Agag faz oferta de R$ 2.5 bilhões pelo controle total da F-E

Atual CEO da categoria de carros elétricos quer agora o controle completo da série

compartilhar
comentários
Agag faz oferta de R$ 2.5 bilhões pelo controle total da F-E
Alejandro Agag, CEO, Formula E, at the FIA Smart Cities conference
Alejandro Agag, CEO, Formula E
Jean-Eric Vergne, Techeetah, wins the Paris ePrix, hugs Alejandro Agag, CEO, Formula E
Pit action
Lucas di Grassi, Audi Sport ABT Schaeffler
Nicolas Prost, Renault e.Dams

Alejandro Agag, CEO da Fórmula E, fez uma oferta surpresa de € 600 milhões (cerca de R$ 2.5 bilhões) pela pela compra total da categoria.

Em carta, o fundador da série  afirma sua ambição de ter maior influência sobre a futura direção do campeonato, assumindo o controle total da participação.

Na carta, datada de hoje e endereçada ao presidente do conselho de administração da Fórmula E, Agag escreveu: “Como empresário, gostaria de aumentar meu interesse pelo negócio e influenciar sua direção futura.”

“Acredito fortemente no futuro da Fórmula E e esta oferta é uma expressão dessa confiança.”

“Por esse motivo, gostaria de fazer uma proposta para comprar todas as ações da empresa no valor de € 600 milhões.”

O movimento da Agag vem durante a quarta temporada da série, e que continua atraindo o interesse dos principais fabricantes de automóveis do mundo.

A Audi aumentou sua presença na Abt, com a BMW pronta para entrar na temporada de 2018/2019, quando os novos carros, chamados de Gen2 farão sua estreia.

A Nissan substituirá a parceira Renault na e.dams no próximo campeonato e tanto a Porsche quanto a Mercedes confirmaram as inscrições para o próximo campeonato em 2019/2020.

A gigante suíça de eletrônicos ABB foi anunciada recentemente como parceira de nome do campeonato, que também atraiu importantes patrocínios de empresas como Allianz e Hugo Boss - ambas investindo anteriormente na Fórmula 1.

Comentando sobre a decisão da Agag, o chefe da Mercedes na F1, Toto Wolff, disse: “Na minha opinião, por trás de toda grande história de sucesso há uma visão empreendedora e contra todas as probabilidades. Alejandro criou esta série que ninguém dava nada quando foi lançada.”

“Agora todos os principais fabricantes se juntaram à Fórmula E e uma parte muito grande disso está ligada a Alejandro.”

Marco Parroni, diretor administrativo do primeiro patrocinador da F-E, o banco Julius Bar, disse que foi persuadido dos méritos das corridas de rua elétricas pela Agag e que o crescimento contínuo da série foi prova de sua visão.

“A Fórmula E teve muitas dificuldades financeiras no começo”, ele disse, “E é por isso que a série precisava de investidores.”

“Mas, definitivamente, sem o Alejandro o projeto não existiria hoje.”

Por Anthony Rowlinson

Cinto mal fixado tira Nelsinho do ePrix de Paris

Artigo anterior

Cinto mal fixado tira Nelsinho do ePrix de Paris

Próximo artigo

Sarrazin substitui Blomqvist na Andretti na Fórmula E

Sarrazin substitui Blomqvist na Andretti na Fórmula E
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula E