GALERIA: Quando jogo de equipe pode fazer a diferença na F1

No GP da Hungria, a atitude da Mercedes em gerenciar a disputa entre Hamilton e Bottas chamou atenção. Será que isso afetará a disputa pelo título? Relembramos outros momentos em que isso aconteceu – ou quase...

GALERIA: Quando jogo de equipe pode fazer a diferença na F1
Carregar reprodutor de áudio
O episódio da Mercedes
O episódio da Mercedes
1/10
A inversão de posições entre Hamilton e Bottas no fim do GP da Hungria fez com que muitos questionassem a atitude da Mercedes. Será que os pontos perdidos pelo inglês (ou os ganhos pelo finlandês) irão afetar a luta pelo título?

Foto de: Sutton Motorsport Images

Peter Collins/Juan Manuel Fangio - 1956
Peter Collins/Juan Manuel Fangio - 1956
2/10
Para quem acha que jogo de equipe é coisa da F1 moderna, começamos com um episódio antigo. Fangio sofreu problemas no GP da Itália de 56 e ia perdendo o título, mas assumiu o carro de Collins (sim, era permitido na época) e, assim, conquistou os pontos necessários para se tornar tetracampeão.

Foto de: LAT Images

Emerson Fittipaldi/Ronnie Peterson - 1973
Emerson Fittipaldi/Ronnie Peterson - 1973
3/10
Fittipaldi tinha chances remotas de se tornar bicampeão em 73. Mas, ao terminar em segundo em Monza, atrás do parceiro Peterson, viu Jackie Stewart consolidar o título, o que azedou de vez sua relação com a Lotus. O brasileiro se transferiria para a McLaren no ano seguinte.

Foto de: LAT Images

Alan Jones/Carlos Reutemann - 1981
Alan Jones/Carlos Reutemann - 1981
4/10
O desentendimento entre os pilotos da Williams custou caro para a equipe na disputa pelo título. O não-cumprimento de uma ordem ajudou Reutemann a lutar com Nelson Piquet, mas a equipe dividida custou ao argentino, derrotado por um único ponto.

Foto de: Williams F1

René Arnoux/Alain Prost - 1982
René Arnoux/Alain Prost - 1982
5/10
Outro caso em que uma não-inversão de posições teve consequências. Arnoux não respeitou a ordem da Renault para dar passagem a Prost no GP da França. Com isso, Alain viu suas chances de título ficarem ainda mais remotas - ele terminaria o ano em quarto na tabela.

Foto de: LAT Images

Mika Hakkinen/David Coulthard - 1999
Mika Hakkinen/David Coulthard - 1999
6/10
Hakkinen passou por um enorme sufoco antes de conquistar o bi da F1 por dois pontos de vantagem para Eddie Irvine. O curioso é que o finlandês terminou imediatamente atrás de Coulthard em duas provas em que ambos se tocaram. Os pontos ali quase tiveram consequências.

Foto de: Motorsport Türkiye

Felipe Massa/Kimi Raikkonen - 2007
Felipe Massa/Kimi Raikkonen - 2007
7/10
Massa entregou uma vitória no Brasil para Raikkonen por um motivo claro: só assim o finlandês ultrapassaria os pilotos da McLaren para dar o título à Ferrari. Os dois pontos que Raikkonen marcou a mais foram decisivos.

Foto de: XPB Images

Felipe Massa/Fernando Alonso - 2010
Felipe Massa/Fernando Alonso - 2010
8/10
A Ferrari pediu para que Massa desse passagem a Alonso no GP da Austrália, mas o brasileiro se recusou. Foram alguns pontos a menos que Alonso deixou de marcar naquele ano.

Foto de: XPB Images

Felipe Massa/Fernando Alonso - 2010
Felipe Massa/Fernando Alonso - 2010
9/10
Mas, como todos sabem, Massa deu passagem a Alonso no GP da Alemanha. Muitos questionaram a ordem da Ferrari, mas os sete pontos que Alonso conquistou ali o deixaram com ainda mais força para lutar pelo título na decisão - e que resultou em sua derrota por quatro pontos para Vettel.

Foto de: XPB Images

Valtteri Bottas/Lewis Hamilton - 2017
Valtteri Bottas/Lewis Hamilton - 2017
10/10
A Mercedes fez questão de cumprir com sua palavra e fazer com que Bottas ficasse à frente de Hamilton. Foram três pontos a mais para o finlandês e três a menos para o inglês - que, agora, está a 14 do líder Vettel. Será que vai fazer diferença?

Foto de: Sutton Motorsport Images

compartilhar
comentários
Leclerc coloca Ferrari no topo em teste na Hungria
Artigo anterior

Leclerc coloca Ferrari no topo em teste na Hungria

Próximo artigo

Ocon admite que tomará "mais cuidado" com Pérez

Ocon admite que tomará "mais cuidado" com Pérez