado por Gasly durante sua temporada vitoriosa na Fórmula Renault Eurocup 2.0, em 2013.

Mexico Sergio Pérez E Gasly não é o único amante do futebol no paddock. Sergio Pérez escolheu o número 11 que Iván Zamorano usava quando ingressou no Club América no início dos anos 2000.
Spain Fernando Alonso

Para Fernando Alonso, o número 14 era óbvio: em 14 de julho de 1996, aos 14 anos, o bicampeão mundial de F1 conquistou o título de kart ao volante de uma máquina com o número 14.

Monaco Charles Leclerc

Apesar de ter nascido em 16 de outubro, Charles Leclerc sonhava com o número 7 da sorte para sua carreira na F1. Mas Kimi Raikkonen o detinha. Ele então pensou no 10, mas seu amigo Pierre Gasly acabara de pegar. Como último recurso, Leclerc pegou a calculadora para encontrar o número 16 "porque 1 mais 6 é igual a 7".

Canada Lance Stroll

Lance Stroll conquistou com o 18º lugar seus títulos de Fórmula 4 e Toyota Racing Series. "Um pouco supersticioso", o canadense manteve-se fiel a esse número quando foi recrutado para a F1, pouco depois de completar 18 anos.

Denmark Kevin Magnussen

Como ele ficou fora apenas por um ano, Kevin Magnussen assumiu o #20 nesta temporada. O piloto da Haas escolheu-o em 2014 por causa do título na Fórmula Renault 3.5, adquirido com este número, no ano anterior.

Japan Yuki Tsunoda Yuki Tsunoda queria ficar com o 11, já que foi com esse número que ele começou sua carreira de piloto. No entanto, já foi atribuído a Sergio Pérez. O japonês, portanto, mudou para o #22.
Thailand Alexander Albon

Assim como seu amigo Norris, Alexander Albon é fã de Rossi, mas ao contrário do piloto da McLaren, o tailandês não escolheu o primeiro algarismo do #46, ele simplesmente o reduziu pela metade, daí o #23.

China Guanyu Zhou

Guanyu Zhou, o único estreante no grid nesta temporada, escolheu o 24 lugar por um motivo não relacionado às corridas. O chinês é um grande fã de basquete e Kobe Bryant, lenda do esporte que morreu em 2020 e que vestiu esse número no Los Angeles Lakers.

France Esteban Ocon

Esteban Ocon venceu o campeonato francês de kart com o número 31 em 2007. O piloto da Alpine guarda excelentes lembranças deste ano, então sua escolha ficou clara quando entrou na F1.

United Kingdom Lewis Hamilton

Para sua primeira corrida de kart, aos 8 anos, Lewis Hamilton não sabia qual número usar. O britânico então pôs os olhos na placa de seu pai, que começava com F44. O resto é história.

Germany Mick Schumacher Originalmente, Schumacher queria ficar com o número 4 (seu número durante a campanha vitoriosa na F3 Euro em 2018) e o número 7 (em homenagem aos sete títulos mundiais de seu pai), mas todos já foram pegos. O alemão, portanto, colou os dois para formar o #47, que tem a particularidade de ser o resultado da adição das datas de aniversário dos membros da família Schumacher (2 + 3 + 20 + 22 = 47).
Spain Carlos Sainz

Carlos Sainz precisou de um pouco de imaginação para encontrar seu número de corrida. O espanhol apostou primeiro no #5 (já utilizado) até escolher o #55, representando, segundo ele, os dois S do seu nome: Carlo55ainz.

United Kingdom George Russell

O número 63, de propriedade de George Russell, é na verdade um assunto de família. Seu irmão, Benjy Russell, dirigiu com esse número no kart nos anos 2000.

Finland Valtteri Bottas

Foi seu compatriota Kimi Räikkönen que ficou com o 7, mas Valtteri Bottas também queria que esse número fosse considerado um amuleto da sorte. O piloto da Alfa Romeo escolheu o #77 como uma homenagem aos dois Ts duplos em seu nome: Val77eri Bo77as.

LITO CAVALCANTI analisa PREOCUPAÇÃO da Mercedes, momento da Red Bull e chances da Ferrari na F1 2022

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast: Saiba os pontos fortes e os pecados da quarta temporada de DRIVE TO SURVIVE

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
TELEMETRIA: Rico Penteado analisa pré-temporada da F1 e fala sobre favoritos para o GP do Bahrein
Artigo anterior

TELEMETRIA: Rico Penteado analisa pré-temporada da F1 e fala sobre favoritos para o GP do Bahrein

Próximo artigo

Verstappen acredita que F1 "não precisa do relatório completo" da FIA sobre Abu Dhabi

Verstappen acredita que F1 "não precisa do relatório completo" da FIA sobre Abu Dhabi