F1: Bahrein abrirá portões do GP apenas para profissionais de saúde

A organização vê a atitude como forma de agradecer a todos que trabalharam no combate à pandemia no país

F1: Bahrein abrirá portões do GP apenas para profissionais de saúde

Após a passagem pela Turquia neste final de semana, a Fórmula 1 viajará para o Oriente Médio e uma rodada dupla no Bahrein iniciará o percurso de três provas que finalizará a temporada 2020. E enquanto esperava-se que essas etapas finais fossem realizadas com portões fechados, o Bahrein anunciou um plano diferente: ter apenas profissionais de saúde nas arquibancadas.

O país receberá o tradicional GP do Bahrein em 29 de novembro e, na semana seguinte, o GP do Sakhir, em uma versão reduzida da pista.

Leia também:

Na semana anterior, a Liberty Media, dona da F1, anunciou em seu relatório financeiro do terceiro trimestre que a "F1 não espera ter fãs em nenhuma das provas restantes de 2020". Porém, a organização da prova confirmou que as duas provas serão abertas a "famílias de profissionais de saúde do país".

Já o GP de Abu Dhabi, que será realizado em 13 de dezembro, já confirmou que a etapa, a última da temporada, será realizada com portões fechados.

A direção do Circuito Internacional do Bahrein afirmou que a decisão de não abrir o evento ao público veio após ordens diretas do Príncipe Salman bin Hamad al Califa, Vice-Comandante Supremo e Vice Primeiro-Ministro.

Sobre a falta de disponibilização de ingressos, um comunicado do circuito destacou que "essa decisão foi tomada como resultado do status atual da pandemia global da Covid-19, após extensas discussões entre o circuito e o governo do Bahrein".

"O país segue focado na proteção de seus cidadãos e residentes, mantendo um dos maiores níveis de testes per capta do mundo".

"Porém, haverá um número limitado de vagas nas arquibancadas abertas para as famílias de profissionais de saúde e trabalhadores da linha de frente no Bahrein, como reconhecimento por sua incrível contribuição e comprometimento no combate à pandemia no reino".

O Bahrein está operando os protocolos estritos já vistos em 2020 para as equipes, F1, FIA e imprensa, com testes obrigatórios na chegada, além de uma quarentena de 12 horas nos hotéis até a divulgação dos resultados.

O chefe do circuito insistiu que, mesmo em os fãs, o local conseguirá entregar dois grandes eventos.

"Eu agradeço o Príncipe por sua liderança e apoio na preparação para receber a F1, no que será um evento muito diferente para todos os envolvidos".

"Apesar de não ser possível receber muitos fãs aos nossos eventos neste ano, estamos felizes por ter a oportunidade de reconhecer a coragem e o esforço de nossos trabalhadores da linha de frente, dando a eles a oportunidade de vivenciar a F1 de perto".

"Estamos determinados a entregar bons espetáculos para as milhões de pessoas que estarão assistindo da segurança de suas casas ao redor do mundo".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Incomodado, Hamilton fala tudo o que pensa sobre Bottas

PODCAST: Hamilton blefa ou fala verdade ao ameaçar deixar a F1?

 

compartilhar
comentários
ANÁLISE: A F1 está sendo ambiciosa demais ao anunciar um calendário de 23 provas?
Artigo anterior

ANÁLISE: A F1 está sendo ambiciosa demais ao anunciar um calendário de 23 provas?

Próximo artigo

ANÁLISE - Pérez ou Hulkenberg: qual é a melhor opção para a Red Bull?

ANÁLISE - Pérez ou Hulkenberg: qual é a melhor opção para a Red Bull?
Carregar comentários