Vencedor na corrida 2, Galid comemora troca de chassi

Quase dois anos após primeira vitória, piloto da Ipiranga-RCM se enche de confiança após triunfo em Goiânia

Vencedor na corrida 2, Galid comemora troca de chassi
Galid Osman em Goiânia
Galid Osman e Thiago Camilo
Galid Osman e Thiago Camilo
Galid Osman em Goiânia
Galid Osman, #28 SP/RCM Ipiranga Chevrolet
Galid Osman, #28 SP/RCM-Ipiranga Chevrolet

Desde a pole position conquistada em Curitiba, na quarta etapa do ano passado, Galid Osman vinha tendo uma série de corridas ruins abaixo do que havia feito pela Ipiranga-RCM no ano de 2014 (quando chegou a vencer uma prova) e no início de 2015.

A justificativa estava em seu carro, segundo ele mal ajustado. O carro novo entrou em cena quando o piloto bateu em um treino em Curitiba no ano passado e deu perda em seu chassi. Agora, com um novo engenheiro e um novo chassi, Galid espera que sua má fase tenha terminado.

“Estamos vindo de um momento difícil. Em 2014 eu fui bem, 2015 apanhei e em 2016 estou me superando com minha equipe”, falou ao Motorsport.com. “Posso terminar bem no fim do ano.”

“Quando troquei o carro no ano passado, acabou para mim. Não consegui mais ser competitivo. Neste ano comecei com outro chassi e outro engenheiro. Montamos outra estrutura e deu certo. A equipe está muito unida. Eu e o Thiago (Camilo) estamos trabalhando junto, muito mais do que a gente sempre trabalhou.”

Para ganhar, Galid se beneficiou de uma largada agressiva na corrida 2 após investir em uma estratégia na corrida 1 pensada para a segunda prova. Ele superou Barrichello, Fraga, Zonta e o companheiro Camilo na primeira volta.

“Tivemos ontem uma reunião de mais de uma hora na equipe para saber qual estratégia usar. E classificando em 12ª, decidimos parar no começo e depois tentar manter o ritmo bem forte.”

“Depois que nós terminamos a primeira corrida em quarto dos que pararam (14º na pista) sabia que tínhamos chance de vencer. Passei o Rubinho e o Fraga na largada. Sabia que só faltava o Zonta para me manter entre o primeiro dos que pararam. Consegui ainda na primeira volta.”

“Depois veio a parte mais difícil: manter durante 15 voltas o Fraga e o Rubinho atrás. Mas consegui e estou muito feliz.”

compartilhar
comentários
Sem condições de ganhar, Barrichello defende estratégia
Artigo anterior

Sem condições de ganhar, Barrichello defende estratégia

Próximo artigo

Líder, Gomes acha nova pontuação da Stock Car injusta

Líder, Gomes acha nova pontuação da Stock Car injusta
Carregar comentários