Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
24 dias
06 mai
Próximo evento em
66 dias
20 mai
Próximo evento em
80 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
94 dias
10 jun
Próximo evento em
101 dias
24 jun
Próximo evento em
115 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
122 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
136 dias
29 jul
Próximo evento em
150 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
178 dias
02 set
Próximo evento em
185 dias
09 set
Próximo evento em
192 dias
23 set
Próximo evento em
206 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
213 dias
07 out
Próximo evento em
220 dias
21 out
Próximo evento em
234 dias
28 out
Próximo evento em
241 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
277 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
286 dias

Fórmula 1 poderá ter duas equipes americanas no ano que vem

Grupo de investidores dos Estados Unidos estariam de olho numa das escuderias atuais

compartilhar
comentários
Fórmula 1 poderá ter duas equipes americanas no ano que vem
(E to D): Will Stevens, Manor F1 Team com Roberto Merhi, Manor F1 Team e Graeme Lowdon, Diretor executivo da Manor F1 Team no show pós corrida
Roberto Merhi, Manor F1 Team
Will Stevens, Manor F1 Team

Há uma boa chance dos Estados Unidos ter duas, não uma, equipe na Fórmula 1 no próximo ano. Não é segredo para ninguém que Gene Haas terá uma escuderia, numa operação conjunta com a Ferrari em 2016, mas um grupo de investidores americanos está tentando comprar um time atual da categoria.

O grupo é liderado por James Carney, que tem negócios em Wall Street, e Tavo Hellmund, que desenvolveu o Circuito das Américas e foi quem esteve à frente do acordo com a Fórmula 1 para trazer a categoria para os Estados Unidos. Hellmund também foi um dos responsáveis pela volta da F1 ao México, no autódromo Hermanos Rodriguez, prova que vai acontecer em 1° de novembro deste ano.

Nem Hellmund e nem Carney comentaram o assunto, mas um representante de Carney confirmou o rumor, mas se recusou a dizer qual equipe o grupo estaria interessado. Fontes sugerem que seja a Manor, com sede no Reino Unido e que atualmente é controlada pelo empresário irlandês Stephen Fitzpatrick, fundador do Ovo Energy.

A equipe, que atualmente tem os pilotos Will Stevens e Roberto Merhi, tem lutado dentro e fora das pistas. Ela usa o chassis e motor Ferrari MR03B do ano passado, com potência menor do que o deste ano. A equipe entrou originalmente no esporte em 2010 como Virgin Racing.

A equipe perdeu as últimas três corridas de 2014 por razões financeiras. Fitzpatrick resgatou o time da falência , mas acredita-se que ele ainda seria uma espécie de parceiro. O grupo liderado por Carney e Hellmund busca o controle total da escuderia.

Uma provável preocupação: o acordo das equipes com Ecclestone garante uma parte do prêmio em dinheiro para dez equipes. No momento, existem exatamente dez times, o que não deixa ninguém de fora. Ano que vem, a Haas será a 11°, então uma equipe com o menor desempenho ficará de fora deste acordo ou a gama de equipes atendidas se estenderá a 11. Esta prática está programada para ser executada até 2020.

Atualmente, a Manor ocupa a última colocação do campeonato de construtores e seus pilotos ainda não somaram pontos. 

Chefes da F1 levam opinião dos fãs para discussão sobre futuro da categoria

Artigo anterior

Chefes da F1 levam opinião dos fãs para discussão sobre futuro da categoria

Próximo artigo

Para Adrian Newey, apenas “sorte anormal” salva ano da Red Bull

Para Adrian Newey, apenas “sorte anormal” salva ano da Red Bull
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Pilotos Will Stevens , Jules Bianchi , Roberto Merhi
Autor Steven Cole Smith