Últimas notícias

Fórmula 1 confirma a saída de Sean Bratches, diretor comercial

Dirigente norte-americano deixa cargo para ficar com a família, mas continuará sendo consultor da F1 desde sua casa nos EUA

Sean Bratches, Managing Director of Commercial Operations, Formula One Group speaks to the media

Conforme antecipado pelo Motorsport.com, o diretor comercial da Fórmula 1, Sean Bratches, deixará a categoria máxima do automobilismo. Em comunicado oficial desta segunda-feira, a F1 anunciou que o dirigente norte-americano deixará o posto no fim de janeiro.

Ainda de acordo com o documento divulgado, Bratches continuará ligado ao campeonato de elite do esporte a motor em funções de consultoria, de modo que seguirá contribuindo com a F1 direto dos Estados Unidos.

Leia também:

O dirigente ingressou na F1 simultaneamente à aquisição da categoria pela Liberty Media em janeiro de 2017, com a missão de estabelecer um grupo comercial de alto nível, uma função que anteriormente não existia sob o comando do proprietário anterior, Bernie Ecclestone, que centralizava todas as ações. Assim, Bratches foi o homem-forte dos negócios da categoria por praticamente três anos.

Neste período, segundo a F1, "Sean construiu e liderou uma equipe que transformou o negócio comercial de uma empresa predominantemente de esporte a motor a uma marca líder global de mídia e entretenimento".

Durante seu 'mandato', a F1 ampliou seu portfólio de patrocinadores, renovou os principais acordos de corridas que já estavam no calendário e anunciou duas novas corridas para a F1, destaca o comunicado oficial.

Outros aspecto salientado é a ampliação dos negócios digitais da F1, com protagonismo para uma nova plataforma de web e podcasts, por exemplo. Ainda de acordo com o documento, houve aumento de participação em corridas, audiência televisiva e engajamento digital.

Além disso, Bratches criou e supervisionou muitas iniciativas voltadas para marcas e fãs, incluindo a renomada série da Netflix Drive to Survive, bem como iniciativas na área de eSports e outros eventos correlatos.

“Quero agradecer a Sean, em nome de todos na F1, pela liderança e experiência que ele deu à equipe de negócios nos últimos três anos. Sean transformou o lado comercial da F1 e um testemunho de seu trabalho é mostrado em nosso momento de crescimento. Estou satisfeito que Sean continuará sendo um consultor para nós de sua casa nos EUA, ele sempre fará parte da família e estou ansioso por seus conselhos. Desejo-lhe tudo de melhor", disse Carey.

"Os últimos três anos na F1 foram uma jornada incrível, que eu desfrutei completamente. Agradeço à equipe da F1 por seus extraordinários esforços, eles são os melhores e estou confiante de que continuarão servindo os fãs e cumprindo a estratégia que estabelecemos nos próximos anos. Tenho orgulho de deixar a F1 em uma posição melhor do que quando entrei em 2017 e sei que a fundação que criamos como equipe continuará a atingir novos públicos", disse Bratches.

Relembre todas as marcas brasileiras que já estiveram nos carros da F1

1975 - Empresa brasileira da área de açúcar e etanol, a Copersucar entrou na F1 em 1975 com equipe própria.
1976 - Nos primeiros anos, a marca da empresa era a única estampada em seus carros.
1977 - Até a chegada de marcas que timidamente, começaram a apoiar a iniciativa.
Em 1978, a Varig, extinta companhia aérea fechou uma parceria de transporte com a Arrows na F1.
1979 - Como os lubrificantes Varga, que se juntou à Copersucar em 1979.
Nelson Piquet contou com o apoio de empesas como Brastemp e Caracu.
Em 1980, a Skol foi a patrocinadora principal da equipe de Emerson Fittipaldi. No entanto, a cervejaria, muito famosa no Brasil, foi fundada por um consórcio de empresas europeias e tem suas origens na Bélgica e África do Sul. Hoje, a Inbev detém os direitos da marca na América do Sul.
A força dos pilotos brasileiros passou a atrair marcas para a categoria. Também confundida como marca brasileira, a Parmalat, que tem forte presença no Brasil, é uma empresa italiana.
1981 - A equipe de Fittipaldi atraiu a marca de bicicletas Caloi, em 1981.
1981 - Além da seguradora Atlântica Boavista.
1982 - E de outras, como a Brasilinvest.
e o Sal Cisne.
1982 - Além do Café do Brasil.
Senna chegou à F1 apoiado pelo Banco Nacional.
Rubens Barrichello atraiu a empresa especializada em molhos e enlatados, Arisco.
Em 1994, a churrascaria Fogo de Chão patrocinou a equipe Simtek no GP do Brasil, pagando a publicidade com fornecimento de refeições. A empresa já havia feito o mesmo em outras temporadas no início dos anos 90.
Em meados dos anos 90, o grupo Pão de Açúcar, da família do brasileiro Pedro Paulo Diniz investiu na Forti Corse, expondo marcas vendidas nos supermercados da rede que apoiaram a empreitada do brasileiro e de Roberto Moreno.
Diversas marcas estiveram presentes no carro da equipe ao longo da temporada.
No entanto, a presença de maior peso na F1 foi da Petrobras, que se associou a Williams em 1999.
Permanecendo com a equipe até 2008.
Com a transferência de Massa para a Williams em 2014, a petrolífera voltou a estampar sua marca na equipe.
Nos anos mais recentes, o Banco do Brasil foi principal patrocinador da Sauber durante a permanência de Felipe Nasr na equipe.
Desde 2018 a Petrobras esteve próxima à McLaren, fazendo a parceria oficial no início deste ano.
Parceria desfeita dez meses depois.
A cerveja Itaipava, a bebida energética TNT e o Banco do Brasil também estiveram nos carros da Brawn, em 2009.
Bruno Senna ostentou as marcas da Embratel e da OGX de Eike Batista pela  Hispania, em 2010.
Mauricio Gugelmin era o garoto-propaganda da Perdigão na March.
O Banco Safra esteve no carro da Tyrrell de Ricardo Rosset em 1997 e 1998
28

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Todt cita populações carentes para defender mais corridas na F1
Próximo artigo Chefão da Red Bull não lamenta saída de Sainz: "Não é Verstappen"

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil