Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Veja em detalhes os 10 pontos chaves do novo carro da Ferrari

compartilhar
comentários
Veja em detalhes os 10 pontos chaves do novo carro da Ferrari
Por:
, Especialista
Co-autor: Matthew Somerfield

Fazendo uma comparação entre os carros de 2019 e 2020, Giorgio Piola mostra com suas ilustrações as principais diferenças entre as duas máquinas da equipe italiana

Giorgio Piola, um dos nomes mais importantes do mundo do automobilismo, devido às suas ilustrações dos carros da Fórmula 1, fez uma análise de um dos lançamentos mais importantes da semana: o do SF1000, novo modelo da Ferrari, que tenta quebrar o jejum de 11 anos sem títulos da equipe italiana. 
 
Veja, em dez pontos, as principais diferenças entre o SF90, carro de 2019 e o SF1000, de 2020
 

Leia também:

 
1. O bico utiliza uma solução similar ao design introduzido pela Ferrari no GP de Cingapura na última temporada, com mudanças feitas no formato do bico com o objetivo de maximizar a performance.
 
2. As palhetas foram trazidas para a frente e são mais complexas que a do ano passado, tendo agora sete elementos inseridos abaixo do bico e do chassis.
 
3. As rodas foram redesenhadas com o apoio de seu parceiro, O.Z., e mostram raios mais longos devido à redução do diâmetro do cubo central. Isso deve permitir que uma quantidade maior de ar passe através do duto dos freios e pela face da roda, uma técnica utilizada por outras equipes na temporada passada após a proibição do eixo soprado.
Ferrari SF1000 detalhe da asa dianteira

Ferrari SF1000 detalhe da asa dianteira

Photo by: Ferrari

Ferrari SF1000 detalhe

Ferrari SF1000 detalhe

Photo by: Ferrari

Ferrari SF1000 detalhe da asa dianteira

Ferrari SF1000 detalhe da asa dianteira

Photo by: Ferrari

4. Os bargeboards foram redesenhados com cuidado para maximizar o fluxo para os sidepods e suas entradas atrás, com a seção mais à frente dividida em três, tornando-se ainda mais alta que a do ano passado. Enquanto isso, uma solução em formato de bumerangue duplo foi implantada com uma mais fina montada na extremidade frontal e outra maior na traseira.
 
5. A solução inovadora dos sidepods, introduzida em 2017, e responsável por colocar a longarina de impacto lateral superior em um local mais baixo e avançado, foi mantida e melhorada. Claramente houve uma inspiração na Red Bull nesse sentido, ao utilizar duas seções aladas acima e à frente da entrada principal de resfriamento, permitindo que ela seja muito menor, além de servir aos seus próprios objetivo aerodinâmicos. Essas mudanças também levaram a um design espelhado, com a asa mais aerodinâmica e ambas as hastes servindo como dispositivos de condicionamento de fluxo, bem como suportes para o espelho lateral.
 
6. A caixa de ar manteve sua forma trapezoidal estreia, um recurso que permitiu aos projetistas da equipe instalarem "aletas" em ambos os lados, que servem como condicionadores de fluxo, com o objetivo de melhorar o fluxo para a asa traseira. Essa não é uma solução nova, apenas uma reinterpretação para atender as regulamentações vigentes, com a McLaren sendo pioneira com um design semelhante em 2005, algo copiado posteriormente pelas outras equipes.
Ferrari SF1000 detalhe do sidepod

Ferrari SF1000 detalhe do sidepod

Photo by: Ferrari

Ferrari SF1000 detalhe dos sidepods

Ferrari SF1000 detalhe dos sidepods

Photo by: Ferrari

Ferrari SF1000 detalhe

Ferrari SF1000 detalhe

Photo by: Ferrari

7. A cobertura do motor é dramaticamente mais fina e possui uma linha muito mais baixa, graças ao trabalho realizado pelo departamento da unidade de força para reembalar a unidade e seus acessórios. Isso também se estende aos sidepods, onde é possível ver o quão mais apertada é a embalagem, em comparação ao carro de 2019.
 
8. Uma nova caixa de marchas, que tem o mesmo volume, mas mais estreita, permite um corpo mais estreito na traseira do carro, melhorando o fluxo na região.
 
