Galvão Bueno, também conhecido como a voz da Fórmula 1 no País, voltou a narrar um evento esportivo depois de 14 meses no último domingo, transmitindo o jogo entre Flamengo e Palmeiras, pela Supercopa do Brasil, na Globo. Entretanto, o principal nome das narrações brasileiras de esporte a motor não poderá transmitir corridas da F1 neste ano, após a ida da categoria para a Band, na qual a atração ficará pelo menos até o final de 2022. De todo modo, Bueno ainda é muito associado à F1. Polêmico, controverso e sempre original, seu nome não é unanimidade entre fãs. Porém, muitos ainda lamentam a 'separação' entre ele e a elite do automobilismo mundial. Mas como eram os bastidores das transmissões com Galvão? É isso que Alfredo Bokel, que trabalhou com o narrador por mais de 20 anos e assessorou Cacá e Popó Bueno, revelou em entrevista exclusiva ao Motorsport.com. O jornalista tem currículo 'recheado': primeiro, foi prestador de serviços para o Grupo Globo entre 2000 e 2006, quando foi contratado. Em 2012, virou editor-executivo de esportes a motor. Cinco anos depois, tornou-se Gerente, deixando o cargo no começo de 2021. Assista à entrevista com Bokel, curta o conteúdo, compartilhe e também comente, além de se inscrever no canal e ativar as notificações para ficar por dentro de todas as novidades do Motorsport.com! ;D

Sobre este vídeo
Duração
08:50
Postado
13 de abr. de 2021
Categoria

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil