F1: Pérez anuncia saída da Racing Point após temporada 2020 e deixa caminho livre para Vettel

compartilhar
comentários
F1: Pérez anuncia saída da Racing Point após temporada 2020 e deixa caminho livre para Vettel

Mexicano dará adeus à equipe inglesa após o término do campeonato e aumenta chances da chegada de Sebastian Vettel ao time

Sergio Pérez anunciou nesta quarta-feira (09) que deixará a Racing Point ao final da atual temporada da Fórmula 1. O piloto mexicano estava na equipe desde 2014, quando ainda se chamava Force India, tendo ajudado no processo de reconstrução do time quando foi rebatizado de Racing Point.

Com a saída de Pérez, o caminho fica livre para Sebastian Vettel, com vários rumores de sua ida para o time comandado por Lawrence Stroll, pai de Lance Stroll, atual companheiro de Pérez. 

Leia também:

O anúncio foi feito pelo próprio piloto nas redes sociais.

 

Pérez disse no mês passado que esperava que as especulações sobre seu futuro na Racing Point fossem esclarecidas em "questão de tempo", reiterando que ele tinha um contrato em vigor com a equipe para o próximo ano.

“Tudo na vida sempre tem um começo e um fim, e depois de sete anos juntos, meu tempo com a equipe chegará ao fim após a temporada”, disse Pérez.

“Dói um pouco porque apostei na equipe em tempos muito difíceis. Conseguimos superar obstáculos e tenho muito orgulho de salvar os empregos de vários dos meus companheiros de equipe."

“Guardarei as lembranças dos grandes momentos vividos juntos, das amizades e da satisfação de sempre dar tudo de mim."

“Serei sempre grato pela oportunidade que me foi dada por Vijay Mallya, que acreditou em mim em 2014 e me permitiu continuar a minha carreira na F1 com a Force India.

“Para a administração atual, liderada por Lawrence Stroll, desejo nada além do melhor no futuro, especialmente com o próximo projeto Aston Martin.”

Pérez disse anteriormente que não estava conversando com nenhuma outra equipe de F1 sobre um assento para o próximo ano, e confirmou em seu anúncio que ele não tem nenhum plano alternativo no momento.

“Não tenho um plano B”, disse Pérez. “A minha intenção é continuar a correr aqui, mas isso dependerá de encontrar um projeto que me motivasse a continuar a dar o meu 100% em cada volta."

“Espero poder dar boas notícias em breve, mas por enquanto, vamos aproveitar juntos as próximas corridas.”

O chefe da Racing Point, Otmar Szafnauer, também se pronunciou em comunicado:

“Checo faz parte da família há sete anos e nesse período tornou-se um dos pilotos mais completos do grid”, disse Szafnauer.

“Incrivelmente rápido no sábado e no domingo, ele estabeleceu sua reputação como um piloto tenaz e juntos desfrutamos de momentos fantásticos. Se alguma vez houve um cheiro de pódio, Checo estava pronto para atacar, e esses cinco pódios representam alguns dos melhores dias na história desta equipe.”

"Fora do carro, Checo é um verdadeiro personagem e um bom amigo, e é um prazer trabalhar com ele há tanto tempo.”

“Apesar de nos despedirmos no final do ano, ainda faltam nove corridas e muitas oportunidades para o Checo guardar mais algumas memórias especiais com esta equipe.”

Trajetória

O mexicano estreou na F1 em 2011, correndo pela Sauber, onde ficou por duas temporadas. Neste período, obteve bons resultados com a equipe, incluindo dois segundos lugares, nos GPs da Malásia e da Itália de 2012. Sua performance chamou a atenção da McLaren que o contratou para a temporada de 2013.

Pérez entrou na equipe britânica como substituto de Lewis Hamilton, que havia assinado com a Mercedes. Ao lado do campeão Jenson Button, não conseguiu repetir a boa performance da Sauber, tendo como melhor resultado um quinto lugar no GP da Índia.

A partir de 2014, Pérez está ligado à Force India / Racing Point. O mexicano assinou com a equipe quando ela ainda pertencia a Vijay Mallya, o bilionário indiano que posteriormente vendeu a equipe a Lawrence Stroll, atual dono das operações. Nos quatro anos e meio em que ele esteve na Force India, teve uma performance regular, obtendo cinco pódios nesse período, todos como terceiro lugar.

Pérez teve um papel fundamental na venda da Force India para Lawrence Stroll, momento em que a equipe passou a se chamar Racing Point. Desde então, ele vinha trabalhando junto com Stroll em busca da reconstrução da equipe, que passou por um grave momento financeiro antes da venda.

No início do ano, Stroll se tornou acionista e, posteriormente, presidente-executivo da Aston Martin, uma das principais montadoras de carros de luxo do mundo, abrindo o caminho para a Aston assumir as operações da Racing Point a partir de 2021.

A saída de Sebastian Vettel da Ferrari, anunciada no começo do ano, pode ter sido o estopim para o fim do relacionamento de Pérez com a Racing Point. Apesar de ter contrato garantido com a Racing Point / Aston Martin até 2022, os rumores de uma possível chegada de Vettel para ocupar seu lugar cresceram com o início da temporada, com o próprio tetracampeão confirmando que havia conversado com a equipe.

Porém, o discurso havia mudado consideravelmente nas últimas semanas, com Pérez afirmando cada vez mais que seguiria na equipe. Em uma entrevista ao site alemão Auto Motor und Sport nesta quarta (09), o chefe da Racing Point, Otmar Szafnauer, havia até fechado a porta para Vettel, afirmando que o tetracampeão não estava "dentro" da equipe.

A saída de Pérez da Racing Point é a mais recente mudança no mercado de pilotos para 2021, com poucos lugares permanecendo disponíveis.

Haas e Alfa Romeo são os locais mais prováveis para Pérez, caso permaneça na F1, sem nenhuma delas confirmando qualquer um de seus pilotos.

F1: Saiba quem é o novo chefe da Williams após saída de Claire e veja quem comanda os outros times

PODCAST: Vitória de Gasly prova que F1 é ambiente 'onde os fracos não têm vez'?

 

Ferrari revela pintura de milésimo GP da F1 em Mugello

Artigo anterior

Ferrari revela pintura de milésimo GP da F1 em Mugello

Próximo artigo

Aposta de Senna e chefe, que rendeu carro ao brasileiro, completa 30 anos; relembre

Aposta de Senna e chefe, que rendeu carro ao brasileiro, completa 30 anos; relembre
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1