Lorenzo: moto da Ducati exige estilo de pilotagem "ilógico"

Após nove anos na Yamaha, Jorge Lorenzo reconhece que ainda não se adaptou às demandas da Desmosedici GP17, que segundo ele exige um estilo totalmente diferente de pilotagem

Lorenzo: moto da Ducati exige estilo de pilotagem "ilógico"
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team, Michele Pirro, Ducati Team
Johann Zarco, Monster Yamaha Tech 3, Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Jorge Lorenzo, Ducati Team
Carregar reprodutor de áudio

Jorge Lorenzo ainda sofre para extrair o melhor rendimento da Desmosedici GP17. O tricampeão da MotoGP ocupa o sétimo lugar no campeonato após seis corridas com a fabricante italiana, tendo o terceiro lugar no GP da Espanha como melhor resultado de corrida.

Lorenzo chegou a andar na frente no GP da Itália, realizado no último domingo, mas não conseguiu acompanhar o ritmo dos ponteiros e terminou em oitavo, enquanto Andrea Dovizioso, companheiro de equipe do espanhol, venceu a prova em Mugello.

Questionado sobre o que poderia aprender com os dados de Dovizioso para continuar se adaptando à GP17, Lorenzo respondeu: "Acredite, eu estou tentando de tudo para tirar o máximo desta moto."

“Mudo a posição de pilotagem toda corrida, as alavancas, freio traseiro, o assento. Tento checar os dados de todos os pilotos da Ducati para entender onde estou perdendo, tento de tudo", afirmou.

“No entanto, não é simples mudar após 20 anos pilotando da mesma forma - você não consegue aprender um novo idioma em dois dias, tudo é complicado. Você precisa pilotar esta moto de um jeito ilógico para ser competitivo. É o oposto do que vivi na Yamaha", acrescentou.

“No momento, consigo ter corridas razoáveis. Às vezes, boas corridas, mas não excelentes. Quando eu me sentir confiante na moto e a moto se sentir minha, farei corridas excelentes novamente. A Yamaha era mais natural para o meu estilo de pilotagem", comentou.

“A Ducati não soa natural para mim no momento, mesmo eu tentando o meu melhor e sendo um piloto mais completo do que quando entrei na MotoGP. Provavelmente isso tem relação com o estilo de pilotagem que a moto exige no momento."

“Estou trabalhando com Gigi (Dall’Igna, chefe da Ducati) e com os engenheiros para fazer a moto contornar curvas melhor. Até que isso aconteça, tudo vai depender de como a moto se comporta em cada pista e também será importante a velocidade com a qual serei capaz de adaptar meu estilo de pilotagem", completou.

compartilhar
comentários
Confira os horários da MotoGP na Catalunha
Artigo anterior

Confira os horários da MotoGP na Catalunha

Próximo artigo

Rossi critica possível GP da Tailândia: "pista é chata"

Rossi critica possível GP da Tailândia: "pista é chata"