9. A asa em T não é dramaticamente nova quando comparado com o carro do ano passado, mas apresenta algumas novidades. Os suportes da asa traseira com pescoço de cisne duplo também foram mantidos, assim como a tubulação de elemento único, embora o trabalho realizado no final da temporada passada possa indicar uma utilização de tubulação dupla no futuro.
Ferrari SF1000 detalhe da traseira

Ferrari SF1000 detalhe da traseira

Photo by: Ferrari

Ferrari SF1000 detalhe do halo

Ferrari SF1000 detalhe do halo

Photo by: Ferrari

Ferrari SF1000 detalhe da traseira

Ferrari SF1000 detalhe da traseira

Photo by: Ferrari

10. A placa final da asa traseira foi otimizada para 2020, com cuidado com o número e o design das strakes colocadas na seção mais larga da asa. Como sempre, esperamos ver várias configurações de asas traseiras ao longo da temporada, a fim de atender às demandas de circuitos específicos que eles visitarão.
Comparação entre a Ferrari SF90 e a Ferrari SF1000

Comparação entre a Ferrari SF90 e a Ferrari SF1000

Photo by: Giorgio Piola

Como a Ferrari chegou nessa situação? Aqui estão os pontos fundamentais do SF90, carro de 2019

Ferrari SF90 asa dianteira

Ferrari SF90 asa dianteira
1/9

Foto de: Giorgio Piola

A solução introduzida pela Ferrari no GP de Cingapura de 2019

Ferrari SF90, bico dianteiro visto por baixo

Ferrari SF90, bico dianteiro visto por baixo
2/9

Foto de: Giorgio Piola

O lado de baixo da solução introduzida pela Ferrari em Cingapura

Ferrari SF90, bico

Ferrari SF90, bico
3/9

Foto de: Giorgio Piola

As palhetas usadas pela Ferrari em 2019 começaram um pouco mais atrás no carro

Ferrari SF90, comparação entre os freios dianteiros

Ferrari SF90, comparação entre os freios dianteiros
4/9

Foto de: Giorgio Piola

O eixo soprado (embutido) havia sido banido para 2019 e, portanto, a Ferrari procurou maneiras de recuperar alguns dos benefícios aerodinâmicos perdidos

Ferrari SF90, bargeboard

Ferrari SF90, bargeboard
5/9

Foto de: Giorgio Piola

A Ferrari fez diversas melhorias em suas bargeboards ao longo de 2019, mas nenhuma das soluções usadas no ano passado chegam próximas da complexidade das apresentadas até agora em 2020

Ferrari SF90, detalhe lateral

Ferrari SF90, detalhe lateral
6/9

Foto de: Giorgio Piola

A Ferrari foi a primeira a usar o design do lado lateral quase universalmente adotado em 2017, mas isso não os impediu de refiná-lo desde então. Aqui, em 2019, podemos ver até onde o design foi, mas para 2020 a equipe parece ter progredido ainda mais

McLaren MP4-20 2005 e os chifres na caixa de ar

McLaren MP4-20 2005 e os chifres na caixa de ar
7/9

Foto de: Giorgio Piola

McLaren introduziu esses "chifres viking" em 2005, um desenvolvimento que foi incorporado pela Ferrari no regulamento atual

Ferrari SP90, placa traseira da asa traseira

Ferrari SP90, placa traseira da asa traseira
8/9

Foto de: Giorgio Piola

A tampa do motor e a carroceria ao redor já eram bastante finas no ano passado, como evidenciado aqui. Mas, o SF1000 leva as coisas a um nível completamente diferente

Ferrari SF90, detalhe do sensor do assoalho

Ferrari SF90, detalhe do sensor do assoalho
9/9

Foto de: Giorgio Piola

O trabalho feito na traseira do SF90, como visto aqui, já mexeu significativamente no design, mas agora parece ser inchado quando comparado com o carro deste ano
Alfa Romeo exibe novo carro em pista da Itália

Artigo anterior

Alfa Romeo exibe novo carro em pista da Itália

Próximo artigo

Mercedes explica como design do W11 aborda problemas de resfriamento

Mercedes explica como design do W11 aborda problemas de resfriamento
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Ferrari
Autor Giorgio Piola