GALERIA: Casos que podem inspirar Monger após grave acidente

O mundo do automobilismo recebeu uma boa notícia no último fim de semana: Billy Monger, que perdeu suas pernas após uma grave batida na F4 inglesa, enfim recebeu alta e voltou para casa.

GALERIA: Casos que podem inspirar Monger após grave acidente
Carregar reprodutor de áudio

Por mais que a novidade dê indícios de que Monger está se recuperando bem do ocorrido, o jovem, que recentemente completou 18 anos, precisará passar por algumas adaptações de agora em diante.

No entanto, há alguns casos de pilotos que foram obrigados a encerrar a carreira após um grave acidente e que ainda assim se mantiveram conectados com o automobilismo de alguma forma. Confira!

 

Billy Monger
Billy Monger
1/13
No dia 16 de abril, Monger sofreu um grave acidente na etapa de Donington Park da F4 inglesa. Na ocasião, o jovem atingiu em cheio um carro que estava parado na pista com problemas mecânicos. Como resultado, Monger teve suas duas pernas amputadas logo abaixo dos joelhos.

Foto de: JEP / Motorsport Images

Alex Zanardi
Alex Zanardi
2/13
Impossível não ligar Monger a Zanardi. Em 2001, o italiano, ex-F1 que ganhou dois títulos da CART, perdeu suas duas pernas em um horroroso acidente na etapa de Lauzits da categoria americana.

Foto de: Greg Gage

Alex Zanardi
Alex Zanardi
3/13
Depois de recuperado, Zanardi voltou às competições com carros adaptados, o que incluiu vitórias no WTCC e testes na F1. Além disso, ele construiu uma carreira vitoriosa no ciclismo paralímpico, com medalhas nos Jogos de Londres e do Rio de Janeiro.

Foto de: BMW AG

Robert Kubica
Robert Kubica
4/13
Um dos grandes nomes em ascensão da F1, Kubica viu sua carreira nos monopostos chegar ao fim de maneira abrupta, quando sofreu um acidente em uma prova de rali. O impacto provocou lesões do lado direito do seu corpo, sobretudo mão e cotovelo.

Foto de: XPB Images

Robert Kubica
Robert Kubica
5/13
Sem conseguir guiar em um cockpit apertado, Kubica migrou para o rali, onde competiu no Mundial, além de provas isoladas em categorias de turismo e testes no WEC e DTM. Em 2017, testou um monoposto da GP3, o que pode indicar um retorno aos carros de fórmula no futuro.

Foto de: XPB Images

Alessandro Nannini
Alessandro Nannini
6/13
Vencedor do fatídico GP do Japão de 89, Nannini foi obrigado a se adaptar após um acidente de helicóptero em 90. Sem movimentos em uma das mãos, o italiano perdeu sua vaga na Benetton para Roberto Moreno.

Foto de: LAT Images

Alessandro Nannini
Alessandro Nannini
7/13
Mesmo assim, Nannini voltou a competir em carros de turismo, o que incluiu uma campanha forte no ITC em 1996. Guiando pela Alfa Romeo, o veterano terminou o campeonato em terceiro lugar, com sete vitórias.

Foto de: HOCH ZWEI

Martin Donnelly
Martin Donnelly
8/13
Então piloto da Lotus, Donnelly sofreu um acidente impressionante em Jerez de la Frontera, quando seu cockpit se partiu ao meio e deixou o piloto jogado no meio da pista. Na ocasião, Donnelly sofreu lesões sérias na cabeça, pulmão, clavícula e pernas, o que o fez passar um longo tempo em uma cadeira de rodas.

Foto de: Sutton Motorsport Images

Martin Donnelly
Martin Donnelly
9/13
Donnelly nunca mais competiu na F1, mas se manteve envolvido com o automobilismo. Participou de provas de carros de turismo, manteve uma equipe na F-Vauxhall inglesa e frequentemente atua como comissário desportivo convidado em corridas de F1.

Foto de: Dave Dyer

Emerson Fittipaldi
Emerson Fittipaldi
10/13
A carreira de Fittipaldi chegou ao fim após uma batida na etapa de Michigan da CART, em 1996, quando sofreu uma contusão nas costas. O bicampeão da F1 e da Indy nunca mais competiu profissionalmente.

Foto de: IndyCar Series

Emerson Fittipaldi
Emerson Fittipaldi
11/13
Mesmo assim, Fittipaldi se manteve ativo no automobilismo. Ele manteve equipes na CART e na A1 GP, além de se envolver em promoções de eventos. Em ocasiões isoladas, Fittipaldi participou de corridas especiais, como as 6 Horas de Interlagos e etapas da GP Masters.

Foto de: XPB Images

Dario Franchitti
Dario Franchitti
12/13
Tetracampeão da Indy e três vezes vencedor das 500 Milhas de Indianápolis, Franchitti pendurou o capacete por recomendações médicas após sofrer um acidente em Houston, em 2013. Na ocasião, o escocês sofreu lesões nas pernas e nas costas e nunca mais competiu.

Foto de: Richard Dowdy

Dario Franchitti
Dario Franchitti
13/13
Ainda assim, Franchitti não abandonou o automobilismo. O ex-piloto atua como embaixador da Fórmula E e é figura presente nos paddocks da Indy.

Foto de: IndyCar Series

compartilhar
comentários
“Ainda tenho alguns anos pela frente”, diz Monger
Artigo anterior

“Ainda tenho alguns anos pela frente”, diz Monger

Próximo artigo

Filho de Ralf Schumacher, David estreia na F4 Alemã em 2018

Filho de Ralf Schumacher, David estreia na F4 Alemã em 2018