F1: Sainz lamenta batida "estranha" e Leclerc garante que Ferrari poderia colocar dois carros no Q3

Espanhol escapou na última curva em Hungaroring durante o Q2 da classificação para o GP da Hungria; monegasco diz que ritmo da equipe é forte

F1: Sainz lamenta batida "estranha" e Leclerc garante que Ferrari poderia colocar dois carros no Q3

Após um TL3 onde colocou seus dois carros no top 5, a Ferrari terminou a classificação para o GP da Hungria de Fórmula 1 com apenas um piloto no Q3: Charles Leclerc. O monegasco ficou com a sétima posição, enquanto seu companheiro de equipe, Carlos Sainz, ficou em 15º e foi eliminado na segunda parte do treino após bater na última curva do circuito.

 A sessão foi marcada por mudanças no vento e condições de aderência não muito boas na pista, alguns pilotos comentaram que os pneus estavam superaquecendo, como Lewis Hamilton, e outros relataram saídas de frente, casos de Max Verstappen e do próprio espanhol da escuderia de Maranello.

Leia também:

"Na volta anterior eu tive muitas", disse Sainz. "Foi realmente estranho, não esperava ter esse contratempo. É esquisito porque entrei na curva mais devagar do que no Q1 e ainda parece que fui pego por uma rajada de vento de cauda de 35 km/h. Não é desculpa, não é algo que deveria acontecer. Tenho sorte de que isso não ocorre com muita frequência, então não vou ser muito duro comigo."

"Claro, minhas desculpas à equipe porque é uma oportunidade perdida depois de uma primeira parte que correu muito bem. Disseram-me que foi um impacto de 22G, então é provável que tenha sido danificado de qualquer maneira. Tive tração, mas a asa dianteira estava embaixo do carro. Nunca desisti e tentei, mas talvez a melhor coisa a fazer fosse ter parado."

Sainz pode escolher os pneus com que vai largar, mas é indiferente sobre isso: "Infelizmente, não há muita vantagem nesta pista na seleção dos compostos. Claro, vamos analisar todas as opções possíveis para ver como podemos voltar amanhã."

"É um golpe duro, porque você não quer ter problemas na qualificação aqui por ser muito difícil de ultrapassar. Vamos aprender com isso, que também faz parte de entender como o carro reage a diferentes condições climáticas."

Leclerc: "Conseguiríamos estar os dois no top 10"

Charles Leclerc, Ferrari SF21

Charles Leclerc, Ferrari SF21

Photo by: Motorsport Images

Leclerc passou ao Q3 e garantiu um lugar entre os dez primeiros ao se classificar em sétimo, mas piorou o desempenho em relação ao GP da Grã-Bretanha, onde saiu do quarto posto, e sentiu que as coisas poderiam ter sido melhores.

"Eu esperava mais hoje", comentou o monegasco. "Em primeiro lugar, é uma pena para o Carlos. obviamente. Estaríamos ambos no top 10 com certeza hoje, os tempos foram muito próximos. Perdemos um pouco no Q2, o vento mudou e parece ter nos prejudicado mais do que os outros, precisamos entender o porquê."

"Penso que o nosso ritmo de corrida é forte, por isso estamos confiantes para amanhã de qualquer forma. No entanto, para ser sincero, se não estivermos na frente na largada, vai ser difícil, mas também podemos perder tudo com um erro nela. Portanto, não vou correr muitos riscos."

F1 AO VIVO: Hamilton SOBRA contra Verstappen e é pole em quali POLÊMICO na Hungria; veja debate | Q4

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: O "pós-guerra" na Hungria: tudo sobre o GP em Budapeste com Rico Penteado

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Bottas diz que perdeu ritmo no Q2 e que batalha de pneus será desafiadora

Artigo anterior

F1: Bottas diz que perdeu ritmo no Q2 e que batalha de pneus será desafiadora

Próximo artigo

F1: "Nada de errado, foi catimba", diz Horner sobre Hamilton no Q3

F1: "Nada de errado, foi catimba", diz Horner sobre Hamilton no Q3
Carregar comentários