Xandinho quer rápida adaptação em "teste" para 2017

Em conversa exclusiva, piloto que retorna à Stock Car fala de sua carreira e da expectativa para fim de semana

Xandinho quer rápida adaptação em "teste" para 2017
Carro de Xandinho Negrão em Curitiba
Xandinho Negrao, Daniel Serra, Chico Longo, Raphael Matos
Xandinho Negrao
Pit stop #64 Scuderia Corsa Ferrari 458: Chico Longo, Raphael Matos, Xandinho Negrao, Daniel Serra
#64 Scuderia Corsa Ferrari 458: Chico Longo, Raphael Matos, Xandinho Negrao, Daniel Serra
#65 Scuderia Corsa Ferrari 458 Italia: Francisco Longo, Xandinho Negrao, Daniel Serra, Marcos Gomes, #9 Action Express Racing Corvette DP Chevrolet: Brian Frisselle, Burt Frisselle, John Martin, Fabien Giroix
#65 Scuderia Corsa Ferrari 458 Italia: Francisco Longo, Xandinho Negrao, Daniel Serra, Marcos Gomes
#65 Scuderia Corsa Ferrari 458 Italia: Francisco Longo, Xandinho Negrao, Daniel Serra, Marcos Gomes
#64 Scuderia Corsa Ferrari 458: Chico Longo, Raphael Matos, Xandinho Negrao, Daniel Serra
#64 Scuderia Corsa Ferrari 458: Chico Longo, Raphael Matos, Xandinho Negrao, Daniel Serra
#64 Scuderia Corsa Ferrari 458: Chico Longo, Raphael Matos, Xandinho Negrao, Daniel Serra
#64 Scuderia Corsa Ferrari 458: Chico Longo, Raphael Matos, Xandinho Negrao, Daniel Serra
Carregar reprodutor de áudio

A etapa da Stock Car em Curitiba no próximo fim de semana será o próximo capítulo da busca do título de Felipe Fraga, de apenas 21 anos. Com quase dez anos a mais, outro personagem retorna à pista da capital paranaense: Xandinho Negrao.

O Campeão da F3 sul-americana em 2003 e que passou pela GP2, A1 GP, FIA GT entre outras, não entra em um carro da maior categoria do automobilismo desde março de 2015, quando participou da etapa de estreia da categoria, na corrida de convidados realizada em Goiânia.

No domingo, Xandinho estará no carro #99 da Cavaleiro Sports, no lugar de Popo Bueno. Falando com exclusividade ao Motorsport.com Brasil, o piloto falou sobre o sentimento de retornar às pistas.

"É uma alegria muito grande", disse Xandinho. "Apesar de estar quase quatro anos sem correr na Stock - ano passado corri a prova dos convidados, mas como o carro quebrou na largada, não considero que foi uma corrida - nunca deixei de acompanhar, tenho diversos amigos lá e sempre tive o desejo de voltar. Obviamente as prioridades na vida vão mudando, conforme o tempo vai passando, fui deixando o automobilismo de lado, mas nunca deixei de ter o desejo de voltar a correr."

A volta de Xandinho ainda não é definitiva. A equipe vai utilizar a vaga no grid para testar os pilotos que farão a dupla em 2017. O fato de passar por um teste não incomoda o piloto que completa 31 anos na próxima sexta-feira?

"Estou tranquilo, não está definido se farei só esta etapa, acho que vai depender de como as coisas vão andar nesse fim de semana. Antigamente eu ficaria mais nervoso com isso, mas hoje em dia, se eu não estiver na Stock Car não será o fim do mundo."

Não considerando a corrida de convidados como experiência, Negrão terá uma árdua tarefa. Sua última temporada na Stock foi em 2012 e já prevê suas principais dificuldades de readaptação ao carro.

"Espero que a adaptação seja rápida, porque a Stock Car tem poucos treinos, é uma categoria muito competitiva, ela dá poucas oportunidades a quem está começando. Normalmente, em outras categorias, teríamos alguns treinos para adaptação. Espero poder me adaptar rápido, as maiores mudanças desde a época que eu corria são o câmbio e os pneus, espero não sofrer muito."

Xandinho vem de uma família de pilotos, seu pai, Xandy Negrao, fez carreira na Stock com quatro vices. Ele também é sobrinho de Guto Negrão e primo de André Negrao, que até o ano passado disputava a GP2 e em 2016 competiu na Indy Lights. 

Convivendo com o automobilismo desde cedo e envolvido com os negócios da família, ele também comentou o atual momento da principal série do Brasil.

"A categoria está sofrendo com a crise no Brasil, sem dúvida, o automobilismo inteiro está sofrendo. Mas é a categoria que nós temos de grande porte, então isso não pode acabar porque é o ganha-pão de muita gente. Torço para que a categoria se mantenha firme por muitos anos.

compartilhar
comentários
Xandinho Negrão volta à Stock Car em Curitiba
Artigo anterior

Xandinho Negrão volta à Stock Car em Curitiba

Próximo artigo

Cimed Racing apresenta pintura especial para Curitiba

Cimed Racing apresenta pintura especial para Curitiba